RicardoOrlandini.net - Informa e faz pensar - Colunista - ONE WORLD, ONE LANGUAGE.

Últimas notícias

Colunistas

RSS
ONE WORLD, ONE LANGUAGE.

Roberto Henry Ebelt

19.08.2011

ONE WORLD, ONE LANGUAGE.

Eu sempre acreditei nessa afirmação, apesar de minha formação religiosa cristã. O episódio da Torre de Babel, durante muito tempo, foi um obstáculo para que eu assumisse a minha atual posição, porém um dia a ficha caiu. De qualquer maneira vamos dar uma olhada na passagem bíblica que nos conta sobre está lenda tão interessante:



Genesis, chapter 11. (After Noah’s episode and the flood upon the Earth).

(Verse 1 of chapter 11): And the whole earth was of one language, and of one speech. And it came to pass, as they journeyed from the east, that they found a plain in the land of Shinar; and they dwelt there. And they said one to another, Go to, let us make brick, and burn them thoroughly. And they had brick for stone, and slime had they for mortar. And they said, Go to, let us build us a city and a tower, whose top may reach unto heaven; and let us make us a name, lest we be scattered abroad upon the face of the whole earth.

(Verse 5 of chapter 11): And the Lord came down to see the city and the tower which the children of men builded. And the Lord said, behold, the people is one, and they have all one language; and this they begin to do: and now nothing will be restrained from them, which they have imagined to do. Go to, let us go down, and there confound their language, that they will not understand one another’s speech. So the Lord scattered them abroad from thence upon the face of all earth and they left off to build the city.

(Verse 9 of chapter 11): Therefore is the name of it called Babel; because the Lord did there confound the language of all the earth; and from thence did the Lord scatter them abroad upon the face of all earth.

Uma interessantíssima palestra sobre o tema ONE WORLD, ONE LANGUAGE, você poderá ouvir e ler as legendas na página: http://www.ted.com/talks/mark_pagel_how_language_transformed_humanity.html

O assunto é sobre o modo como a linguagem transformou o desenvolvimento do Homo sapiens, mas a conclusão final é sobre a inevitabilidade de a civilização humana voltar (?) a ter novamente uma só língua. E uma das razões para isso está relacionada aos custos financeiros para a humanidade em manter tantos idiomas quantos existem atualmente. Em meu livro O QUE VOCÊ DEVE SABER ANTES DE ESTUDAR INGLÊS eu menciono 4.000 idiomas, mas, se levarmos em conta os dialetos, este número pode chegar a 8.000. De qualquer maneira, 4.000 ou 8.000 línguas é um absurdo que, com o passar do tempo, deverá ser drasticamente diminuído, mesmo que seja ao custo de algum esforço por parte de muitos povos que se expressam de maneira extremamente complicada, especialmente no que diz respeito aos sistemas de comunicação escrita que utilizam.

Três bons exemplos de países que já estão se mexendo para aprender a falar inglês que, em minha opinião, é o idioma mais fácil de ser aprendido por quem tem como língua nativa um idioma descendente do Proto-Indo-Europeu são justamente países que não utilizam línguas descendentes do Proto-Indo-Europeu, a saber, China, Japão e Coréia do Sul.

The Proto-Indo-European language (PIE) is the reconstructed common ancestor of the Indo-European languages, spoken by the Proto-Indo-Europeans. The existence of such a language has been accepted by linguists for over a century, and reconstruction is far advanced and quite detailed.

Scholars estimate that PIE may have been spoken as a single language (before divergence began) around 3700 BC, though estimates by different authorities can vary by more than a millennium. The most popular hypothesis for the origin and spread of the language is the Kurgan hypothesis, which postulates an origin in the Pontic-Caspian steppe of Eastern Europe and Western Asia. In modern times the existence of the language was first postulated in the 18th century by Sir William Jones, who observed the similarities between Sanskrit, Ancient Greek, and Latin. By the early 1900s, well-defined descriptions of PIE had been developed that are still accepted today (with some refinements).

PIE is known to have had a complex system of morphology that included inflections (suffixing of roots, as in who, whom, whose), and ablaut (vowel alterations, as in sing, sang, sung). Nouns used a sophisticated system of declension and verbs used a similarly sophisticated system of conjugation.

As there is no written evidence of Proto-Indo-European, all knowledge of the language is derived by reconstruction from later languages using linguistic techniques such as the comparative method and the method of internal reconstruction. Relationships to other language families, including the Uralic languages, have been proposed though all such suggestions remain controversial.


A Comunidade Européia tem 27 países membros, que falam 23 idiomas diferentes. Se você reunir, em uma sala, um membro de cada um desses 27 países, para que cada um possa se comunicar em sua própria língua, através de um intérprete, serão necessários 253 tradutores.

A cada ano a Comunidade Européia gasta 1 bilhão de euros apenas para traduzir documentos para as línguas oficiais de seus 27 países membros.

Esse assunto não se esgota por aqui. Na próxima semana conversaremos mais a respeito.


HAVE NA EXCELLENT WEEKEND.

 


Tags: Roberto Henry Ebelt, ensino, inglês


Roberto Henry Ebelt é professor, escritor, escreveu uma coluna semanal para o Jornal do Comércio de Porto Alegre entre 2001 e 2013, e é diretor do curso HENRY'S BUSINESS ENGLISH desde 1971.

Seu mais recente livro, O QUE VOCÊ DEVE SABER ANTES DE ESTUDAR INGLÊS, pode ser encontrado nas livrarias Disal, Cultura e SBS ou à rua Hoffmann, 728 em Porto Alegre.

E-mail: roberto@henrys.com.br
Fone (51) 3222-3144
www.henrys.com.br
Página no Facebook: https://www.facebook.com/henrysbusinessnglish/?pnref=lhc




Opinião do internauta

  • Carlos Mello (19.08.2011 | 09.43)
    Henry, tu estás virando um cético, isto é bem perto de se tornar um ateu, he he. Nem vou dar minha opinião de ateu sobre esta lenda da Torre de Babel, mas sobre a maravilhosa idéia que seria se fosse verdade de o mundo ter um só idioma. Eu só sinto não estar vivo para assistir isto acontecer, pode demorar alguns 500 anos, mas certamente a humanidade vai falar um idioma único, será o triunfo da cultura geral e global sobre as culturas regionais, que talvez sobrevivam como folclore. Só quem não quer ver e não entender o caminho natural não enxerga que no futuro será um só idioma global. Claro que a humanidade ainda vai levar algum tempo para acertar nosso maior problema que é o descontrole de crescimento populacional, mas a segunda grande conquista será o idioma único. E qual será o idioma que prevalecerá? Nem vou citar qual porque é cristalina sua importância, tem defeitos, mas será aperfeiçoado, alias se aperfeiçoa constantemente. Pois este idioma que já domina não tem a bobagem de outros que tem Academia Brasileira de Letras, Portuguesa de Letras, Francesa de Letras, castelhana, etc. Que na verdade só tentam, mas não conseguem segurar trem da história. Já tentaram o esperanto, eu estudei isto, perdi tempo, chegava a doer de tão ruim. Parabéns pelo assunto.
  • Resposta do Colunista:
Deixe sua opinião

Comemoramos hoje - 20.08

  • Dia de São Bernardo
  • Dia do Anjo Cahethel
  • Dia do Maçom