Últimas notícias

Colunistas

RSS
O uso do artigo em inglês.

Roberto Henry Ebelt

28.09.2012

O uso do artigo em inglês.

Em primeiro lugar, como em português, em inglês, existem os artigos definidos e os indefinidos, embora as quatro variações do artigo definido em português (O, A, OS, AS) estejam resumidas a apenas uma palavra em inglês, THE. Isso representa uma facilidade enorme para brasileiros que estão aprendendo inglês, pois não temos que nos preocupar com o gênero de nenhuma palavra. Se for o caso de usar um artigo definido em inglês, sempre usaremos THE. Vejam:

The boy                  o menino.
The girl                  a menina.
The table               a mesa.
The computer       o computador.
The man                o homem.
The woman           a mulher.
The boys                os meninos.
The girls                as meninas
The tables             as mesas
The computers     os computadores.
The men                os homens.
The women           as mulheres.

Eu, por exemplo, sempre que tento dizer algo em alemão, desisto. Não consigo adivinhar qual o gênero do substantivo que quero usar, pois não importa a palavra que me interessa, ela pode ser do gênero masculino, feminino ou, pasmem, neutro. E não existe uma lógica que possamos seguir. A única maneira de não errar é acostumar o ouvido à forma correta. Lembro-me de minha mãe que, sempre que questionada sobre o gênero de uma palavra em alemão, produzia, mentalmente uma frase em alemão com a palavra em questão e, só então, dava a resposta. Embora tenha estudado mais de 05 anos, quando criança, na Alemanha, ela, aos noventa anos de idade, não se lembrava das regras gramaticais (declinações do tipo latino), mas não errava a frase, pois as havia memorizado corretamente.

Como sempre digo, é muito mais importante acostumar-se com a forma, ou frase, correta do que tentar se lembrar da regra aplicável ao caso. Não que o estudo da gramática seja desnecessário. Mas, estudar gramática serve, principalmente, para dar-nos a certeza de que já estamos falando corretamente. Eu até me atrevo a prever que a Alemanha, num futuro distante, vai simplificar o alemão de modo que ele se pareça mais com o inglês antes que o espanhol e português unam-se em um só idioma. É interessante lembrar que no ano 1.000 da era cristã (gostei da expressão era cristã; já pensou se fosse era allahn ou era maomética?) a língua portuguesa não existia, visto que o Condado Portucalense só passou a existir em 1095, quando se desmembrou da Galícia, ao norte (hoje território espanhol). Português e galego são muito parecidos, pois a origem do português está na Galícia do primeiro milênio. Mas voltemos aos artigos em inglês.

O artigo indefinido, em português, tem quatro variações (quem disse que português não é uma língua flexionada?). É flexionada sim, mas não ao nível de flexionar substantivos e adjetivos como alemão e latim. Alemão flexiona até os artigos, que nem existem em latim.

Os artigos indefinidos (um, uma, uns, umas) são, mais ou menos, equivalentes a A e AN. Digo mais ou menos, pois eles não existem, em inglês, no plural. Os artigos indefinidos, em inglês, são duas palavras e em português, são quatro. E para concluir, o gênero e o número não importam nessa comparação.

Tanto UM com UMA podem ser A ou AN, pois as formas no plural (UNS, UMAS), repito, não existem em inglês.
Em inglês, o que vai nos dizer se vamos usar a forma A ou a forma AN é o som da primeira letra da palavra seguinte ao artigo. Se o som da palavra que segue o artigo for som de vogal, vamos usar AN (a intenção é propiciar a emenda do som do artigo com som da palavra seguinte. Exemplos:

APPLE = an apple.
ELEPHANT = an elephant
INTELLIGENT= an intelligent person. Uma pessoa inteligente.
OLD= an old man. Um homem velho.
URGENT an urgent matter. Um assunto urgente.

Nesta regra existe um pega-ratão* que é o seguinte: nem sempre as vogais têm som de vogal e nem sempre as consoantes têm som de consoante.
*Pega-ratão: booby-trap.

O assunto é complexo e até mesmo os linguistas não se entendem muito bem sobre o assunto. Comecemos com a vogal U que, às vezes, é pronunciada como se fosse um JOTA + I.
Example: Is there a university [jiunivêrciti] in that city?

Outra vogal que pode causar problemas é a letra E, principalmente antes da letra U:
Example: He is studying in a European University.

Quanto à letra Y, em posição inicial, ela sempre será pronunciada como uma consoante; portanto antes de uma palavra começando com Y, se tiver que usar um artigo indefinido, use A.
Example: John is a young fellow, friend of mine.

Como a letra W, para nós sempre será uma consoante, não é necessário tecer comentários. O artigo indefinido a ser utilizado antes de uma palavra que começa com W deve ser A.
Example: Karen is a woman of great beauty.

Um problema adicional é a letra H, pois em posição inicial, ela, às vezes, não é pronunciada; quando isso acontecer, o primeiro som da palavra seguinte sempre será vocálico e teremos que usar um AN.
Example: It is an honor to serve you.
Example: She is an honest person, by all means.

Quando a letra H for aspirada, como no adjetivo HUMAN, vamos ter que utilizar a artigo A.
Example: They found a human body floating on the lake.
Example: That man is a hero.
Example: That woman is a heroine.
Observação: A droga heroína se escreve heroin e a pronúncia é um pouco diferente.

Next Friday we will continue studying this subject. Have an excellent weekend.


Tags: Roberto Henry Ebelt, ensino, inglês


Roberto Henry Ebelt é professor, escritor, escreveu uma coluna semanal para o Jornal do Comércio de Porto Alegre entre 2001 e 2013, e é diretor do curso HENRY'S BUSINESS ENGLISH desde 1971.

Seu mais recente livro, O QUE VOCÊ DEVE SABER ANTES DE ESTUDAR INGLÊS, pode ser encontrado nas livrarias Disal, Cultura e SBS ou à rua Hoffmann, 728 em Porto Alegre.

E-mail: roberto@henrys.com.br
Fone (51) 3222-3144
www.henrys.com.br
Página no Facebook: https://www.facebook.com/henrysbusinessnglish/?pnref=lhc




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Comemoramos hoje - 24.02

  • Dia da conquista do Voto feminino no Brasil
  • Dia de São Sérgio
  • Promulgação da 1ª Constituição Republicana (1891)