Últimas notícias

Colunistas

RSS
Not all is gloom and doom (nem tudo está perdido).

Roberto Henry Ebelt

07.06.2013

Not all is gloom and doom (nem tudo está perdido).

Gloom: Gloom is a low level of light which is so dim that there are physiological and psychological effects. Human vision at this level becomes monochrome and the place then seems dull and depressing.

Monochrome: (noun) representation or reproduction in black and white or in varying tones of only one color.

Monochrome (adjective): (of a photograph or picture, or a television screen) consisting of or displaying images in black and white or in varying tones of only one color.

Doom: (noun) terrible fate, ruin, destruction; death.

Nos últimos 10 anos, tenho constantemente repetido para mim mesmo, tanto em inglês como em português, a frase "not all is gloom and doom" sempre que assisto os noticiários da televisão ou leio as notícias semanais, pois acredito firmemente no que descrevemos em inglês como The Power of Positive Thinking.

Nevertheless (no entanto), cada vez mais, eu tenho a sensação de que estou me enganando.

Felizmente, existem razões para não perder a esperança de que um dia a esquerda brasileira deixe as ideias do século 19, que eles tanto adoram, escorrerem para o aterro sanitário da História. A Rússia já acordou do pesadelo socialista há mais de 20 anos, o que propiciou o fim do amaldiçoado império soviético. Até a Suécia já está compreendendo que o well-fare state é inviável. A China já viu que um estado socialista só serve para manter os trabalhadores trabalhando direitinho sem fazer greves, mas a América Latina continua insistindo nessas ideias do século 19.

Como é que a dupla de  ditadores cubanos, Raul e Fidel, conseguem manter uma ditadura socialista há mais de 50 anos? E ainda são bajulados pelas zelites esquerdistas latino-americanas?

A viúva do vesgo, como disse o ex-tupamaro, não tem o menor pejo em destratar a Presidente Roussef e a indústria brasileira.

A Bolívia faz gato e sapato com a Petrobrás.

O Paraguai também não tem o mínimo respeito pelo Brasil e modifica, com o beneplácito do governo do PT, contratos de fornecimento de energia elétrica de Itaipu, usina que jamais teria sido construída não fosse a credibilidade que o Brasil gozava durante a ditamole militar.


Itaipu, construída antes que os verdes barrassem a sua construção.

Só falta o Brasil entregar o Acre de José Plácido de Castro, comprado da Bolívia, por mais de dois milhões de libras esterlinas, para a Bolívia. Veja:

From the subsequent talks, it followed that Bolivia would cede an area of 142,800 km2, in exchange for two million pounds sterling, paid in two installments.[21]Brazil committed to the construction of a Madeira-Mamoré Railway, connecting Porto Velho to Guajará-Mirim, at the confluence of the Beni and the Madeira.[21] Such were the principal stipulations of the Treaty of Petrópolis (November 17, 1903), through which Brazil acquired the future territory, now state of Acre.[21](Wikipedia).

Plácido de Castro


Plácido de Castro

Nome completo

José Plácido de Castro

Nascimento

9 de setembro de 1873
São GabrielRio Grande do Sul
Brasil

Morte

11 de agosto de 1908 (34 anos)
Seringal BenficaAcre
Brasil

Ocupação

Militar, político e idealista.

Felizmente ainda existem  pessoas, que conseguem enxergar BEYOND THE TIP OF THEIR NOSES, tais como o jornalista Carlos Sardenberg que alegrou o meu dia com a seguinte declaração, que acredito tenha sido feita por ele:

TER TODOS OS POBRES RECEBENDO DINHEIRO DO GOVERNO NÃO SIGNIFICA QUE A POBREZA ACABOU.

É O CONTRÁRIO. SIGNIFICA QUE A ECONOMIA NÃO CONSEGUE GERAR EDUCAÇÃO, EMPREGO E RENDA PARA ESSA GENTE. O FIM DA POBREZA DEPENDE DE DOIS OUTROS INDICADORES: CRIANÇAS E JOVENS NAS ESCOLAS E QUALIDADE DO ENSINO.

Rezemos para que a esquerda brasileira consiga enxergar BEYOND THE TIP OF THEIR NOSES, porque não existe mais direita no Brasil, para endireitar esse país. Dependemos totalmente da melhoria da visão do governo federal e da base aliada. Não podemos perder as esperanças. Certamente não merecemos voltar ao que éramos no século 19: uma mera banana republic.

Dixi.


Tags: Roberto Henry Ebelt, ensino, inglês


Roberto Henry Ebelt é professor, escritor, escreveu uma coluna semanal para o Jornal do Comércio de Porto Alegre entre 2001 e 2013, e é diretor do curso HENRY'S BUSINESS ENGLISH desde 1971.

Seu mais recente livro, O QUE VOCÊ DEVE SABER ANTES DE ESTUDAR INGLÊS, pode ser encontrado nas livrarias Disal, Cultura e SBS ou à rua Hoffmann, 728 em Porto Alegre.

E-mail: roberto@henrys.com.br
Fone (51) 3222-3144
www.henrys.com.br
Página no Facebook: https://www.facebook.com/henrysbusinessnglish/?pnref=lhc




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Comemoramos hoje - 20.05

  • Dia da Ascensão do Senhor
  • Dia da Congregação Mariana
  • Dia de Mjollnir, o martelo mágico de Thor, o deus dos trovões (Mitologia Nórdica)
  • Dia de São Bernardino de Sena
  • Dia do Comissário de Menores
  • Dia do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)
  • Dia Nacional do Medicamento Genérico