Últimas notícias

Colunistas

RSS
Spain train driver 'on phone' at time of deadly crash.

Roberto Henry Ebelt

02.08.2013

Spain train driver 'on phone' at time of deadly crash.

A manchete (headline) acima é do site da BBC (http://www.bbc.co.uk/news/world-europe-23507348#").

Na posição de opositor ferrenho à existência de empresas estatais (state owned companies) onde elas não são necessárias, lembro que a empresa espanhola dona do trem que descarrilou cerca de três quilômetros antes de chegar à cidade de Santiago de Campostela, é uma empresa estatal.  Vejamos o que nos diz o site da BBC:

The train driver in last week's crash in Spain was talking on the phone when it derailed, investigators say.

The train was travelling at 153 km/h (95mph) at the time, investigators at the Court of Justice of Galicia said.

Francisco Jose Garzon Amo was speaking to members of staff at the state-owned railway company, Renfe, they added.

Crash investigators had opened the train's "black-box" data recorder to find the cause of the crash, which left 79 people dead.

Moments before the accident the train was travelling at a speed of 192km/h (119mph), the court said in a statement.

Investigators say the brakes were activated shortly before the crash.

The speed limit on the sharp bend where the train derailed was set at 80km/h (49mph).

"Minutes before the train came off the tracks he received a call on his work phone to get indications on the route he had to take to get to Ferrol. From the content of the conversation and background noise it seems that the driver consulted a map or paper document," a court statement said.

Mr Garzon is suspected of reckless homicide, but he has not yet been formally charged.

He was released from custody in Santiago de Compostela, where the crash occurred, on Sunday but remains under court supervision.

A pergunta que não quer calar: por que certos governos de esquerda insistem em manter empresas estatais?

Resposta: para ter o maior poder político possível e ter onde colocar os seus partidários e cabos eleitorais que não foram felizes na última eleição. Para encerrar este assunto indigesto: você já viu uma empresa privada construir um petroleiro que vaza, tipo o João Cândido, produzido no Brasil pela Petrobrás? Eu não. E mesmo que alguma empresa particular faça uma besteira dessas, ela o fará com o seu dinheiro e de seus acionistas e não com o dinheiro do contribuinte. Mais absurdo ainda é alguém que não disponha de "inside information" investir em ações de empresas estatais. Porém, existem loucos para tudo.


Petroleiro João Cândido

Voltando às palavras, que são o meu assunto preferido: observem a palavra CAMPOSTELA. Sua origem, como não poderia deixar de ser, é latina: CAMPUS STELLAE (campo da estrela).

SANTIAGO: sabiam que Tiago (em inglês James) e Jacob são variações de mesmo nome?  Observem IAGO, TIAGO, IACO, IACOB, IACOBU, JACOB. Portanto podem entender SANTIAGO DE CAMPOSTELA como Campo da Estrela de São Jacó. Essa, entretanto, não é a única versão sobre a origem do nome da cidade galega, mas me parece razoável. Observem as outras versões da origem do nome dessa famosa cidade.

Other etymologies derive the name from Latin compositum, local Vulgar Latin Composita Tella, meaning "burial ground"; or simply from Latin compositellam, meaning "the well-composed one".

Enfim, viver no mundo ocidental e não conhecer um mínimo de latim e grego clássico impede-nos de saborear essas delícias semânticas.

O Jornal do Comércio, em julho, nos brindou com mais um excelente artigo de dom Dadeus Grings: HOMOFILIA, na coluna A VOZ DO PASTOR, edição do dia 18 de julho de 2013. Se você não o leu e ama as palavras, procure-o no site www.jornaldocomercio.com.br. Todos os textos do JC dos últimos cinco anos, ou mais (eu já encontrei artigos meus publicados há mais de sete anos) estão disponíveis em formato PDF. Esse artigo é imperdível e mostra a importância de ter conhecimentos, mesmo que superficiais, de grego clássico (nada a ver com o grego atual) para não cairmos na tentação de dizer bobagens politicamente "corretas". Meus sinceros e humildes cumprimentos a Dom Dadeus.

For you, my dear readers, I wish an excellent weekend.


Tags: Roberto Henry Ebelt, ensino, inglês


Roberto Henry Ebelt é professor, escritor, escreveu uma coluna semanal para o Jornal do Comércio de Porto Alegre entre 2001 e 2013, e é diretor do curso HENRY'S BUSINESS ENGLISH desde 1971.

Seu mais recente livro, O QUE VOCÊ DEVE SABER ANTES DE ESTUDAR INGLÊS, pode ser encontrado nas livrarias Disal, Cultura e SBS ou à rua Hoffmann, 728 em Porto Alegre.

E-mail: roberto@henrys.com.br
Fone (51) 3222-3144
www.henrys.com.br
Página no Facebook: https://www.facebook.com/henrysbusinessnglish/?pnref=lhc




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Comemoramos hoje - 24.02

  • Dia da conquista do Voto feminino no Brasil
  • Dia de São Sérgio
  • Promulgação da 1ª Constituição Republicana (1891)