RicardoOrlandini.net - Informa e faz pensar - Colunista - Income tax.

Últimas notícias

Colunistas

RSS
Income tax.

Roberto Henry Ebelt

07.03.2014

Income tax.

Sempre evitei falar sobre esta excrescência, de DNA marxista, conhecida como imposto de renda, porém com os resultados de estudos, realizados há mais de trinta anos, que mostram, de maneira insofismável, que esse imposto ridículo mais atrapalha do que beneficia qualquer sociedade que o adote, acho que podemos ler um pouco sobre esta baboseira neocapitalista, sem nos deixar convencer pelos argumentos costumeiros. Vide http://neighborhoodeffects.mercatus.org/2014/02/13/does-an-income-tax-make-people-work-less/.

A ideia básica é que esta praga (income tax) incentiva o que deve ser evitado: o desejo de trabalhar menos (para evitar sustentar a vagabundagem que vive nas costas de quem trabalha).

Com a palavra "trabalhadores", eu não quero me referir aos membros do partido que inadequadamente se apropriou deste substantivo (o único país além do Brasil, tanto quanto é do meu conhecimento, que permitiu a criação de um partido de trabalhadores foi a abominável Alemanha Nazista, sob o comando do Partido Nazista de Adolf Hitler (o nome completo do Partido Nazista era Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei ) mesmo por que os que trabalham duro e pagam impostos já perderam a ilusão de que tal partido venha um dia propiciar-lhes algum benefício significativo, visto que o PT gosta mesmo é de dar dinheiro para quem não produz absolutamente nada (exceto filhos, confusões, dissensões entre o povo brasileiro e votos, muitos votos para o partido), tais como movimentos do tipo MST, os bolseiros, os mensaleiros, os blocos pretos, os índios que são mantidos, com todo o empenho de funais e assemelhados, em plena idade da pedra, os quilombolas, os cotistas, a base aliada, etc., sem esquecer da abominável gerontocracia dos irmãos castro. Para a vagabundagem, tudo. Para os que trabalham, imposto de renda. Pode?

Vejamos o que a Wikipedia nos diz sobre esta praga na Inglaterra:

Tradução das legendas: O Novo Altruísmo.

Deputado (de partido de esquerda, metendo a mão no bolso de um empresário): Meu pobre amigo, aqui estão cinco shillings para você.

O eterno vagabundo: Deus te abençoe, meu chapa.

O empresário: Espera aí, esse é o meu dinheiro!

O deputado de esquerda: Sim, eu sei, mas a ideia (de dar o teu dinheiro para esse vagabundo) foi minha.

*M.P. : Member of Parliament (equivalente a um deputado federal no Brasil). (09 de outubro de 1907).

One of the first recorded taxes on income was the Saladin tithe introduced by Henry II in 1188 to raise money for the Third Crusade.[14] The tithe demanded that each layperson in England be taxed a tenth of their personal income and moveable property.[15] However, the inception date of the modern income tax is typically accepted as 1799.[16]

Income tax was announced in Britain by William Pitt the Younger in his budget of December 1798 and introduced in 1799, to pay for weapons and equipment in preparation for the Napoleonic wars. Pitt's new graduated income tax began at a levy of 2d in the pound (0.8333%) on annual incomes over £60 and increased up to a maximum of 2s in the pound (10%) on incomes of over £200 (£170,542 in 2007). Pitt hoped that the new income tax would raise £10 million (£8,527,100,000 in 2007), but actual receipts for 1799 totalled just over £6 million.[17]

The tax was repealed in 1816 and opponents of the tax, who thought it should only be used to finance wars, wanted all records of the tax destroyed along with its repeal. Records were publicly burned by the Chancellor of the Exchequer* but copies were retained in the basement of the tax court.[18]

*Chancellor of the Exchequer: minister of finance (in the British government)

O que começa mal termina mal. Um imposto para promover a GUERRA jamais vai se tornar em algo positivo. Todavia, quem disse que a nossa vida neste planeta seria um mar de rodas? O imposto de renda cobrado da pessoa física nada mais é do que uma maneira adicional de infernizar a vida dos trabalhadores e promover o retrocesso de um país.

Quando você sentir a tentação de votar em um candidato de esquerda, lembre-se da imagem acima. Lembram-se do FHC? Ele também era de esquerda e promoveu o COFINS (parece coffin – caixão de defunto) ao status de mais cruel imposto brasileiro. Essa maluquice, inventada por Collor, é cobrada antes de o empresário pagar qualquer outra obrigação gerada pelo seu empreendimento. E sem os empreendimentos dos empresários, a nação não teria empregos para a população. Só teríamos funcionários públicos que não iriam trabalhar, pois não haveria dinheiro para pagar os seus salários.

Meus votos de HAPPY INCOME TAX DECLARATION. I HOPE YOU CAN GET SOME RETURN FROM THE GOVERNMENT.


Tags: Roberto Henry Ebelt, inglês, artigo, coluna


Roberto Henry Ebelt é professor, escritor, escreveu uma coluna semanal para o Jornal do Comércio de Porto Alegre entre 2001 e 2013, e é diretor do curso HENRY'S BUSINESS ENGLISH desde 1971.

Seu mais recente livro, O QUE VOCÊ DEVE SABER ANTES DE ESTUDAR INGLÊS, pode ser encontrado nas livrarias Disal, Cultura e SBS ou à rua Hoffmann, 728 em Porto Alegre.

E-mail: roberto@henrys.com.br
Fone (51) 3222-3144
www.henrys.com.br
Página no Facebook: https://www.facebook.com/henrysbusinessnglish/?pnref=lhc




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Comemoramos hoje - 20.08

  • Dia de São Bernardo
  • Dia do Anjo Cahethel
  • Dia do Maçom