Últimas notícias

Colunistas

RSS
How long must I study English?

Roberto Henry Ebelt

25.07.2014

How long must I study English?

A pergunta que muitos alunos fazem, ao começar um curso de inglês (ou qualquer outro idioma estrangeiro), é “até quando eu vou ter que estudar este idioma?” ou “quanto tempo leva para eu aprender inglês?”.

É claro que a resposta vai variar em função do que o aluno tem como objetivo. Alguém que tem intenção de se tornar um professor de inglês, além de necessitar ter um ouvido sensível, precisará estudar muito mais do que um taxista, balconista, garçom ou arrumadeira de quartos em um hotel de Porto Alegre que precisa de inglês profissionalmente.

Esses profissionais, via de regra, não precisarão manter diálogos com seus clientes. Para tais pessoas um curso de inglês instrumental geralmente basta. Se o hóspede um hotel solicitar uma barra de sabonete à arrumadeira, para ela será suficiente entender a palavra SOAP ou BAR OF SOAP. Ela poderá simplesmente responder algo tipo “yes, sir” ou yes, madam” e providenciar o sabonete. O “diálogo” para por aí.

Para um taxista será suficiente entender a frase “I want to go to the Pazza Hotel” e “ how much?” e saber dizer o preço da corrida. Até mesmo o preço poderá ser informado mostrando o valor no taxímetro, desde que a EPTC não venha com “tablitas” para desorientar o cidadão.

Durante todas as minhas permanências nos States que, somando todos os dias, chega perto de um ano, nunca fui surpreendido por essa excrescência brasileira, filha dileta da maluca instituição conhecida como correção monetária (que ainda nos assombra), a tal de tabela para corrigir os preços das corridas de táxis. Infelizmente, 20 anos depois de Itamar Franco dar um jeito na nossa tão amada (pelos governantes) inflação, ainda persiste esta praga da correção monetária.

Voltando ao INGLÊS: o tempo de duração de um curso que satisfaça as suas necessidades vai depender de suas necessidades. Eu, por exemplo, continuo estudando inglês todos os dias de minha vida e continuo me surpreendendo com o pouco que conheço.

A pessoa que não se satisfaz com inglês instrumental e nem deseja se tornar um professor do idioma, pode imaginar, pelo menos umas trezentas ou quatrocentas horas de estudo, espalhadas por um período de um ou mais anos.

É claro que, se depois de um curso básico, o aluno passar algumas semanas em um país de fala inglesa, isso vai ajudar muitíssimo. Mas isso só acontecer depois de um curso básico muito bem feito. Para saber mais sobre o assunto leia o livro O QUE VOCÊ DEVE SABER ANTES DE ESTUDAR INGLÊS.

30 dias nos States, Canadá, Austrália ou UK equivalem a, pelo menos, trezentas horas de aula, imaginando um mínimo de 10 horas por dia em contato com native speakers.

MAS, isso vale apenas para quem já estudou pelo menos umas duzentas horas aqui no Brasil. Antes disso, a viagem não ajudará em nada que diga respeito à melhoria de seus conhecimentos de inglês.

Assim sendo, não se iluda. Simplesmente viajar para o exterior não é uma solução geral para aprender inglês.

Dúvidas sobre esse assunto? Mande-me um e-mail ou leia o livro acima recomendado.

Have an excellent weekend.


Tags: Roberto Henry Ebelt, inglês, artigo, coluna, PontoNET


Roberto Henry Ebelt é professor, escritor, escreveu uma coluna semanal para o Jornal do Comércio de Porto Alegre entre 2001 e 2013, e é diretor do curso HENRY'S BUSINESS ENGLISH desde 1971.

Seu mais recente livro, O QUE VOCÊ DEVE SABER ANTES DE ESTUDAR INGLÊS, pode ser encontrado nas livrarias Disal, Cultura e SBS ou à rua Hoffmann, 728 em Porto Alegre.

E-mail: roberto@henrys.com.br
Fone (51) 3222-3144
www.henrys.com.br
Página no Facebook: https://www.facebook.com/henrysbusinessnglish/?pnref=lhc




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Comemoramos hoje - 25.02

  • Criação do Ministério das Comunicações (1967)
  • Criação do Ministério do Interior (1889)
  • Criação do Ministério dos Transportes (1967)
  • Dia de Santa Valburga
  • Dia de São Cesário
  • Dia de São Tarásio