Últimas notícias

Colunistas

RSS
HOPE DIES HARD.

Roberto Henry Ebelt

27.03.2015

HOPE DIES HARD.

A frase acima não é uma expressão idiomática, como a nossa frase A ESPERANÇA É A ÚLTIMA QUE MORRE, mas transmite exatamente a mesma ideia.

EM ALEMÃO, existe um provérbio semelhante ao nosso: HOFFNUNG STIRBT ZULETZT.

EM ESPANHOL você pode dizer LA ESPERANZA ES LO ULTIMO QUE SE PIERDE.

EM ITALIANO, você pode dizer LA SPERANZA NON MUORE MAI. Pelo que li isso não é um provérbio, mas uma frase que descreve a ideia em questão.

EM FRANCÊS, você pode (may) expressar esta ideia assim: L'ESPOIR NE MEURT PAS AUSSI FACILEMENT

Enfim, de um modo ou de outro, parece que muitos idiomas possuem provérbios, expressões ou frases perfeitas para descrever a esperança que as pessoas têm de melhorar, apesar de as pessoas sem uma visão mais ampla da vida serem vítimas fáceis das promessas dos partidos de esquerda, como é o caso gritante dos povos da América Latina, vide Venezuela, Argentina, Bolívia, Cuba, Equador, Chile (com Bachelet) e, como não poderia deixar de ser, o esquerdista e politicamente correto Brasil (apesar do recente arrependimento dos brasileiros em relação ao Brasilianische Arbeiterpartei).

Isso posto, vejam que a Petrobras, que Getúlio Vargas (o bom ditador) nos empurrou goela abaixo, 1954, com a mentira deslavada de que o petróleo seria nosso, ainda "obedece" às flutuações do mercado externo, em que o preço do petróleo continua em baixa. E é uma notícia bem recente, o que nos faz crer que ainda existe esperança de não continuarmos a ser saqueados pela atual administração do país que transformou a estatal petrolífera brasileira em fonte de recursos para seus interesses pessoais. OK, quem sabe das coisas sabe que esta empresa é o braço financeiro do governo federal e que seus preços são manipulados pelo "povo brasileiro" que é de onde, segundo a constituição, emana todo o poder que o governo tem para nos massacrar. Porém se não tivéssemos que conviver com essa monstruosidade estatal que detém o monopólio do petróleo no Brasil, talvez alguma multinacional pudesse nos fornecer combustíveis a preços menos assustadores, apesar de que o que massacra o povo brasileiro são os impostos escorchantes, especialmente sobre os derivados de petróleo. Mas vejamos a bela notícia proporcionada pela tão combalida Petrobras:

Portanto não se desespere: um dia vai melhorar. Esperemos que depois de 12 de abril.

Have an excellent weekend.


Tags: Roberto Henry Ebelt, inglês, artigo, coluna


Roberto Henry Ebelt é professor, escritor, escreveu uma coluna semanal para o Jornal do Comércio de Porto Alegre entre 2001 e 2013, e é diretor do curso HENRY'S BUSINESS ENGLISH desde 1971.

Seu mais recente livro, O QUE VOCÊ DEVE SABER ANTES DE ESTUDAR INGLÊS, pode ser encontrado nas livrarias Disal, Cultura e SBS ou à rua Hoffmann, 728 em Porto Alegre.

E-mail: roberto@henrys.com.br
Fone (51) 3222-3144
www.henrys.com.br
Página no Facebook: https://www.facebook.com/henrysbusinessnglish/?pnref=lhc




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Comemoramos hoje - 25.02

  • Criação do Ministério das Comunicações (1967)
  • Criação do Ministério do Interior (1889)
  • Criação do Ministério dos Transportes (1967)
  • Dia de Santa Valburga
  • Dia de São Cesário
  • Dia de São Tarásio