Últimas notícias

Colunistas

RSS
Artigos definidos. Definite articles.

Roberto Henry Ebelt

17.07.2015

Artigos definidos. Definite articles.

Para nós, brasileiros, a existência de artigos (tanto definidos como indefinidos) é ponto pacífico. Dificilmente passa pela nossa cabeça o fato de que certos idiomas não fazem uso do artigo definido, como é o caso de muitos idiomas eslavos.

Em 1965 tive o prazer de conhecer um ucraniano que conseguiu escapar da fúria assassina do cruel ditador comunista, o desprezível, vão, psicopata IOSIF VISSARIONOVICH DZHUGASHVILI, vulgo Stalin, manifestada no genocídio ucraniano do inverno de 1932/1933. Para desestimular o desejo dos ucranianos de sair daquela União de comunistas, e obter divisas estrangeiras, o bandido Stalin promoveu a exportação de todos os grãos da Ucrânia.  O comunista, assim, provocou deliberadamente a morte, por fome, de 8.000.000 de ucranianos no tenebroso inverno de 1932/33, número 2.000.000 maior do que as vítimas judias do famigerado ex-cabo austríaco do Império Austro-Húngaro, Adolf Hitler.

Pois bem, o meu amigo Pavlenko conseguiu fugir da então comunista Ucrânia e veio para o Brasil, onde o conheci em 1965.

Sempre estranhei o modo como ele falava o nosso idioma, especialmente devido ao fato de ele não usar artigos nas frases que ele falava em português. Basicamente ele usava frases em ucraniano com palavras portuguesas (procedimento conhecido com "decalco"), portanto os artigos nunca apareciam. Você pode ler sobre artigos definidos em ucraniano em http://www.bbc.com/news/magazine-18233844.

Com isso quero dizer que algo que nos parece indispensável, como os artigos definidos, pode ser algo totalmente insignificante para falantes de outros idiomas. E que, quando comparamos inglês com português, a utilização do artigo definido não é perfeitamente equivalente, sendo que às vezes, um idioma o utiliza e o outro não. E vice-versa. Exemplos:

  • Antes de nomes próprios, em português, nós usamos artigo definido, e em inglês não:

O João esteve aqui ontem à noite.

John was here last night (não há artigo antes de John).

Não sabia que a Maria era tua irmã.

I didn't know (that) Mary was your sister.

  • Todavia, se o nome próprio for de um acidente geográfico, tanto em inglês como em português, usamos artigos definidos:

O rio Guaíba virou lago.

The Guaiba River has become a lake.

O Guaíba agora é considerado um lago.

The Guaiba is now considered a lake.

O rio dos Sinos transbordou novamente

The Sinos River has overflowed again.

As Montanhas Rochosas se estendem dos EUA ao Canadá.

The Rocky Mountains run from the USA to Canada or The Rockies run from the USA to Canada.

Custa uma fortuna escalar o Everest.

It costs a fortune to climb the Everest.

O maior lago do mundo (em volume d'água) é o Baikal.

The largest lake in the world is the Baikal.

A primeira travessia aérea do Atlântico Sul foi feita pelos aviadores navais portugueses Gago Coutinho e Sacadura Cabral em 1922 para celebrar o centenário da independência do Brasil.

The first aerial crossing of the South Atlantic was made by the Portuguese naval aviators Gago Coutinho and Sacadura Cabral in 1922, to mark the centennial of Brazil's independence.

  • Quando o nome próprio for o nome de um país, existem duas possibilidades:

Primeira possibilidade: se no nome do país existir um substantivo comum, como República Dominicana, República Democrática da Alemanha, República Democrática do Povo da Coreia, República do Povo (ou Popular) da China, República Bolivariana da Venezuela, República Democrática do Vietnam (nome da República Socialista do Vietnam entre 1945 e cerca de 2000, ano em que voltou ao convívio das nações civilizadas), Estados Unidos da América DEVEMOS usar um artigo definido ANTES do nome do país. Exemplos:

  1. The name of the dictator of the Republic of Korea is Kim Jong-un.
  2. The name of the dictator of the Bolivarian Republic of Venezuela is Nicolas Maduro.
  3. The last dictator of the German Democratic Republic was Erich Honecker.
  4. They spent their last vacation in the USA.
  5. The United Kingdom (or Britain) consists of four countries, namely, Scotland, Wales, Northern Ireland and England.

Segunda possibilidade: se no nome do país não houver um substantivo comum, não se usa artigo definido. Exemplos:

  1. As long as there are no adjectives such as POPULAR or DEMOCRATIC in the name of Brazil there is hope for the country.
  2. Germany is a nice place to visit in summer.
  3. We spent a week in Uruguay last year.
  4. They are going to England next month.
  5. I was born in Brazil.

A regra geral para uso do artigo definido em inglês é usá-lo para transmitir a ideia, para quem nos ouve ou nos lê, de que aquilo sobre o que estamos falando já é de seu conhecimento. Exemplos:

                                O livro que te emprestei pertence ao meu irmão.

                                The book (that) I lent you belongs to my brother.

Observe que a primeira palavra de ambas as frases acima é um artigo definido, pois o livro em questão é um livro definido tanto para quem fala como para quem ouve.

                                O inverno de 1932/33 na Ucrânia foi uma tragédia.

                                The winter of 1932/33 in Ukraine was a tragedy.

Mas se a ideia de definição não existir não usaremos o artigo definido. Veja:

                                As quatro estações são primavera, verão, outono e inverno.

                                The four seasons are spring, summer, autumn and winter.

 

Detalhe: enquanto em português nós temos quarto artigos definidos diferentes (o, a, os, as), em inglês temos apenas um: THE.

Como já disse, a ideia geral que orienta a utilização do artigo definido é a mesma tanto em português como em inglês, mas temos que prestar atenção às exceções. Por enquanto lembre-se de que o que importa é estar acostumado à forma correta. Você se lembra das regras gramaticais para a utilização dos artigos definidos em português? Provavelmente não. E isso faz alguma diferença na sua vida? Certamente não. O que importa é saber utilizar corretamente o idioma, seja ele português ou inglês. As explicações que eu escrevo aqui não passam de curiosidades e só conseguem ajudá-lo se você já tiver uma ideia sobre o assunto. Se você tem interesse de aprender inglês, leia antes de qualquer coisa, o livro O QUE VOCÊ DEVE SABER ANTES DE ESTUDAR INGLÊS para economizar tempo e dinheiro.

If you have any questions about English send me an e-mail.

Have an excellent weekend.


Tags: Roberto Henry Ebelt, inglês, artigo, coluna


Roberto Henry Ebelt é professor, escritor, escreveu uma coluna semanal para o Jornal do Comércio de Porto Alegre entre 2001 e 2013, e é diretor do curso HENRY'S BUSINESS ENGLISH desde 1971.

Seu mais recente livro, O QUE VOCÊ DEVE SABER ANTES DE ESTUDAR INGLÊS, pode ser encontrado nas livrarias Disal, Cultura e SBS ou à rua Hoffmann, 728 em Porto Alegre.

E-mail: roberto@henrys.com.br
Fone (51) 3222-3144
www.henrys.com.br
Página no Facebook: https://www.facebook.com/henrysbusinessnglish/?pnref=lhc




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Comemoramos hoje - 25.02

  • Criação do Ministério das Comunicações (1967)
  • Criação do Ministério do Interior (1889)
  • Criação do Ministério dos Transportes (1967)
  • Dia de Santa Valburga
  • Dia de São Cesário
  • Dia de São Tarásio