Últimas notícias

Colunistas

RSS
Vocabulário não é tudo, mas sem palavras você não diz nada.

Roberto Henry Ebelt

02.06.2017

Vocabulário não é tudo, mas sem palavras você não diz nada.

Basicamente você precisa de palavras e estruturas para falar um idioma, em nosso caso específico, inglês como segundo idioma de um falante nativo de português.

Se você vai estudar inglês, informe-se antes sobre esta tarefa lendo o livro O QUE VOCÊ DEVE SABER ANTES DE ESTUDAR INGLÊS para saber onde e como concentrar seus esforços. Você vai ver que o aprendizado de palavras, a aquisição de vocabulário, é um dos dois aspectos mais importantes que você vai enfrentar e que é a atividade que mais consumirá seu tempo de aprendizado. Eu pessoalmente, depois de 50 anos de contato com inglês, continuo aprendendo novas palavras inglesas a cada dia que passa.

O outro item, tão importante quanto adquirir vocabulário, é aprender como usar o vocabulário que você está adquirindo ou que já possui.

Esse é o resumo da tarefa de aprender inglês como segunda língua.

A grande vantagem para nós, que falamos português como idioma nativo, é que os substantivos em inglês não têm gênero. Consequentemente, os nossos quatro artigos definidos (o, a, os, as) se resumem a apenas um, THE.

Além disso, o plural dos substantivos praticamente sempre é feito como em português: através do acréscimo de um S. Existem exceções? Claro que existem, assim como em português, mas são poucas.

Os adjetivos são invariáveis tanto no que diz respeito a gênero e número. Enquanto em português nós podemos ter quatro formas para um adjetivo, em inglês temos apenas uma forma. Veja o caso do adjetivo BOM, que tem quatro formas distintas, a saber, BOM, BOA, BONS e BOAS. Em inglês esse adjetivo tem apenas uma forma, GOOD.

Detalhe: se você encontrar a palavra GOODS, fique sabendo que ela não tem nada a ver com o adjetivo GOOD. GOODS é um substantivo (que só existe no plural) e que significa mercadorias, posses, haveres.

Considerando que substantivos (em inglês NOUN/NOUNS) constituem a maioria das palavras de um idioma, o fato de eles não terem formas distintas para masculino e feminino, torna a contagem das palavras em inglês substancialmente diferente da contagem em português.

As instruções sobre como contar corretamente o seu vocabulário em inglês estão e sempre estarão à disposição dos meus alunos e leitores, gratuitamente. Para recebê-las, basta me enviar um pedido por e-mail para roberto@henrys.com.br.

Se você não dispõe de um segundo idioma para se comunicar, lembre-se de que a língua portuguesa não é suficiente para um homo sapiens do século 21 (nem era no século 20). Num mundo com 7.000.000.000 de habitantes apenas 215 milhões a falam como primeira língua, isto é, os brasileiros + 15 milhões. Somando os falantes de português como primeira língua aos falantes de português como segunda língua, temos 250 milhões. Veja o que mais nos diz a Wikipedia:

Portuguese (português or, in full, língua portuguesa) is a Romance language and the sole official language of Portugal, Brazil, Cape Verde, Guinea-Bissau, Mozambique, Angola, and São Tomé and Príncipe. It also has co-official language status in East Timor, Equatorial Guinea and Macau. As the result of expansion during colonial times, a cultural presence of Portuguese and Portuguese creole speakers are also found in Goa, Daman and Diu in India; in Batticaloa on the east coast of Sri Lanka; in the Indonesian island of Flores; in Malacca of Malaysia; and the ABC islands in the Caribbean where Papiamento is spoken, while Cape Verdean Creole is the most widely spoken Portuguese-based Creole.

Portanto, nós precisamos optar por mais uma língua. A mais conveniente é o inglês.

Veja: https://en.wikipedia.org/wiki/English_language

Além de mais conveniente, para quem fala português, inglês é, na minha opinião, o idioma estrangeiro mais fácil de aprender; mais fácil até do que espanhol (correto, naturalmente, pois o portunhol, qualquer gaúcho fala).

Isso posto, se você ainda não tem condições de começar a estudar inglês, comece colecionando palavras inglesas. Não é a melhor opção, mas é melhor do que nada, pois é muito melhor colecionar frases.

Good luck!


Tags: Roberto Henry Ebelt, inglês, artigo, coluna, Ebelt


Roberto Henry Ebelt é professor, escritor, escreveu uma coluna semanal para o Jornal do Comércio de Porto Alegre entre 2001 e 2013, e é diretor do curso HENRY'S BUSINESS ENGLISH desde 1971.

Seu mais recente livro, O QUE VOCÊ DEVE SABER ANTES DE ESTUDAR INGLÊS, pode ser encontrado nas livrarias Disal, Cultura e SBS ou à rua Hoffmann, 728 em Porto Alegre.

E-mail: roberto@henrys.com.br
Fone (51) 3222-3144
www.henrys.com.br
Página no Facebook: https://www.facebook.com/henrysbusinessnglish/?pnref=lhc




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Comemoramos hoje - 26.05

  • Dia de N. Sra. de Caravaggio
  • Dia de São Filipe Néri
  • Dia do Revendedor Lotérico
  • Dia Nacional do Combate ao Glaucoma
  • Dia Nacional do Museu