Últimas notícias

Colunistas

RSS
O Dia Nacional de Adotar um Animal é um convite á reflexão e á ação

Vininha F. Carvalho

15.09.2011

O Dia Nacional de Adotar um Animal é um convite á reflexão e á ação

Ao analisarmos a relação homem-animal ao longo da história da humanidade, percebe-se que muitos erros e atrocidades foram cometidos contra os animais, por falta de conhecimento, pela ganância ou em nome de tradições culturais. Os primeiros animais domesticados foram trazidos ao Brasil pelos colonizadores portugueses. Desde então, a relação homem - animal vem passando por profundas transformações. Para algumas espécies, como por exemplo, os cães e gatos, as mudanças foram marcantes.

No século passado, em 1929 no Congresso de Proteção Animal em Viena, Áustria, foi declarado o dia da morte de São Francisco de Assis, 4 de outubro, como o Dia Mundial do Animal, por ele ser tão generoso para com os animais. Em 27 de janeiro de 1978, a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) aprovou a Declaração Universal dos Direitos dos Animais, da qual o Brasil é signatário. Embora a declaração dos animais siga a mesma trilha filosófica da dos Direitos do Homem, fica claro que estamos bem longe de uma equação justa, de proteção e amor aos animais.

Décadas se passaram. Mesmo com alguns avanços na proteção aos animais, o artigo 2º – que versa que o homem, como também uma espécie animal, não pode exterminar outros animais ou explorá-los violando este direito , está longe de ser uma realidade. Nós temos que contextualizar, advertir e orientar que a situação atual dos animais na sociedade requer uma visão adequada aos novos tempos.

O direito de viver dignamente, sem dor e sofrimento, por estar abandonado, ainda está por vencer, por isto no dia 4 de outubro de 2000, foi criado o Dia Nacional de Adotar um Animal, que visa abordar o tema de uma forma mais adequada aos desafios do século XXI, agregando novos valores e reforçando a homenagem ao patrono da ecologia, São Francisco de Assis.

A maior população canina do mundo reparte-se entre Estados Unidos, Japão e Brasil (32 milhões). Segundo dados da Associação de Produtos e Prestadores de Serviço ao Animal (Assofauna), 63% das famílias brasileiras das classes A e B adotaram animais de estimação como seus membros. Quando se trata da classe C, esse número sobe para 64%.

A cada dia, os animais domésticos conquistam mais espaço nas casas. Ao comemorarmos o Dia Nacional de Adotar um Animal, 4 de outubro, devemos defender estas inocentes vítimas, transmitindo as pessoas o que realmente acontece com os animais na atualidade, não nos prendendo, apenas ao passado distante, onde a concepção sobre a condição de vida dos animais era muito diferente. É preciso renovar os conceitos, promover a posse responsável e estimular o controle da natalidade , principalmente nos cães e gatos, o que no século passado não era incentivado.

A visão no século passado sobre os animais era outra , como podemos constatar no clássico da literatura infantil "Caçadas de Pedrinho", que foi publicado pela primeira vez em 1933. A Academia Brasileira de Letras sugeriu que os responsáveis pela educação estimulem uma leitura crítica por parte dos alunos, pois a mensagem traz expressões que podem ser consideradas ofensivas aos animais.

Hoje, os cães e gatos são tratados como filhos , mas por outro lado, o abandono é uma triste realidade, muitos casos de maus-tratos acontecem frequentemente. Precisamos aproveitar para discutirmos os aspectos da busca da solução destes problemas e, agirmos, nesta data especial, 4 de outubro, Dia Nacional de Adotar um Animal, articulando atividades com o cotidiano das escolas, dos bairros, das cidades e do país.

Há necessidade de apresentarmos novas formas e atitudes para melhorar o relacionamento com os animais. São critérios do trabalho de conscientização:- promover a qualidade de vida dos animais; - adequar do conceito de posse ao novo século, ressaltando a responsabilidade; - estimular a ausência de preconceitos no momento da adoção. Uma mobilização, como esta, aproxima pessoas de outros movimentos, as quais estão envolvidas com o exercício da cidadania, e passam a somar as suas ações. É um ciclo interligado de idéias e projetos que ganham força e inspiram as pessoas mostrando que é possível ajudar os animais a terem seus direitos reconhecidos.

Os animais não podem defender-se sozinhos no mundo de hoje e, muitos são os crimes a que são submetidos, como descaso e a crueldade. Por outro lado, é cada vez maior em todo o mundo o número de defensores dos animais. Cada uma a sua maneira, participa da defesa dos animais, muitas pessoas, inclusive com sacrifício de seus empregos, salários e família. Entre os defensores surgem os mais variados grupos, desde a dona de casa que procura um novo lar para algum cão abandonado; pessoas que os recolhem, tratam e os alimentam, até o profissional que se dedica a salvar vidas. Todos são fundamentais para o fortalecimento da causa dos animais.

Atualmente, há inúmeros países que facilitam a convivência com os animais. Os cães conquistaram o direito de entrarem em estabelecimentos e empresas, assim como em transportes públicos. Uma lei promulgada pelo governo suíço, estimula a posse responsável de animais e visa diminuir o abandono de cães nas ruas e em abrigos , ou seja, quem adquire um animal, além de registrá-lo, precisa fazer um curso que envolve teoria (necessidades e desejos dos animais) e prática (situações que podem acontecer durante um passeio com o animal, por exemplo). Isso porque, reconhecem que cada vez mais, os animais representam um personagem definitivo no enredo das famílias, são sinônimos de fidelidade e incondicional amor.

Aproveite esta data, Dia Nacional de Adotar um Animal, para refletir sobre as suas atitudes para com os animais, atualizar seus conhecimentos e, se possível, adote um animal, sua vida será muito mais alegre.

Eu sempre tive uma grande preocupação com o bem estar dos animais e, tento mostrar isto, por meio de ações na minha vida pessoal e profissional. Procuro estar envolvida com ações que são interligadas ao meio ambiente, defendendo os animais, por isto idealizei o Dia Nacional de Adotar um Animal.

Acredito que existe um caminho a ser seguido, que é o respeito a todas as formas de vida, onde é preciso saber harmonizar: as necessidades básicas dos animais, como abrigo e alimentação, ao direito ao carinho, liberdade e à vida digna.

O Dia Nacional de Adotar um Animal, comemorado no dia 4 de outubro, é um convite a esta reflexão e a ação. Participe!


Tags: Vininha, cães, inverno, frio


Vininha F. Carvalho é jornalista, ambientalista e engajada na causa dos animais. Graduada em administração de empresas e economia, é especializada em temas que envolvem questões na área ambiental, principalmente relativas a animais, para veículos da mídia impressa e eletrônica. Atuante em entidades e projetos com enfoque social.
Presidente da Fundação Animal Livre.
e-mail: vininha@uol.com.br
Home page: www.animalivre.com.br





Opinião do internauta

  • Carlos Mello (15.09.2011 | 09.09)
    Muito boa tua intenção. O problema é que adotar é meia solução, a adoção tem que ser consciente, isto porque tem pessoas que adotam pensando que um cão ou gato, por exemplo, são brinquedos. Depois quando ficam frente a alguns problemas como limpeza, cuidados veterinários, necessidades fisiológicas descobrem que é um ser vivo e que precisa de cuidados. Então alguns são inescrupulosos e covardes que abandonam o animal, que é pior do que se não tivessem adotado. Parabéns pelo teu trabalho e ao amor que dedicas aos animais.
  • Resposta do Colunista:
Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 24.07

  • Dia de Santa Cristina
  • Dia do Anjo Nithael
  • Dia do Calouro