Últimas notícias

Colunistas

RSS
Mulheres nas religiões.

Carlos Mello

12.10.2011

Mulheres nas religiões.

Não precisa ter uma mente brilhante para entender que se um grupo é excluído dos mais importantes cargos numa hierarquia só existe um pressuposto: São inferiores. Ou caberia outra explicação?

Em qualquer lugar em que a ascensão seja dificultada às mulheres, elas vão à luta, brigam, fazem passeatas, jogam sutiãs fora, discursam onde podem, pedem socorro à mídia, exigem igualdade de direitos. Mas nas religiões estranhamente elas se submetem serem de 2ª classe sem qualquer reclamação.

As mulheres pertencentes a alguma agremiação mística se sujeitam passivamente a espertos dogmas impensáveis de serem aceitos pelas feministas. Se tiver alguma feminista numa Igreja, provavelmente deve ter um QI muito baixo que não conseguiu entender o papel da mulher numa sociedade igualitária. Ainda não conseguiu notar que não existe nenhuma mulher padre. Nas áreas de dominação muçulmana devem achar lindo não poderem usar batom, viajar sem a companhia de um dono (marido, pai, etc). Afinal estão seguindo a Bíblia ou o Corão.

Os livros sagrados têm centenas de mostras de qual a posição que uma mulher deve ter nestas comunidades, são tantas “preciosidades” que não é possível citá-las porque só isto daria um livro, então aqui vai uma micro amostra:

O Novo Testamento cita S. Paulo (I Timóteo 2), onde diz:
" A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. 1 Timóteo 2:11".
Não é permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. 1 Timóteo 2:12
Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão. 1 Timóteo 2:13-14

O Deuteronómio declara que, se uma mulher não sangrar na noite de núpcias, "os homens da sua aldeia devem apedrejá-la até à morte".
O Alcorão estipula que uma mulher herda menos que um homem e que o testemunho de uma mulher tem metade do valor do de um homem.

Alcorão Capítulo IV. Versículo 38 - "Os homens são superiores às mulheres, porque Deus lhes outorgou a primazia sobre elas. Os maridos que sofrerem desobediências de suas esposas, podem castigá-las: deixá-las sós em seus leitos, e até bater nelas".

O reformador da religião persa, Zaratustra, dizia que a mulher "deve adorar ao homem como à divindade. Nove vezes pela manhã, de pé ante o marido, com os braços cruzados, deve perguntar-lhe: Que desejais, meu senhor, que faça?" .

Também Buda, o Iluminado, fundador do budismo, dizia que: "A mulher é má. Cada vez que se lhe apresente oportunidade, toda mulher pecará"

O teólogo alemão Martinho Lutero (1483-1546), responsável pela Reforma Protestante, dizia que: "Não há manto nem saia que pior assente à mulher ou donzela que o querer ser sábia".

Também Henrique VIII (1491-1547), rei da Inglaterra e Chefe da Igreja Anglicana, criada por ele mesmo, fez seu Estatuto desta forma: "As mulheres casadas, as crianças, os idiotas e os lunáticos não podem legar suas propriedades"

Com exceção de alguns ramos do cristianismo em que existe até pastoras, mesmo assim em número bem inferior ao de pastores, as religiões sempre foram e ainda são machistas.

Deus foi inventado por machistas, por isto desde tempos remotos existe a descriminação da mulher. Existem referencias a bruxas, adúlteras, virgindade e não existem citações de bruxos, adúlteros ou homens castos.

A historia é rica em contar que reis, generais e imperadores possuíam haréns e escravas sexuais, mas de mulheres terem algo parecido nem pensar.

Quando os religiosos afirmam que as mulheres não são descriminadas em suas religiões e apontam elas usando toda sua liberdade para fazerem cafezinhos, limparem o chão e carregarem hóstias de cabeça baixa estão sendo hipócritas. Pois as religiões utilizam normas e doutrinas definidas exclusivamente por homens. As mulheres sempre estão ausentes dos cargos de maior hierarquia, pois os dogmas tem uma visão antropológica muito delimitadora para o sexo feminino, e usam isto como se fosse uma determinação divina intocável. E para felicidade deles e surpresa numa época de libertação como o século 21, são aceitas pelas “ovelhas” de Deus.

O inicio da lenda do cristianismo já mostra bem o papel da mulher, pois foi Eva quem induziu o tolo Adão a comer a maçã, enganados pela cobra falante. Portanto a mulher foi culpada desde o inicio. Por isto eles foram expulsos do Paraíso e todos os viventes nascem, até hoje, com um pecado tipo defeito de fábrica chamado “pecado original”.

O mito da Virgem Maria é um exemplo de resignação aos ditames de Deus. Foi mãe exemplar (na visão da Igreja logicamente), pois foi pura, não cometeu pecado (pecado???) e exerceu a função da maternidade de forma assexuada através de uma “iluminação divina” pelo Espírito Santo, de forma que nunca sentiu prazer sexual.

Steve Jobs, o grande visionário da Apple, fez um discurso aos formandos da Universidade de Stanford, que é um verdadeiro legado, vale a pena lerem completo, onde tem uma frase que diz:

“Não se deixem aprisionar por dogmas - isso significa viver sob os ditames do pensamento alheio”.

Esta frase serve para homens e mulheres, mas principalmente para as mulheres quando estes dogmas forem criados por homens e para homens.


Tags: Carlos Mello, artigo


Carlos Mello é formado em Economia pela UFRGS, trabalha com Avaliações Financeiras e Cálculos Periciais. Reside em Porto Alegre.

Email: carlosmello@ufrgs.br
Telefone: (51) 99113-2232




Opinião do internauta

  • Maria Gourgues (17.10.2011 | 11.07)
    Estudei anos em colégio de freiras. Elas existem para servir aos padres. Tem toda razão quando diz que não existe nenhuma feminista nas religiões, Na verdade o que existe sao escravas com roupas ridículas e todas com crises existenciais pedindo perdão pelos seus "pecados" e achando que tudo é pecado, resultado de uma ignorancia tribal.
  • Barros (13.10.2011 | 17.42)
    Excelente argumentação. E, sobre a Virgem Maria, é bom frisar que ela foi estuprada por Deus. É isso mesmo: es-tu-pra-da. Claro que os cristãos vão discordar disso, mas é só porque eles não leem o seu próprio livro sagrado. Digite no Google: "A cobiçada vagina de Nossa Senhora".
  • Seila Albornoz (13.10.2011 | 11.37)
    Bom dia colunista Mello, aprecio muito seus comentários. Seguidamente os levo para reflexão e para exercíco de síntese, em sala de aula. Seguidamente gera polêmica o que é ideal para falar sobrea construção do pensamento. Cumprimentos. Seila A.
  • Resposta do Colunista:
  • Resposta do Colunista:
  • Resposta do Colunista:

    Que bonito estímulo Sheila.

    Muito obridado. Beijo.

Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 22.05

  • Dia das Comunidades Eclesias de Base
  • Dia de Santa Rita de Cássia
  • Dia do Apicultor
  • Dia do Hóquei sobre Patins
  • Dia Internacional para a Diversidade Biológica (ONU)
  • Festival de Rosália, em honra das deusas Flora e Vênus (mitologia romana)
  • Santa Júlia de Cartago, virgem e mártir
  • Santa Quitéria, uma santa virgem e mártir do século V