Últimas notícias

Colunistas

RSS
A Ilógica idéia de Deus.

Carlos Mello

02.11.2011

A Ilógica idéia de Deus.

Se és um crente que apesar de acreditar em Deus também procura questionar o que te ensinaram, continue a ler. Mas se és daqueles que preferem fechar os ouvidos para não escutar algo que contrarie tua fé, que é a mesma coisa que evitar de pensar, não continue, procure algo mais útil na tua concepção, como a própria bíblia. Não esquece de perguntar aos entendidos qual capítulo que é bom ler, porque se escolher algum por conta própria poderá se deparar com trechos que vão contrariar o que te ensinaram e correrás o risco de virar um agnóstico.

Primeiro esclarecer três dogmas que são repetidos à exaustão pelos religiosos e que são inerentes a infinita bondade de Deus que são:
Onipotente: Que PODE TUDO; todo-poderoso, ou seja, pode fazer o que quiser.
Onipresente: Que está ao mesmo tempo em TODOS OS LUGARES.
Onisciente: Que SABE TUDO, incluindo o futuro.

Se Deus é poderosíssimo então como existe o diabo? Deus não conseguiu acabar com ele?! Pois o Diabo existe e deve ser responsável pelo surgimento do ateísmo, por exemplo, e Deus não consegue vencê-lo ou sequer detê-lo?
Existem três hipóteses como resposta:
1. Deus não é nada poderoso.
2. Deus não quer acabar com o diabo.
3. Deus não existe

Se Deus é Onipresente, então ele tem que estar no inferno também, pois estar em todo lugar inclui obviamente o inferno. Se estiver no inferno então ele escuta os gritos alucinantes das almas sendo queimadas, e não faz nada? Não lhe atinge em nada?

Também existem três hipóteses como resposta:

1. Deus NÃO está no inferno, então NÃO É ONIPRESENTE coisa nenhuma
2. Deus é ONIPRESENTE, então assiste tudo, logo não tem nada de misericordioso, é cruel e sádico.
3. Deus não existe

Se Deus é Onisciente, então logicamente sabe antecipadamente tudo da vida dos Sete Bilhões de seres vivos da terra, estou me referindo somente aos humanos. Então ele já sabia que Eva iria comer a fruta proibida, logo iniciou seu reinado com uma armadilha. Também não existe nada de livre arbítrio, pois ele está sabendo antecipadamente de tudo.

Considerando três hipóteses como resposta:

1. Deus é realmente ONISCIENTE, então não existe livre arbítrio. Não tem sentido existir livre arbítrio se o futuro está pré-determinado.
2. Existe sim o livre arbítrio, neste caso Deus não tem NADA de ONISCIENTE.
3. Deus não existe

Se tu gostas de crendices e não usas a faculdade de pensar sobre o que te ensinaram no catecismo, continues rezando o rosário olhando para o teto, pois é compreensível esta atitude devido a fé. Afinal tem quem afirme que até conversa com Deus. Como neste caso é uma entidade comprovadamente existente, não precisa tomar nenhum remédio, se não fosse isto teria que se submeter a um tratamento psiquiátrico.

Também existem algumas hipóteses:
1 - Deus existe sim e não preciso de provas para acreditar.
2 - Deus é tudo e muito mais. Fé não precisa ser comprovada
2 - Lógica é coisa do diabo e quem a utiliza vai para o inferno.

Mesmo assim, TENTE pensar a respeito. Até é bom aproveitar, porque estamos no século 21 e pensar não é mais punido com a morte, como a Santa Madre Igreja fazia tempos atrás.


Tags: Carlos Mello, artigo


Carlos Mello é formado em Economia pela UFRGS, trabalha com Avaliações Financeiras e Cálculos Periciais. Reside em Porto Alegre.

Email: carlosmello@ufrgs.br
Telefone: (51) 99113-2232




Opinião do internauta

  • alexandre correa (07.11.2011 | 21.47)
    Caro Carlos Melo, respeito tua posição confessional em não crer em Deus, e em propagar o ateísmo... Mas essa tua posição é de certa forma limitada, pois até mesmo para seres ateu, como dás a entender que és, tens de ter uma boa dose de fé, quiçá maior que um crente. Por exemplo, crer que o universo, a natureza, a beleza de um por de sol, o planar de uma águia, um sorriso de uma moça bonita, tudo isso, surgiu do acaso de uma explosão denominada big bang, pura obra do acaso, sem a menor interferência de um ser inteligente, criativo e bem humorado. Lamento te dizer, Mello, mas és mais crente que eu.
  • José Waloter Maciel Lopes (07.11.2011 | 11.00)
    A.n.s. de vez em quando é importante que alguém se atreva escrever contestando aquilo que é um assunto praticamente esgotado e que alguém, se dizendo pensante, arrisca-se publicar e ganhar as manchetes. Primeiro faz-se necessário dizer que nosso articulista, tão desconhecido como nós, economista e perito, só pode estar fazendo conjuminações e deduções que busca uma lógica na sua maneira de pensar muito própria dos ateus. Segundo que a melhor coisa que pode existir para o ser humano é poder encontrar a paz que, querendo ou não, o articulista sequer referencia e por certo não encontrará melhores exemplos do que a história de Cristo. Aliás, só quem lê com os olhos de quem tem amor no coração sente. Terceiro, nada mais importante para o frágil ser humano do que ter um Deus para entregar seus problemas nos momentos difíceis da vida. Quarto, para fazer um registro de que dois amigos ateus dos mais próximos que tive coincidentemente tentaram se matar no mesmo ano. Um acabou morrendo logo em seguida e o outro passou acreditar em Deus. Quinto, para consignar que para um simples, despretensioso trabalhador e que se alguma coisa sabe melhor, ainda que realmente pensando mais no próprio trabalho, por certo o que mais me convém é não seguir as exceções.
  • Manfredo Carlos Naschold (05.11.2011 | 16.55)
    Desculpe sair fora do tema, mas li estarrecido na ZH do dia 04/11: 'FAMILIA NÃO PODE SER SEPULTADA JUNTA' Por um impasse religioso,o evangélico luterano Ireineu Wasen,60 anos, teve de ser enterrado fora do cemiterio do municipio de Poços das Antas, onde a mulher.... e a sogra, foram sepultadas. Os três morreram em acidente de transito..... ...A filha de Irineu, queria que todos fossem lico em `Poços das Antas sepultados no Cemitério Católico.... Porem, só elas puderam ser enterradas no local.... De acordo com o padre João Paulo Schäfer, responsavel pela paróquia e pelo cemiotério catolico, Irineu era evangélico e portanto, não poderia ser enterrado junto à mulher. É uma norma da igreja que não podemos quebrar. Só poderemos sepultar em nosso cemitério pessoas católicas que contribuem e estejam em dia com a TAXA ANUAL.... Disse o padre, que ainda afirmou que não poder abrir exceções. Evangélico foi enterrado em Teutônia com os avós..... Este padre deveria ser expulso da paróquia. Isto é ser cristão católico ? Não pode ser padre em lugar nenhum ! Eu teria enterrado os três no cemitério evangélico, que não tem a mesma opinião do padre João Paulo. É o fim !
  • Cesar Rien (04.11.2011 | 10.20)
    Sr. Carlos Mello: O ilustre filósofo teísta William L. Craig argumenta da seguinte forma: “O Argumento Cosmológico da Contingência possui várias formas. Aqui está uma versão simples da famosa versão desse argumento: 1- Tudo que existe possui uma explicação para sua existência, seja na necessidade de sua própria existência, seja em uma causa externa. 2- Se o universo possui uma explicação para sua existência, essa explicação é Deus. 3- O universo existe. 4- Portanto, o universo possui uma explicação para sua existência (de 1 e 3). 5- Portanto, a explicação para a existência do universo é Deus (de 2 e 4). A premissa 2 é muito plausível por seus próprios méritos. Pense no que o universo é: toda realidade espaço-tempo, incluindo toda matéria e energia. Disto se segue que se o universo possui uma causa para sua existência, esta causa não pode ser física, material, espacial ou temporal. Ela deve ser não-física, imaterial e estar além do espaço e do tempo. Agora, existem apenas dois tipos de coisas que podem se encaixar nesta descrição: objetos abstratos como números ou mentes incorpóreas. Mas objetos abstratos não podem causar nada. Isto faz parte do que significa ser ‘abstrato’. O número sete, por exemplo, não pode causar efeito algum. Assim, se existe uma causa para o universo, ela deve ser uma mente transcendente e incorpórea, o que nós cristãos entendemos ser Deus. Embora a premissa 2 possa parecer a princípio ser controversa, o que é de fato incômodo para o ateu é que a premissa 2 é logicamente equivalente para a típica resposta ateísta ao argumento da contingência. (Duas proposições são logicamente equivalentes se for impossível a uma delas ser verdadeira enquanto a outra for falsa. Elas ficam de pé ou caem junto.) E o que os ateus quase sempre dizem em resposta ao argumento da contingência? Eles tipicamente afirmam o seguinte: A. Se o ateísmo é verdadeiro, então o universo não possui explicação para sua existência. Uma vez que, no ateísmo, o universo é a realidade última, ela então apenas existe como um fato bruto. Mas isso é logicamente equivalente a dizer que: B. Se o universo possui uma explicação, então o ateísmo não é verdadeiro. Assim, você não pode afirmar (A) e negar (B). Mas (B) é virtualmente um sinônimo da premissa 2! (Faça a comparação.) Desta forma, ao dizer que, dado o ateísmo, o universo não possui explicação, o ateu está implicitamente admitindo a premissa 2: se o universo possui uma explicação, então Deus existe.” – William Lane Craig, O Novo Ateísmo e Cinco Argumentos Para a Existência de Deus, tradução de Eliel Vieira, copyright 2010 by Christ on Campus Initiative (CCI). É claro que a argumentação de um filósofo profissional somente pode ser avaliada por outro filósofo profissional e não por amadores. Att., César Rien.
  • Resposta do Colunista:

     Ateísmo é uma posição referente a coisas divinas, sem comprovação, questionáveis, que nos ensinaram desde o nascimento. Todas estas cenas lindas que citastes também poderia citar outras não maravilhosas como algumas da cadeia alimentar que sustenta a vida, de doenças, injustiças que, pelos dogmas ensinados, também são de responsabilidade divina.
    Mas tens razão quando dizes que sou talvez mais crente que tu, realmente tenho fé no piloto do avião, no médico, na ciência, em tudo que posso comprovar ou que existam evidencias. Mas é diferente da fé religiosa.
    Obrigado.

  • Resposta do Colunista:
  • Resposta do Colunista:

     Belo exemplo de tolerância cristã, os religiosos conseguem separar até as pessoas mortas. Isto que o falecido acredita no mesmo Deus. Imagina se fosse alguém sem credo, ou se todos os cemitérios fossem religiosos.
    Na missa esse padre deve dizer que todos são filhos de Deus.
    Se o Estado fosse realmente LAICO não existiria cemitérios confessionais.
    Obrigado Manfredo.

  • Resposta do Colunista:

     Olá Cesar. Embora discorde das tuas argumentações, acho que são fáceis de entendê-las. Sem qualquer problema.
    Também discordo de que a argumentação de um filósofo só poder ser avaliada por outro filósofo. Senão uma área como a filosofia, que é para ser ampla e bastante divulgada seria uma área fechada. Inclusive é uma disciplina de colégio. Até acho que a filosofia deveria substituir as aulas de religião.
    Obrigado pela participação.

Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 23.03

  • Dia de São Turíbio de Mogrovejo
  • Dia Mundial da Metereologia
  • Páscoa