Últimas notícias

Colunistas

RSS
Cotas racistas – Um premio à incompetência.

Carlos Mello

02.05.2012

Cotas racistas – Um premio à incompetência.

Qualquer grupo que assume precisar de algum artifício para ter condições de competir numa área intelectual está explicitamente concordando que não tem a mesma qualidade dos concorrentes normais, que estão em outra escala. Nenhum teórico cotista racista pode negar isto, senão para que cotas? Porque são melhores ou mais inteligentes? Obviamente que não.

Os judeus e israelitas são um bom exemplo, foram perseguidos e injustiçados muito mais que qualquer outro grupo na história da humanidade, no entanto é inimaginável eles pensarem em pedir algum tipo de vantagem artificial para competir em alguma área. Pelo raciocínio dos racistas, eles devem ser superiores aos comuns, pois teriam mais direito que qualquer outro grupo. Então existem os inferiores, os comuns e os superiores? Esta é a lógica das cotas. Pelo menos são honestos ao se colocarem na posição certa.

Os governantes adoram distribuir benesses à custa de uma população de maioria ignorante, e dessa forma suas decisões raramente são inteligentes, principalmente vindo de um governo exageradamente populista, como o atual, que cria todo tipo de bolsa demagogia. Nessa linha de filosofia acabaram arrombando as portas das universidades em detrimento da meritocracia, já que os mais eminentes representantes do judiciário conseguiram não ver que discriminação pela cor da pele é inconstitucional.

São tão guardiões da Constituição como os políticos são dos cofres públicos.

Os espertos racistas cotistas fazem referencia a uma "dívida histórica". Isto é uma retórica que demonstra um ranço de recalcados. É argumento de debilóide achar que um branco atualmente seja culpado pela escravidão de desconhecidos num longínquo passado. Isto até parece coisa de religião que apregoa que toda a humanidade é culpada pelo pecado de Eva.

E risível usar o que aconteceu há séculos atrás para encobrir a incompetência (ou interesse) do governo não ter investido no ensino básico, que seria a forma correta de dar a mesma oportunidade para todos. Ao invés disso, criam uma injustiça acabando com a honestidade do vestibular, o que certamente criará um acirramento entre os injustiçados, pois este sistema de cotas raciais é uma fomentação do racismo, anulando os verdadeiros valores ao considerar algo supérfluo como a cor da pele.

Certamente no futuro vai haver mais consideração ao se usar o serviço de alguém que possa ter vindo de alguma área com cotistas, pois ali pode estar alguém cuja confiança é questionável devido não ter tido capacidade de chegar a algum posto exclusivamente por seus méritos. Precisou usar a bengala da cota racista. A não ser que no seu diploma conste a observação: “Este profissional não utilizou cotas”.

Eu estudei em internato, depois em colégios públicos, gastava mais metade do que ganhava para fazer cursinho, com isso passei numa Universidade Federal.
Queria ver algum teórico desta forma de racismo explicar porque eu seria preterido por alguém que estudou menos ou tinha menos capacidade, só porque tem a cor diferente? Isto seria justo? Que eu e outros na mesma situação tem a ver com a escravidão? Nunca tivemos escravos.

Imagino quando esses cotistas entrarem na sala de aula e encontrar o olhar dos colegas pensando: Que nota ele deve ter tirado? Quem deve ter sido prejudicado para ele estar aqui? Porque unicamente pela sua competência intelectual não estaria ali. Teoricamente pode alguém com direito não utilizar, embora até agora não vislumbrei nenhum negro falar contra as cotas.

Nos grandes meios de comunicação só aparece as opiniões de quem aprova, e em qualquer discussão, quando os favoráveis às cotas escutam opiniões diferentes das suas e não conseguem debater visto não existir argumentos sustentáveis para isso, fogem do debate e ironicamente usam a hipocrisia apontando os que não concordam com este absurdo como racistas. De preferência até ameaçando de alguma forma. Eles estão confundindo o deplorável sentimento racista com o de discordar de uma idéia tola.

Os magistrados têm uma qualidade inegável, refletem exatamente o pensamento da maioria do povão passivo e babaca que sustenta aquele reino: A esperteza em primeiro lugar.


Tags: Carlos Mello, Ateu, ateísmo, religião


Carlos Mello é formado em Economia pela UFRGS, trabalha com Avaliações Financeiras e Cálculos Periciais. Reside em Porto Alegre.

Email: carlosmello@ufrgs.br
Telefone: (51) 99113-2232




Opinião do internauta

  • Evaldo de Jesus Oliveira (08.07.2015 | 08.59)
    Carlos. Concordo com você, pois a escravidão é histórica e independente de raça ou cor de pele, pois foi praticada por quase todas as civilizações, inclusive pela a africana. No entanto, acho que vale lembrar, que as cotas aqui, não são apenas pela cor da pele e sim, pela condição social, esta que impede que se pratique de forma mais justa um sistema meritocrático. Os estudantes das periferias, que são os principais beneficiados, na sua grande maioria, negros e pobres, diga-se de passagem ,oriundos de escolas públicas, de baixa para péssima qualidade, quase sempre não conseguiam competir de forma com as classes mais estruturadas da sociedade. Ao meu ver, o certo seria os governos investirem no ensino de base, mas mesmo se o fizessem, os resultados seriam à médio e longo prazo. Enquanto isso, temos, nós como sociedade, necessidades mais urgentes, como diminuir as desigualdades sociais que excluem milhões de jovens de cursarem o ensino superior. Para diminuir essa distorção, penso que o sistema de cotas, que não cai do céu, o aluno também presta vestibular e precisa entre outras coisas, atingir nota de corte, vem de encontro a estas necessidades. Esse sistema só existe porque ainda não criamos condições IGUAIS para TODOS. Parabéns pelos textos. Realmente nos fazem pensar.
  • Evaldo barbosa (25.03.2015 | 20.02)
    eu jamais tomaria uma coca cola se ninguem fizesse propaganda dela,o racismo so existe por causa da propaganda,experimente criar seu filho junto com um amiguinho negro,e nunca diga a ele nada sobre esses movimentos,sobre racismo,eu duvido que algum dia ele va descriminar o amigo dele.
  • Valéria (17.06.2014 | 10.30)
    Gostaria de saber se algum de vocês que escrevem nesta coluna são negros, ou são casados com algum negro????
  • Vanessa (18.05.2014 | 10.49)
    Judeus, mas perseguidos do que negros faça-me rir! Mais uma prova de racismo.
  • Marilda Martins Mendes (05.05.2012 | 06.52)
    Desde quando iniciaram esta Campanha "Cotas Racistas" achei e continuo achando que é + um grande e ferrenho racismo, pois mostra oficialmente que os negros são pessoas inferiores. E isto pra mim não é verdade. Os negros sempre humilhados e nunca tiveram uma chance de verdade. Haja vista a Educação fundamental como é. Se o governo desse chances reais para a ensino infantil e fundamental fosse de qualidade. TODOS teriam CHANCES IGUAIS, sem precisar cotizar NINGUÉM.
  • Resposta do Colunista:

    Evaldo

    Concordo contigo que o ideal deveria ser que TODOS tivessem a mesma chance de estudar em condições iguais, seria realmente uma meritocracia, pois que vem de lares pobres tem muito menos chance. Até acho que o verdadeiro capitalismo é ter pessoas que sejam diferenciadas pelo seu potencial DESDE QUE tenham a mesma chance de estudar, porque quem trabalha, estuda e vem de um lar pobre, tem muito menos chance de concorrer com quem só estuda e vem de uma família bem estruturada.

    Mas isto é impossível de se alcançar com a atual taxa de fertilidade.

    Para melhorar bastante se deveria investir no ensino, logicamente que demora a aparecer resultados, mas isto não justifica alguém passar na frente de outros por algo que não seja seu mérito. As cotas são baseadas na cor sim, é puro racismo. Atualmente estão promovendo cotas por outras razões, mas são simplesmente para diminuírem as críticas.

    Obrigado pela participação.

  • Resposta do Colunista:

    Evaldo, estás certíssimo. Tudo é educação.

    Até com os animais é assim, um PitBull pode conviver perfeitamente com crianças, ou então mata-las. Imagina então com os humanos.

    Obrigado pela participação.

  • Resposta do Colunista:

    Com absoluta certeza, se alguém que aqui escreve ou em qualquer outro lugar for casado com negro, pode ter certeza que foi por competência e não foi escolha baseada em algum tipo de cota.

     

    A verdade é que este tipo de preocupação, querer saber qual a raça de um parceiro, e coisa exclusiva de racista. Como nunca tive esta preocupação não sei responder.

     

    As cotas racistas são para os incompetentes, pois nem todos os negros se enquadram nisso, na verdade são uma vergonha para os negros competentes.

  • Resposta do Colunista:

    Devias estudar um pouco mais de história.

    Os negros somente foram escravisados, pelos prórpios negros, e entregues aos brancos na época das colonizações

    Vanessa Devias estudar um pouco mais de história.

    Os negros somente foram escravizados, pelos próprios negros, e entregues aos brancos na época das colonizações da América, a partir de 1850 acabou o comércio de escravos e logo depois acabou também a escravidão.

    Os judeus há milhares de anos foram perseguidos e só depois da segunda guerra é que, devido a criação de se Estado, deixou de ser perseguido, mesmo assim está cercado de inimigos criminosos e invejosos, e só não são mais perseguidos porque se defendem muito bem.

     

  • Resposta do Colunista:

     Marilda, também concordo que é racismo estas cotas, tanto que é baseada na cor da pele.
    É uma pena que os negros competentes estarão sendo apontados como incompetentes junto aos negros racistas.
    Obrigado.

Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 19.03

  • Dia da Escola
  • Dia de São José (feriado municipal em Fortaleza - CE)
  • Dia do Carpinteiro e Marceneiro
  • Dia do Diplomata
  • Dia do Funcionário Público Municipal
  • Dia dos Moribundos
  • Dia Mundial do Artesão