Últimas notícias

Colunistas

RSS
Os espertos cariocas

Carlos Mello

12.12.2012

Os espertos cariocas

Em todo grupo humano sempre existem os espertos e também, inevitavelmente, existem os otários. Nesta nossa terrinha temos os cariocas como os espertos e o resto dos brasileiros como otários.

O pessoal do Rio de Janeiro sempre considerou o resto do Brasil como uns manés, e com razão. Conseguiram convencer aos outros que a sua música, tipicamente carioca como a Bossa Nova, Samba e ultimamente o horrendo Funk, são musicas brasileiras (MPB) e o resto é música gaúcha, baiana, nordestina, etc...

Sempre a custa de TODOS os manés eles espertamente conseguem vultosos investimentos para sediarem jogos Pan-americanos, Olimpíadas, visita de Papas, reunião de ridículos ambientalistas e outros bizarros encontros.

A geração de energia elétrica principal do Brasil, que é Itaipu, fica no Estado do Paraná, mas sabem onde é a sede da Binacional Itaipu, se pensaram no Estado mais esperto da Federação acertaram.

A Usina de Furnas fica em Minas Gerais, mas a sua sede é onde? Sim, lá também.

O Rio de Janeiro não produz minério de ferro, é todo produzido em Minas Gerais, mas indo contra toda economia de escala, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) foi criada e tem sua sede no Rio de Janeiro, com todas as vantagens em impostos e empregos e ganhando os royalties advindos de tal exploração. Será que Minas não teria condições de administrar seu próprio minério?

Assim eles espertamente tem as sedes das principais companhias de petróleo, de telefonia, além do maior conglomerado de empresas de mídia e comunicações da América Latina, que podem enaltecem as coisas boas da cidade através de novelas e reportagens, Até se auto intitulou “cidade maravilhosa”.

Minas Gerais junto com o Pará são os maiores produtores de minério de ferro do Brasil, mas os royaties destas companhias vão para o Estado dos espertos e os mineiros e paraenses ficaram com a devastação ambiental.

E olhem que estou falando de matérias primas que estão SOB O SOLO deste Estados.

Com a descoberta do pré-sal pelo governo Mula, que vai transformar o Brasil no primeiro produtor mundial e baixar o preço da nossa gasolina tornando-nos finalmente um País de primeiro mundo. (É ironia pra quem não entendeu).

Quem não se engasgou com a frase acima, faço a correção: O Pré-Sal já é conhecido há pelo menos trinta anos, nada de novo, a diferença é que o governo Mula usou esta informação como sendo um mérito seu e assim, junto com outras mentiras, foi usado para iludir o populacho tolo nas eleições.

Também a “riqueza” do pré-sal é mais propaganda, só lembrando que ainda não foi retirada nenhuma gota de petróleo desta camada, então não apenas ainda não existe como pode nunca serem encontrados os bilhões de barris alardeados. Pois existem muitos desafios tecnológicos para sua extração comercial ser viável.

Mas esse intróito é para mostrar que mesmo com esta propaganda enganosa do pré-sal os espertos cariocas, junto com os espírito- santenses, que se chamam de capixabas, estão se agilizando contra a inteligência dos manés de forma descarada.

Eles, usando a maior cara de pau que o Brasil pode produzir, estão se apresentando como donos da faixa de oceano do Brasil se auto-proclamando “Estados produtores”, e mais surpreendente é que nem é de seu subsolo, como os minérios de Minas, Amazonas e Pará, o petróleo é extraído há centenas de Kilometros, em alto mar.

Estado produtor? Estados não produtores? Como assim? Então não é mais a União quem produz?

O petróleo de alto mar não é de TODOS OS BRASILEIROS?

Se estes Estados ditos “produtores” fossem separados do Brasil, o que eu apoiaria com entusiasmo porque daria a chance de nós aqui do Sul nos separarmos também, então seriam Países produtores, mas atualmente são produtores de espertezas e não de petróleo.

O governador do Rio fez drama alertando para um possível comprometimento de projetos de grande visibilidade (visibilidade para o Rio), entre eles a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Como isso parece piada, eu aconselharia iniciar um movimento “Fora Copa” e “Fora Olimpíadas”, com objetivo de ajudar o Rio e principalmente o Brasil.

Queria avisar aos moradores dos “Estados produtores” que os cidadãos do resto deste País não estão mais tão manés como julgam e, principalmente e também infelizmente, vivemos numa confederação. Por isto não vai ser tão fácil aplicar um embuste deste tipo numa época de farta informação.


Tags: Carlos Mello, artigo


Carlos Mello é formado em Economia pela UFRGS, trabalha com Avaliações Financeiras e Cálculos Periciais. Reside em Porto Alegre.

Email: carlosmello@ufrgs.br
Telefone: (51) 99113-2232




Opinião do internauta

  • W. Silva (05.04.2015 | 23.53)
    Mais um brasileiro querendo se meter em um assunto que não lhe diz respeito! Você não conhece nada sobre o Estado do Rio, no máximo deves conhecer somente o personagem da disney, já que encheste o espaço para mais profunda diarreia pseudointelectual. Os royalties são do rio sim, e se o brasil se levantou contra nós, não resta outra saída que não seja a separação deste. Leve as sedes das empresas que quiserem: bndes, vale, etc. pois acredito que será bem difícil para os mineiros administrarem tal empresa, já que a mão de obra qualificada está aqui. Você é apenas um mané (sim, neste quesito os cariocas estão certos sobre vocês) e preconceituoso; mas nós também sabemos ser "preconceituosos"
  • Felipe (19.04.2013 | 23.24)
    Meu caro colunista, finalmente achei um ser humano que pensa e não tem medo de expor as idéias! Eu como bom mineiro que sou, não vejo a hora de ver o Rio afundar em sua própria lama negra de petróleo. A grande vantagem é que vou estar a 858m a nivel do mar assinstindo de camarote!.. Grande abraço!
  • Alberto Muller (14.12.2012 | 18.40)
    Gostei da sinceridade,afinal estamos dando muita moleza para aqueles dois Estados que junto com Brasilia, são os buracos negros dos recursos brasileiros. Estes poços são quasena Africae eles se dizem Estados produtores. Muito bom.
  • Resposta do Colunista:

    W.Silva, eu teria grande satisfação de não ter nenhuma relação com o Rio de Janeiro, mas como este Estado sempre busca recursos oriundos de TODOS os brasileiros, como para as drogas de Estádios de Futebol, Olimpíadas, até para visita Papa, tenho o direito de me meter sim, pois sou dos que pago à força estas despesas por conta de pertencer a uma droga de federação.

    Os royalties SERIAM do Rio se fosse separado do Brasil, o que acho uma maravilhosa ideia, pois aqui no RS também queremos nos ver livre desse gigantismo imprestável. Então façam alguma coisa para se libertarem.

    Essa de que os mineiros não saberiam administrar suas empresas deve ser piada, ou acreditas mesmo que somente os espertos cariocas sabem administrar as empresas dos outros? É muita pretensão.

    E assumiria ser mané se aplaudisse as carioquices à custa do brasil, mas não, faço o contrário.

    Obrigado pela participação. 

  • Resposta do Colunista:

    Felipe, o Rio não tem petróleo, ele está no mar bem longe dos cariocas. Se fosse na Baia da Guanabara, assim como vocês mineiros tem as minas, até poderiam dizer que tem petróleo dentro de seu Estado, mas nem perto disso.
    Só estão tentando aplicar sua tradicional malandragem para o resto do Brasil, que eles acham que são uns “manés”.

    Obrigado.

  • Resposta do Colunista:

    Pois é Roberto, a imprensa em geral, não aborda o assunto por achar que é deselegante reclamar de um Estado da Federação, enquanto isto eles sem qualquer consideracao vão se apropriando do que não é deles e ainda se paresentam como Estados Produtores.

Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 18.01

  • Dia de Santa Marta
  • Dia do Terapeuta Ocupacional
  • Dia Internacional do Riso
  • Elis para Sempre na Nossa Memória (Lei 1 POA)