Últimas notícias

Colunistas

RSS
Cartuchos de impressão – Um roubo à mão desarmada.

Carlos Mello

23.01.2013

Cartuchos de impressão – Um roubo à mão desarmada.

Imagine se comprar um automóvel e, ao encher o tanque pela segunda vez, já tivesse gasto o valor do automóvel? Absurdo? Mas na compra de cartuchos para impressoras isto é normal e poucos se dão conta disso.

A minha primeira impressora a jato de tinta, logo depois das matriciais, foi uma HP 500C, tinha um cartucho de 40mm. Lembro-me que não era barato, mas era possível trabalhar usando os originais. Atualmente uso uma multifuncional e o cartucho tem capacidade de 5mm. O custo deste cartucho original custa R$ 65.00, então o litro deste preciosíssimo líquido custa R$ 13.000,00 (Treze Mil Reais), ou R$ 13,00 a grama. Assim não tem como trabalhar. Estou me referindo ao preço da tinta preta, a colorida é mais cara ainda.

Fazendo um comparativo: O preço do litro é o mesmo que 10 Tvs de plasma ou 10 Notebooks ou 190gr de ouro.

Isto acontece com todas, tanto faz ser Epson, HP, Elgin, Lexmark ou outras, nada justifica preços tão altos a não ser uma margem de lucro altíssima para os fornecedores originais.

Nos últimos anos, os fabricantes de impressoras perceberam que, igual ao mercado de telefonia celular, se gasta mais nos insumos do que no hardware em si. Então apresentam propagandas mostrando o grande número de opções, desenhos, velocidade e resolução entre outros recursos e principalmente o grande chamarisco dos preços baixos. Com isto escondem um golpe nos consumidores que não atentam para um detalhe que em algumas semanas vão causar um susto: O preço dos cartuchos, que é um modo sutil de sermos assaltados por empresas que se apresentam como honestas.

Óbvio que a intenção é lucrarem muito mais com a venda de suprimentos do que com a de impressoras. Então para o custo beneficio ser atrativo não existe como fugir dos cartuchos recarregado que são até 1/5 do preço dos originais, pois tão importante quanto o preço das impressoras é custo/benefício da impressão por página.

As empresas logo perceberam que o ajustamento natural do livre mercado criou o recarregamento dos cartuchos, então contra atacam afirmando que os originais são melhores e que os recarregados estragam a impressora. É uma mentira, eu mesmo faço perícias e imprimo grande quantidade de laudos há mais de 20 anos, então minha experiência demonstrou que os reciclados duram e imprimem mais páginas sem qualquer estrago na impressora, são perfeitos.

O que nós, consumidores, temos que fazer é sacudir esse mercado, que opera vendendo impressoras a preços baixos e insumos a preços altíssimos, pesquisando a capacidade dos cartuchos. Se agirmos assim, logo as empresas se adaptarão ao gosto do mercado terminando com esta exploração que, por enquanto, estamos nos adaptando com bons cartuchos recarregados e não caindo no conto furado de que só os originais são bons.


Tags: Carlos Mello, artigo


Carlos Mello é formado em Economia pela UFRGS, trabalha com Avaliações Financeiras e Cálculos Periciais. Reside em Porto Alegre.

Email: carlosmello@ufrgs.br
Telefone: (51) 99113-2232




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 13.08

  • Dia de Santo Hipólito
  • Dia do Anjo Vehuiah
  • Dia do Azar
  • Dia do Economista
  • Dia dos Encarcerados
  • Dia Internacional dos Canhotos