Últimas notícias

Colunistas

RSS
Falkland Islands (Ilhas Malvinas não existe)

Carlos Mello

20.03.2013

Falkland Islands (Ilhas Malvinas não existe)

É possível imaginar duas nações decidirem sobre a posse de um território excluindo a população que reside na área há 180 anos? É possível imaginar isto em pleno século 21, com todas as nações já tendo suas áreas definidas?

Pois, na imaginação do governo argentino isto é possível, parece piada, mas sabendo que haveria um plebiscito com a população das Ilhas Falklands, pediram uma audiência com o governo da Inglaterra que aceitou desde que tivesse também uma representação dos habitantes das Falklands. Como nestas ilhas até os pinguins sabem que a população quer ver os argentinos bem longe, eles esqueceram completamente do que seja autodeterminação. “A autodeterminação não se aplica às Malvinas”, comunicou o ministro das relações exteriores da Argentina, Héctor Timerman.

O plebiscito foi realizado 11 de março, segunda passada. A opção pela escolha de os argentinos governarem a ilha foi de 0,2%. Mesmo com essa demonstração de ojeriza, o governo dos vizinhos insiste em quererem negociar o impossível.

Nesta insistência, mesmo sabendo que é somente para consumo interno, promoveram o ridículo de a melancólica presidenta argentina ir pedir ajuda ao Papa Francisco Primeiro para ajudar sua pretensão de força os ilhéus, mesmo não querendo, que troquem seus passaportes britânicos por argentinos.

Como a nação argentina, junto com a brasileira, são as duas mais católicas ainda existentes, por esta razão escolheram um papa dessa região, a mandatária deve estar tendo alguma alucinação pedindo a um representante de um ser imaginário e chefe de um Estado de brincadeira por uma coisa que não existe, que é um milagre.

Historicamente a Argentina diz que a soberania inglesa é discutível. Mesmo que se desconsiderasse completamente a situação atual, a nação vizinha alega que em 1833, a Inglaterra invadiu e expulsou os habitantes argentinos das ilhas. O que não é verdade, pois as Falklands, e a própria Argentina, foram produtos de escaramuças entre a Espanha e a Inglaterra: A Argentina se independeu da Espanha em 1810, mas as Falklands prosseguiram como protetorado inglês. Em 1833, há 150 anos, a Argentina tentou pela primeira vez tomar a força as ilhas. Os ingleses rechaçaram o ataque e expulsaram os argentinos de volta ao continente. A população das Falklands foi sempre formada por emigrantes da Inglaterra, França, Gibraltar e dos países escandinavos. Jamais da Argentina.

Então, gostando ou não dos nossos hermanos, temos que usar o termo correto quando nos referirmos aquelas ilhas, são Falkland Islands e não Malvinas.


Tags: Carlos Mello, artigo


Carlos Mello é formado em Economia pela UFRGS, trabalha com Avaliações Financeiras e Cálculos Periciais. Reside em Porto Alegre.

Email: carlosmello@ufrgs.br
Telefone: (51) 99113-2232




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 20.05

  • Dia da Ascensão do Senhor
  • Dia da Congregação Mariana
  • Dia de Mjollnir, o martelo mágico de Thor, o deus dos trovões (Mitologia Nórdica)
  • Dia de São Bernardino de Sena
  • Dia do Comissário de Menores
  • Dia do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)
  • Dia Nacional do Medicamento Genérico