Últimas notícias

Colunistas

RSS
Nazismo e Fascismo eram de Direita ou de Esquerda?

Carlos Mello

16.07.2015

Nazismo e Fascismo eram de Direita ou de Esquerda?

Esta é daquelas ideias que nenhuma filosofia quer assumir a paternidade, e alguns grupos, para não serem associados ao Nazismo e Fascismo, usam a estratégia de mentirem ou falsificarem fatos de como funcionavam estas filosofias ditatoriais e perdedoras. O que se tratando de um povo sem cultura, formado por analfabetos funcionais e que ainda veneram deuses, isto fica muito facilitado devido ao quase nenhum discernimento para as pessoas mais simples analisarem criticamente.

Felizmente o atual aumento e a disponibilização de informações de todas as formas tem ajudado a erradicar a ignorância generalizada, o que acaba sendo motivo de preocupação para governos que dependem de quantidade de eleitores e não de qualidade. Por isto tentam controlar e monopolizar as informações para imporem seu ponto de vista, que neste caso sobre o Nazismo e Fascismo chegam a distorcer bastante a realidade.

Primeiro alguns conceitos, na verdade explicações sucintas, bem sucintas, destes regimes.

O que determina se um regime é de direita ou esquerda é sua Política econômica, Tamanho do Estado, Nível de ingerência na economia, Carga de impostos e afinidades com outros países, etc.

Existem várias denominações que prejudicam o entendimento dos menos informados e facilitam “interpretações” e disseminação de falsas verdades como: Direita, Esquerda, Capitalismo, Liberalismo, Conservadorismo, Ditadura, Teocracia, etc.

Não abordo extremismos de esquerda ou direita por serem ideologias até muito parecidas, ambos são ditaduras com atuação estatal forçando um igualitarismo de comportamento tentando transmutar toda uma sociedade numa militância imbecilizada.

Até acho que estrema esquerda tem nada a ver com Esquerda assim como Extrema Direita também tem nada a ver com direita.

Para quem vem de um ambiente matemático seria fácil de mostrar que estes conceitos são conjuntos que podem se apresentar com várias intensidades de Uniões, e Intersecções.

A ESQUERDA se caracteriza pelo discurso de eliminação das desigualdades sociais e para isso usa instrumentos como programas sociais de várias formas. Possui um apelo popular com a promessa de o Estado ser o provedor de todas as necessidades. Como consequência suas politicas necessitam ter um Estado grande para controlar a economia e poder interferir ativamente em todos os setores da vida social, colocando a busca pelo ideal igualitário acima de outras considerações de ordem moral, cultural, patriótica.

Estes governos usam empresas estatais para controlar a economia, usam sindicatos servis para dominar os trabalhadores. Suas políticas são geralmente baseadas em Leis que OBRIGAM ou PROIBEM o que lhes interessa. E pelo gigantismo estatal, tem uma tendência a comportamentos ditatoriais.

A direita tende a favorecer a liberdade de mercado independente da intervenção do Estado porque acredita que é o modo mais eficaz de ajustar o necessário equilíbrio dos mecanismos de oferta e demanda. Entendem que o mercado, ao contrário do governo, é eficaz tanto na racionalização da escolha da produção de bens quanto na distribuição da riqueza gerada. Defende os direitos individuais contra a intervenção Estatal e incentiva as diferentes aptidões e talentos pelo mérito, por isto entende que o mercado irá diminuir as desigualdades gradativamente, mas como é uma coisa natural devido as diferentes capacidades pessoais, considera uma utopia sua completa eliminação.

Com essa busca pelo liberalismo, que é uma mínima regulação do nível de atividade econômica, defende que o Estado seja pequeno para que o mercado possa funcionar corretamente. São contra a existência de Empresas Estatais, Monopólios e Oligopólios.

Com isto voltemos à Alemanha Nazista e a Itália Fascista.

O nazismo e o fascismo tinham diferenças, mas em linhas gerais eram semelhantes.

Tanto na Alemanha Nazista quanto na Italia Fascista não existia livre mercado, nem se fala em democracia. Os governos criaram Estados gigantes, apoiados por partidos únicos, altamente interventores na economia. Absolutamente NADA ACONTECIA sem o estado planejar e decidir conforme seus interesses.

Mussolini, líder máximo do fascismo italiano, egresso do partido comunista italiano, tem uma frase que é bem característica: “TUDO É DENTRO DO ESTADO, NADA FORA DO ESTADO”

Tanto num quanto no outro existiram grandes corporações privadas, ainda hoje poderosas, como BMW, Mercedes Benz, Fiat, IG, Farben (Bayer), Volkswagen. Estas empresas existem no capitalismo, e por isto os esquerdistas apontam estes regimes como capitalistas.

Ocorre que estas ideologias mantiveram a propriedade privada dos meios de produção só formalmente, mas quem decidia o que produzir, qual quantidade, para quem vender, quem elas contratariam ou demitiriam como empregados, qual seria o salario, etc. era o Partido dos Trabalhadores Nazista que tinha total controle sobre as empresas. Estas decidiam nada, pois tinham a propriedade mas não o controle.

Quando Hitler assumiu de chanceler, em janeiro de 1933, usou uma característica nada capitalista, iniciou uma elevação gradual de impostos sobre corporações, de 20% em 1934 para 25% em 1936, e para 40% em 1939 junto com um rígido controle de preços e salários.

Além de promoveram o total controle Estatal, sobre seus cidadãos e dos meios de produção, tinham o nome de “Partido dos Trabalhadores”, notaram alguma semelhança? O nome completo é “Partido Nacional SOCIALISTA dos Trabalhadores Alemães” Embora o nome não queira dizer muito, pois o nosso Partido dos Trabalhadores o que menos tem são trabalhadores. Mas uma coisa é certa: JAMAIS UM PARTIDO DE DIREITA NA HISTÓRIA DO MUNDO COLOCARIA O NOME “SOCIALISTA”, assim como seria impensável algum partido de esquerda usar o termo “Capitalismo” ou “Liberalismo” no seu nome.

Inicialmente, a estratégia política nazista focou em ANTI-GRANDES EMPRESAS, ANTI-BURGUÊS, e a retórica ANTI-CAPITALISTA. Esses aspectos foram posteriormente minimizados a fim de ganhar o apoio das entidades industriais, e em 1930 o foco do partido mudou para anti-semita e anti-marxistas.

Tinha outra característica bem significativa do esquerdismo que é odiar os judeus. Só lembrando que o atual governo da nossa republiqueta é amigo dos terroristas inimigos de Israel.

Então quem diz que o Nazismo e Fascismo eram regimes de direita? Ou um pouco mais disfarçado apontam de Extrema direita?

Os esquerdistas logicamente.

Então. Um regime com as seguintes características:

- CONTROLE TOTAL DA ECONOMIA e da Mídia pelo Estado.

- Comandado por um Partido chamado SOCIALISTA que domina um GOVERNO ENORME.

- INEXISTÊNCIA de qualquer liberalismo econômico ou livre mercado.

- Possuidor de uma ALTA CARGA DE IMPOSTOS.

- Nenhuma chance de atrair INVESTIMENTOS EXTERNOS.

Este é um regime de esquerda ou de direita?  É possível errar a resposta?


Tags: Carlos Mello, artigo


Carlos Mello é formado em Economia pela UFRGS, trabalha com Avaliações Financeiras e Cálculos Periciais. Reside em Porto Alegre.

Email: carlosmello@ufrgs.br
Telefone: (51) 99113-2232




Opinião do internauta

  • Lucas Matheus Fernandes Lobo (10.12.2016 | 19.55)
    Desde já, agradeço por ter respondido. A única semelhança entre o Comunismo e Anarquia é a ausência do Estado, porém isso se dá em situações completamente opostas. O comunismo e sua ausência de estado só se daria com a igualdade social promovida pelo socialismo. O anarquismo, em sua forma tradicional, é a completa derrubada imediata do estado, pois considera que TODAS as fomas de organização estatal ferem a plena liberdade humana. Não estou dizendo que concordo com essas teorias, definitivamente não, mas é assim que elas se caracterizam. E sim, o nazismo prega uma natural e ''biológica'' superioridade da raça ariana. Essa, inclusive, é uma das justificativas para a guerra, pois esta seria como uma forma de ''limpar'' o mundo e separar definitivamente os ''fortes'' dos ''fracos''. E sim, concordo com o que vc disse sobre Fidel e o ditador norte-coreano. Entretanto, eles fogem daquilo que Marx originalmente propôs. Tudo que eu falei foi BASEADO em teorias, e não na prática. Continuando, Marx sempre falou em uma ditadura do proletariado, ou seja, do povo ( naquela Inglaterra do século XVIII ). Entretanto, com os regimes ditos socialistas do século XX, o que vimos não foi o povo no poder, foi um partido que, inicialmente, até poderia representar o povo, como o cubano, por exemplo, mas que, posteriormente, passou a representar somente e si próprio e, quando questionado, fez o MESMO que absolutamente todas as ditaduras da história, perseguiu seus opositores.
  • Lucas Matheus Fernandes Lobo (30.11.2016 | 19.56)
    Outra coisa que gostaria de debater. O socialismo, em teoria, seria um estágio caracterizado por um Estado forte, objetivando o fim das desigualdades sociais, certo ? Em um campo ideológico, a desigualdade social chegaria ao fim e este socialismo seria substituído por um novo regime, chamado comunismo, caracterizado pela AUSÊNCIA de Estado. Ora, como podemos analisar o comunismo e o nazismo como ''irmãos'' se, no fim de tudo, um prega um estado forte, eternamente hierarquizado socialmente, visto que a raça ariana é superior às demais, com um comunismo, um sistema que prega pelo FIM do estado e pela COMPLETA igualdade da sociedade ??
  • Lucas Matheus Fernandes Lobo (30.11.2016 | 19.50)
    Certo, então está bem claro o seu ponto de vista. Entretanto, podemos afirmar que a esquerda busca por uma diminuição das desigualdades sociais, certo ? A extrema, inclusive, prega uma total erradicação de uma total desigualdade na sociedade e que, para que isso ocorra, é necessário um estado GIGANTE. A direita, ao contrário, entende a desigualdade social como inevitável ou até mesmo natural e que pode ser minimizada por intermédio de um mercado livre e impostos baixos para que o empreendedorismo possa acontecer. Contudo, a extrema direita tem por características a aceitação de grupos sociais naturalmente superiores a outros, não ? Partindo desse ponto de vista, é claro o entendimento de que o nazismo e fascismo seriam claramente de direita, mesmo tendo um estado forte e anti-liberal, não ?
  • junior (03.10.2016 | 17.13)
    boa tarde, gostaria de perguntar o que voce acha do campo conservador e antes disso, o regime militar no Brasil foi um governo de extrema direita? ja que uns amigos meus apontaram semelhanças entre o facismo e oregime da época...
  • marcel (21.09.2016 | 23.55)
    Sempre pensei que esquerda e direita fosse exatamente o que vc pontua em seu texto.
  • Guga (06.04.2016 | 16.53)
    Muito bom! Finalmente consegui entender a diferença entre um Governo de Esquerda e Direita. E pelo visto, diante da atual situação econômica que passa o Brasil, acredito ser o Governo de Direita, mais produtivo e mais inteligente que o de Esquerda, aquele não chega a ser um sistema perfeito, mas muito mais lógico e racional que esse.
  • Resposta do Colunista:
  • Resposta do Colunista:

    Isto de o comunismo chegar a um fim e ser substituído por um novo regime caracterizado pela AUSÊNCIA de Estado?

    Estás querendo dizer que um estágio avançado do comunismo seria anarquia? Que viagem essa tua.

    E essa mistura de que um prega um estado forte, eternamente hierarquizado socialmente. De onde saiu isto?

    Se é hierarquizado porque a raça ariana é superior???

    Este conceito de raça ariana foi usado politicamente pelo PT da Alemanha para elevar o moral e o nacionalismo do povo alemão, mas não “colou”, tanto que foi derrotado duas vezes (1ª e 2ª guerra) pelas “raças inferiores”

    E essa de que o comunismo prega o fim do estado e completa igualdade da sociedade não existe. Esta é uma tese absurda.

    Obrigado pela participação.

  • Resposta do Colunista:

    Lucas, que ginástica linguística para forçar uma conclusão errada.

    Grupos sociais diferenciados SEMPRE vão existir, ou achas que os donos do PT, por exemplo, se consideram pessoas comuns?

    Achas que Fidel Castro se misturava com o povo?

    O baixinho da Coréia é considerado um deus.

    Ou seja: Na prática os líderes socialistas ficam de donos de tudo. São os que mais mantem grupos diferenciados, a única diferença mesmo é que fazem isto com o uso de ditadura.

    Abraço

  • Resposta do Colunista:

    Junior, a palavra conservador é muito mal utilizada e serve a diversas interpretações.

    Conservador significa somente querer conservar. Então quem realmente quer isto?

    Atualmente os maiores CONSERVADORES do mundo são os monarquistas; As igrejas; Os irmãos Castro; O baixinho da Coreia do Norte; Os esquerdistas que não querem largar o tetão do Estado; As milhares de ONGs sustentadas pelo Estado; etc. Todos estes se não for conservado o Status Quo eles não sobrevivem.

    Então conservadorismo existe tanto na direita quanto na esquerda, geralmente ligados a manutenção de privilégios.

    O Regime Militar brasileiro era anticomunista e tiveram o mérito de não deixar o brasil virar uma ditadura comunista, e também era progressistas. Mas  nunca foram de direita, foram mais de esquerda em todas as suas características, fizeram um governo centralizado, criaram a várias empresas estatais, tinham todas as politicas dirigidas pelo Estado, interviam em tudo na economia, ditavam preços até dos supermercados, usavam tabelamento de tudo, falsificavam índices econômicos e o pior: Através do poder estatal criaram esse monstrengo de representatividade onde o voto de um acreano vale cento e trinta de um paulista.

    Ou seja: NUNCA FORAM de direita. Além de serem ditadores, mesmo concordando que era a única opção que eles tinham na época.

    Obrigado pela participação

  • Resposta do Colunista:

    Marcel, por isto que sou favorável que coloquem uma matéria de economia básica na educação.

    Com isto se evitaria esta ignorância sobre o assunto como dizer que o nazismo era de direita.

    Obrigado pela participação

  • Resposta do Colunista:

    Guga, estamos longe de o governo brasileiro ser de direita, não que simplesmente ser de direita fosse algo bom, mas um governo que centraliza refino, distribuição e preços do Petróleo, combustíveis, energia elétricae comunicações, mais os preços da água, transportes públicos, correios. Tem uma ANATEL só pra ajudar um Oligopólio, determina o que vamos assistir através Lei Rouanet, hora do brasil, espaço obrigatório televisão, e tantos outros controles através de empresas e bancos estatais. Tem nada a ver com governo de direita e muito mais longe ainda de ser uma economia liberal

     

    Obrigado pela participação.

Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 19.05

  • Dia da Bem-aventurada Maria Bernarda Bütler
  • Dia de Santo Ivo (Padroeiro dos Advogados)
  • Dia do Defensor Público
  • Dia do Físico
  • Dia dos Acadêmicos do Direito