Últimas notícias

Colunistas

RSS
Época de eleições com uma boa novidade para o Sul

Carlos Mello

29.09.2016

Época de eleições com uma boa novidade para o Sul

Infelizmente o brasil (em minúsculo mesmo) tem um povo com maioria sem cultura, sem memória e bastante imbecilizado para política. Se fosse diferente e tivéssemos uma mínima tradição de questionar, analisar e cobrar resultados, seguramente que estes políticos que fazem da mentira e do populismo, dirigido às massas incultas, sua principal propaganda enganosa, teriam deixado de existir há tempo.

Mas como estamos acostumados e, por enquanto, não existe alternativa, vamos enfrentar mais uma eleição em uma falsa democracia onde vencem os que investem na quantidade em detrimento da qualidade. Mesmo assim não custa lembrar algumas perguntas básicas que deveriam ser dirigidas aos candidatos às prefeituras e aos cargos de vereança.

Nem vou abordar os que deveriam ser exigidos obrigatoriamente para postularem qualquer eleição, como saber qual a função de um vereador e prefeito e Conhecimento da Lei orgânica do Município, seria pedir demais. Mas outras poderiam ser feitas, como as seguintes:

1 - Qual a tua formação acadêmica?
2 - Tens algum trabalho ou és político profissional?

3 - Já administrasses alguma empresa?

4 - Tens autonomia para votar em conformidade com o que é melhor para a população ou estás subordinado aos interesses de partidos ou corporativismos, como ser contra o UBER, por exemplo?

5 - Aqui em Porto Alegre cerca de 30% dos imóveis tem alguma legalização pendente devido à exorbitante tributação municipal. Atualmente se comprar um imóvel de R$ 500.000 se gasta mais de 25.000 em impostos, cartório, etc., para se fazer a escritura.

Qual teu projeto para redução de impostos? 

6 - Qual tua posição quanto a independência do Sul em relação ao brasil?

7 - Como pensas em terminar com a covarde Indústria das multas de trânsito das prefeituras onde gangs foram legalizadas para unicamente aplicar multas sem qualquer necessidade de provas e eles, mesmo sendo a parte interessada, são os que julgam os recursos em que 99,9% são indeferidos?

Teria muito mais, mas essas sete são as básicas iniciais. 

Uma novidade maravilhosa nestas eleições é que aqui no Sul estaremos fazendo uma consulta popular para saber a opinião da população se quer independência ou continuar sendo explorado pela federação.

A pergunta será:

VOCÊ QUER QUE O PARANÁ, SANTA CATARINA E RIO GRANDE DO SUL FORMEM UM PAÍS INDEPENDENTE?

Se tiver uma opinião sobre o assunto prestigie esta iniciativa que os políticos e governo fogem de abordar e agem como se o assunto não existisse, isto porque sabem que se aprovado eles serão os primeiros que terão retirados seus absurdos privilégios roubados da sociedade.

Se estiver na dúvida considere o seguinte:

Concordas que tenhamos que entregar cerca de 80% do que produzimos para Brasília fazer o que quiser?

Concordas com a representatividade onde um senador do Amapá valha 27 vezes mais de um do RS?

Concordas com os privilégios corporativistas dos políticos e altos funcionários públicos em relação a sociedade que os sustenta? Defendemos que os juízes sejam concursados e nomeados a cada cinco anos com salário de mercado, nada de emprego vitalício e outras mordomias como até ridículas “ajuda moradia”.

Achas correto existir Monopólios e Oligopólios mantidos pelo oneroso e BURROcratizado Estado? Estado é pra cuidar da saúde, educação e segurança e não para ter empresas que são a fonte de quase 100% da corrupção.

Entendes ser justo o Estado desarmar a população contra sua vontade, facilitando a vida dos criminosos?

Defendemos uma população armada e treinada para nossa defesa, que formaria nossas forças armadas, e não como atualmente com um exército oneroso e  que existe para somente ficar eternamente de “prontidão” ou “monitorando”. Por isto proliferam milícias de de criminosos a movimentos organizados e mantidos por partidos políticos para intimidar a sociedade.

Gostas de sustentar “direitos adquiridos”, salários nababescos, aposentadorias imerecidas, vagabundas solteiras e outros custos, que são roubos? Lembrando que não fomos consultados se concordávamos com sustentar isto.

A lista é enorme, mas a pergunta poderia se resumir em:

Concordas que a tua terra seja uma colônia do brasil?

Se concordas, achas que está bom vá lá e vote por permanecermos dependentes, senão vote a favor da Independência.

Não existe a mínima chance de se mudar algo estando grudado a esta federação.

Esta consulta é organizada pelo mais inteligente grupo separatista que já apareceu, que é o “O SUL É MEU PAÍS”.

Embora existam dezenas de grupos, este teve o mérito de juntar o que nos une e deixar de lado o que nos divide, inclusive agregando os três Estados do Sul sob a mesma bandeira.

Esta consulta acontecerá no sábado, dia 01 de Outubro, um dia antes das eleições municipais. Os Locais de votação estão no seguinte endereço:

http://www.sulista.org/OndeVotar/Index

Não custa esclarecer que o voto é FACULTATIVO. Nada de ditadura obrigando a votar.
Não é ilegal.

Não precisa de título de eleitor.
NÃO está sendo realizado pelo Tribunal Regional Eleitoral ou TSE
NÃO TEM VÍNCULO POLÍTICO. O movimento tem pessoas de todas as correntes políticas.

Teu voto é importante para formarmos um País de verdade e assim podermos chegar ao primeiro mundo em no máximo 20 anos.

Nossos filhos e netos merecem isto.


Tags: Carlos Mello, artigo, coluna


Carlos Mello é formado em Economia pela UFRGS, trabalha com Avaliações Financeiras e Cálculos Periciais. Reside em Porto Alegre.

Email: carlosmello@ufrgs.br
Telefone: (51) 99113-2232




Opinião do internauta

  • Walmir Bueno de Moraes (29.09.2016 | 14.35)
    Concordo contigo, embora seja um processo muito difícil, separar um país que já tem suas veias contaminadas pelas politicagens e gente querendo levar vantagem em tudo. Pode ter certeza que um movimento separatista vai enfrentar grande resistência aqui mesmo dentro da propria casa. Nascido em Passo Fundo/RS, vivo desde criança no norte do Paraná e amo estes dois estados.
  • Maria Gourgues Bitencourt (29.09.2016 | 13.43)
    Acho a ideia muito legal. Mas acho que Brasília não vai abrir mão do sul. Nós já tivemos a guerra dos Farrapos e perdemos. A união invadiria o RS e será que não seríamos novamente derrotados? E como ficariam os aposentados, os funcionários federais, a nossa parte na dívida externa, a economia, segurança, etc. Seria uma nova revolução francesa dos pampas?
  • Resposta do Colunista:

    Walmir, é difícil porque envolve interesses de colonizadores, e por isto mesmo eles colocam dificuldades, mas as enfrentaremos junto com outros Estados em que a sociedade despertou dessas politicagens e espertezas que realmente estão contaminadas pela corrupção.

    Acho que encontraremos alguma resistência dentro de casa, afinal tem quem goste de ser cabresto ou faz parte da turma de saqueadores, mas com certeza serão minorias, e ainda terão a total liberdade de irem para algum Estado que permanecerá sob o jugo de Brasília, afinal existirá liberdade.

    Obrigado pela participação gaúcho de Passo Fundo

  • Resposta do Colunista:

    Maria, o que mais aparece são dúvidas de como ficaria uma nação independente. O que é ótimo porque mostra que existe interesse.

    Mas sob qualquer perspectiva ficaria milhares de vezes melhor do que está.

    Somente abordando o que questionasse, pois são centenas de itens a serem abordados.

    - A Ilha da Fantasia logicamente que será sempre contra. O que interessa é o que queremos e não o que Brasília quer.

    - Verdade que perdemos a guerra dos Farrapos, o que foi uma lástima. Mas naquela época estávamos sozinhos e agora, além do Sul e de São Paulo, também pleiteiam a Independência vários Estados do Nordeste, Norte e Centro. Ao todo são oito Estados que também não suportam mais serem colonizados. A ideia é implodir este brasil, bem diferente do que os Farrapos tentaram.

    - Aposentados e todo tipo de funcionalismo federal seriam colocados sob as novas leis, onde não existiriam remunerações do Estado maior de dez salários mínimos, incluindo todos os espertos anexos.

    - Dívida externa seria feita uma auditoria do que é nossa parte e seria honrada.

    - Para a economia e segurança também temos projetos, todos muitíssimos mais eficientes, baratos e lógicos.

    - Também não seria uma revolução à francesa, a nossa não tem intenção de guilhotinar alguém, é uma revolução de inteligência, feita por etapas, sem necessidade de ações abruptas que caracterizam revoluções, será contra tudo que iniciou errado.

     

    O assunto é muito longo. Obrigado pela participação

Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 21.07

  • Dia de São Daniel
  • Dia do Anjo Hahasiah
  • Dia Internacional do Trabalhador Doméstico