RicardoOrlandini.net - Informa e faz pensar - Colunista - Nem sempre se pode calar o Maracanã

Últimas notícias

Colunistas

RSS
Nem sempre se pode calar o Maracanã

Ilgo Wink

18.07.2015

Nem sempre se pode calar o Maracanã

Perder do Flamengo no Maracanã lotado, ou quase, não é demérito. O Grêmio, no primeiro tempo, foi até superior ou ao menos manteve uma disputa equilibrada. O que não é pouca coisa.

Não é sempre que se pode calar o Maracanã.

Tudo começou a desandar quando o Flamengo fez o seu gol, o que gol que seria o da vitória. O gol de um goleador, de um matador: Guerrero. Havia quase uma dezena de jogadores na pequena área depois de sensacional defesa de Marcelo Grohe, num cabeceio à queima-roupa. A bola afastada com a mão pelo goleiro caiu justo no pé de quem? Do matador, do goleador, porque a bola sempre cai no pé de um predestinado.

Um predestinado que o Grêmio não tem, e faz tempo. Fosse o lance na área do Flamengo, a bola não cairia nos pés de nenhum jogador do Grêmio, porque o Grêmio não tem um sujeito bom e rabudo como esse Guerrero.

Vejamos Braian Rodrigues, um  centroavante de poucos gols em sua longa trajetória. Acho que a bola nunca caiu nos seus pés assim de presente como aconteceu com Guerrero. Braian não tem a estrela de um matador, de um goleador. Jardel, por exemplo, tinha estrela. Fred tem estrela, vira e mexe a bola cai nos pés dele, é só empurrar.

Mas o Grêmio não perdeu porque não tem um goleador. Também por isso, mas não é só por isso.

O grande problema é a falta de grupo mais qualificado. Pegue o time reserva do Inter, esse que venceu o Goiás por 2 a 1, com a ajuda do goleiro Renan – por que não me surpreendo? Se a gente olhar bem uns três ou quatro entrariam de cara no time titular do Grêmio. A começar pelo Rafael Moura, que não joga grande coisa, mas quando a chance surge ele normalmente marca.

No Grêmio, quando a chance surge, normalmente o gol é perdido. Brutal diferença.

Sei que estão  culpando o Grohe pela derrota. Ele deveria ter saído na lance do gol, dizem. Pode ser. Os ombros dos goleiros são largos. Victor que o diga. Grohe não vai jogar contra o Sport. Chance para Thiago mostrar que pode ser titular, como querem alguns. Sei de gente das internas do Grêmio que quer ver o Grohe longe. Futebol é assim.

O goleiro fenomenal está virando frangueiro. Por que será? É óbvio que é o time. Um time instável e com carências técnicas tanto falha até que perde. 

Hoje foi Grohe, até aceito. Mas e os outros todos que erraram? 

Vamos ver até quando Roger Machado vai insistir com Douglas, com outra atuação pífia. 

Por que colocar Vitinho ‘o-que-é-que-estou-fazendo-aqui?’. Ah, não tem outro? Entre Vitinho e Braian, antes o uruguaio. Mas só isso já mostra a falta de qualidade e quantidade, principalmente agora com a lesão de Mamute.

Vamos aguardar que nos próximos jogos Roger aproveite Maxi Rodriguez – alguém no comentário anterior usou meu nome para dizer que ele está indo para o Criciúma – e Lincoln.

Não resta dúvida de que Roger tem muito trabalho pela frente. Depois de cinco vitórias seguidas, o time tem agora três derrotas em quatro jogos.

Na minha opinião, acendeu o sinal de perigo.


Tags: Ilgo Wink, esporte, inter, grêmio, futebol


Ilgo Wink é jornalista formado pela Ufrgs. Trabalhou na Folha da Tarde, Correio do Povo, Rádio Guaíba, Rádio da Universidade e TV Bandeirantes. Hoje, dirige a WComm Comunicação Ltda.  Nas horas vagas produz cerveja artesanal e mantém o blog: Blog do Ilgo.

E-mail: ilgowink@gmail.com

twitter: twitter.com/ilgowink




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 20.08

  • Dia de São Bernardo
  • Dia do Anjo Cahethel
  • Dia do Maçom