Últimas notícias

Colunistas

RSS
Grêmio precisa apertar o passo nas contratações

Ilgo Wink

23.12.2015

Grêmio precisa apertar o passo nas contratações

O tempo do torcedor não é o tempo do dirigente.

O primeiro contrata a rodo, indica nomes e cobra explicações por que tal jogador não está nos planos.

O tempo do torcedor está mais para o tempo do jornalista, também ele louco por contratações quase que imediatas, e que se incomoda quando os reforços não chegam na velocidade (por eles e pelos torcedores) esperada. E se irrita quando os reforços que chegam são modestos, quase inexpressivos como os dois volantes contratados pelo Inter, por exemplo.

Já o dirigente trabalha no seu tempo, no seu ritmo. Porque ele não pode errar. Muitas vezes o dinheiro é curto, os preços disparam e aparecem concorrentes. 

É claro que em alguns casos o dirigente avalia mal e contrata pior ainda. Por isso, é preciso cautela, estudo minucioso, avaliação criteriosa.

Defendo que as contratações devam passar pelo crivo de mais pessoas, nunca ficar apenas nas mãos de um ou dois dirigentes. 

Outra coisa, a contratação não pode ser por impulso. 

O problema é que às vezes o dirigente se vê pressionado, ainda mais agora com as redes sociais bombando.

Os fatos começam a atropelar. É o caso do sorteio dos grupos da Libertadores. Tivesse o Grêmio caído num grupo mais fácil, aparentemente mais fácil, o ritmo das buscas poderia ser o atual, este que irrita boa parte dos impacientes torcedores.

A mensagem deles é mais ou menos a seguinte:

Com esse time o Grêmio será um mero coadjuvante na Libertadores.

Assino embaixo. O Grêmio atual, mesmo considerando que Geromel e Maicon sejam mantidos, talvez não supere a primeira fase.

A partir do momento em que o Grêmio caiu no chamado ‘grupo da morte’ a direção fica na obrigação de acelerar o passo. 

O time da Libertadores deve ser já o time do primeiro jogo (contra o Toluca, no México).

Se havia o pensamento de definir o time com a competição em andamento, este deve ser alterado.

O tempo do dirigente começa a ficar muito parecido com o tempo do torcedor. 

E aí, no açodamento, as chances de erro aumentam. É só dar uma olhadinha no retrovisor para ver que a pressa nunca foi boa conselheira.

É preciso agora o equilíbrio, a sensatez que não parece faltar ao presidente Romildo Bolzan: existe necessidade de agilizar as contratações, mas a margem de erro continua sendo zero.

Enfim, o tempo está passando, e agora cada vez mais rápido.

Depois de 15 anos de seca, a ausência de contratações empolgantes torna-se insuportável ao torcedor, que derrama sua angústia, inquietação e revolta nas redes sociais.

Cabe à direção administrar esse momento com sabedoria, nem tão devagar que pareça provocação, nem tão rápido que parece tibieza.

FRED

Até para contratar um jogador sem maior expressão como Fred é difícil. Lembro que durante o Gauchão sugeri Fred, então no Novo Hamburgo. Pensei nele para o grupo, talvez até para titular se mostrasse mais jogo. 

Pois é, ele estava aí do lado. Ninguém do Grêmio viu.

Penso que o dirigente de futebol remunerado deva ser um sujeito atento, ligado nos valores locais, não apenas em nomes duvidosos de fala espanhola e de preço incompatível com a sua história no futebol.

ARGENTINOS

Alguém se deu o trabalho de fazer um balanço do número de argentinos contratados pelo futebol gaúcho nos últimos cinco anos, e quantos realmente foram aprovados?

Assim, sem me aprofundar, constato que foi fracasso sobre fracasso.

E muito dinheiro jogado fora. Sem falar no tempo perdido, prejudicando o time e a ascensão da gurizada da base.

Repito meu mantra: argentino jovem e realmente bom vai para a Europa, ou agora para a China.

PONTO FORA

Defendo que o Grêmio não pode jogar fora de casa com o pensamento em garantir um ponto.

O objetivo deve ser sempre armar o time de forma ambiciosa, mas com os devidos cuidados.

É preciso incutir nos jogadores que a meta é sempre vencer. Implantar a cultura da vitória. Cabe aos dirigentes colaborar nesse sentido. A insistência em falar que ‘vamos em busca de um ponto’ diminui o entusiasmo da torcida e pode ter reflexos negativos no desempenho do time.


Tags: Ilgo Wink, esporte, inter, grêmio, futebol


Ilgo Wink é jornalista formado pela Ufrgs. Trabalhou na Folha da Tarde, Correio do Povo, Rádio Guaíba, Rádio da Universidade e TV Bandeirantes. Hoje, dirige a WComm Comunicação Ltda.  Nas horas vagas produz cerveja artesanal e mantém o blog: Blog do Ilgo.

E-mail: ilgowink@gmail.com

twitter: twitter.com/ilgowink




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 20.02

  • Criação do Correio Aéreo Nacional (1931)
  • Dia de Santo Eleutério
  • Dia Mundial da Justiça Social