Últimas notícias

Colunistas

RSS
Douglas e aipim: debates chatos na aldeia

Ilgo Wink

14.02.2017

Douglas e aipim: debates chatos na aldeia

Dois debates intermináveis na aldeia: o substituto de Douglas e a fixação histórica (vide excelente pesquisa publicada no cornetadorw que confirma essa paixão) do comando gremista por atacante de área, normalmente um aipim, mas há centroavantes que jogam também pelos lados.

Estes recuam e buscam o jogo, tabelam, jogam com inteligência,e se distanciam um pouco mais do miolo da área, a famosa zona do agrião (expressão que teria sido criada por João Saldanha). Nilmar é um bom exemplo. Poderia citar Jonas, mas no Grêmio ele rendeu mais como segundo atacante.

São raros esses atacantes mais centralizados e de bom nível técnico.

Tanto que hoje a imensa maioria das equipes de ponta utiliza atacantes de movimentação.

O Grêmio conquistou dois títulos nacionais nos últimos 15 anos. Em 2001 e 2015. Nos dois, não havia o tal camisa 9. 

Se isso não diz alguma coisa, não sei mais nada.

Outra coisa, tem gente que considera o argentino Pratto um bom jogador para no ataque do Grêmio. Eu não concordo. Respeito, mas não concordo.

Pratto, pra mim, é um outro Barcos: marqueteiro. Se falasse português estaria jogando no Londrina ou no América Mineiro.

Fora o fato de que a presença dele no grupo acabaria detonando ou abalando o esquema vitorioso de atacantes pelas beiradas com meias e volantes entrando na área a todo instante, como fato surpresa.

DOUGLAS

Dito isso, não me preocupo com a lesão de Douglas. Há alternativas interessantes do grupo. É claro que um reforço para o meio de campo é imprescindível. Já era antes mesmo com Douglas.

Agora, é preciso parar com essa lenga-lenga de encontrar alguém à imagem e semelhança de Douglas. O Grêmio pode manter o modelo atual com muito toque, posse de bola e infiltrações precisas sem ‘um Douglas’. 

Bolanos já mostrou que pode fazer o papel do titular – que fica pelo menos meio ano parado, ou seja, está fora dos planos. 

Evidentemente o esquema precisa de adaptações. O padrão de jogo sofrerá alteração.

E quem disse que mudará para pior?

O Grêmio perdeu meia dúzia de títulos com Douglas no time. E aí?

Douglas, como qualquer jogador, não é insubstituível. Pode fazer falta, mas aos poucos aparece outro igual ou melhor.

É assim, a vida continua.

E há vida sem Douglas, podem acreditar.

Mais importante que esse debate – muito estimulado por vermelhos disfarçados – é qualificar o time para entrar na Libertadores com chances muito fortes de título.

A direção sabe disso e busca reforços apesar de toda a limitação financeira.

Agora, mais importante que ter dinheiro, é ter conhecimento e critérios para contratar.

PENETRA

O espertinho que andou postando comentários em meu nome já teve seu momento de glória. Acabou.

Mas eu sei que ele também não é insubstituível…


Tags: Ilgo Wink, esporte, inter, grêmio, futebol


Ilgo Wink é jornalista formado pela Ufrgs. Trabalhou na Folha da Tarde, Correio do Povo, Rádio Guaíba, Rádio da Universidade e TV Bandeirantes. Hoje, dirige a WComm Comunicação Ltda.  Nas horas vagas produz cerveja artesanal e mantém o blog: Blog do Ilgo.

E-mail: ilgowink@gmail.com

twitter: twitter.com/ilgowink




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 21.01

  • Dia de Apolo, o deus Sol (mitologia grega)
  • Dia de Santo Anastácio