Últimas notícias

Colunistas

RSS
Pouco tempo até a estreia na Libertadores

Ilgo Wink

21.02.2017

Pouco tempo até a estreia na Libertadores

Dois jogos separam o Grêmio da estreia na Libertadores, dia 9, contra o Zamora, na Venezuela.

Se 20 anos não são nada, como cantava Gardel, dois jogos, então, pouco representam em termos de preparação de time, ainda mais um time que se vê prejudicado por uma série de lesões.

Então, não crio expectativa maior em relação ao jogo contra os venezuelanos. Espero a vitória, ou até um empate, mas não uma atuação impactante como a gente viu na reta final da Copa do Brasil, competição conquistada pelo Grêmio – é bom lembrar porque tem gente que parece ter esquecido.

A realidade é que a preparação do Grêmio para a competição continental não empolga. Percebo muita gente irritada nas redes sociais. A maioria esquece que logo de saída o time perdeu seu maestro, o Douglas.

Não sou fã do Douglas, mas vejo nele o jogador fundamental para o esquema armado por Roger e aperfeiçoado nos detalhes por Renato.

Sem Douglas, Renato precisa fazer algumas adaptações, o que sem dúvida repercute na forma de jogar da equipe.

Está aí o tipo de coisa que requer treinamento, insistência, aplicação tática. Mas o torcedor, de modo geral, não tem paciência. Quer resultado logo, o técnico que se vire.

Aí, o técnico perde um volante do calibre de Wallace.

Jailson é a bola da vez para a função. Mas boa parte dos torcedores, com base em três ou quatro jogos – uma amostragem formidável – já decretou que Jailson e Maicon não fecham, não combinam.

São os mesmos, provavelmente, que detonaram a dupla campeã – repito, campeã – logo no início. O alvo principal era Maicon, mas respingava também em Wallace. Os dois simplesmente foram decisivos na conquista de um título depois de 15 anos. Sim, 15 anos. Vocês têm ideia de quantas duplas de volantes o Grêmio teve nesse período? Pois essa acertou, e foi por insistência de Roger.

Assim, acredito que Jailson e Maicon podem jogar juntos, mas precisam treinar, ensaiar. Invejo aqueles que sentenciam coisas com tamanha rapidez.

E isso me faz lembrar Geromel. Quando ele chegou só levou pau. Mas aos poucos, com mais tempo e oportunidades, ele mostrou esse futebol esplendoroso. Fosse pelos apressadinhos teria sido mandado embora na primeira barca.

Não é uma crítica a ninguém, até porque muitas vezes me apresso a rotular alguém, cometendo o mesmo erro. 

Futebol é assim mesmo. 

O TIME

Pelo que tenho visto, o time da estreia na Libertadores terá Léo Moura, não Edilson, por força de lesão. Gosto do Léo Moura, então não vejo como um desfalque mais grave.

A dupla de área está definida. Bem, tem um Gre-Nal pela frente. No ano passado, o Grêmio perdeu Bolanos num Gre-Nal. Medo.

Na lateral esquerda, Marcelo Oliveira mostrou  na Copa do Brasil que é um jogador confiável na hora mais difícil. Vou levar um pau por causa dessa frase, mas é o que penso. No futebol nada pode ser definitivo. O vilão de hoje pode ser o herói de amanhã. MO orientado por Renato é outro jogador.

No meio, Jailson, Maicon e Ramiro;

Na linha mais avançada penso que teremos Bolanos, Luan, e Éverton (Pedro Rocha).

Para começar a Libertadores está de bom tamanho.

Agora, para vencer a competição, o furo é mais embaixo.

ÉVERTON

Insisti muito nesse nome. Já faz tempo. Percebo agora, feliz, que Éverton Ribeiro entrou na roda.

Seria um grande reforço. Assim como Lucas Lima.


Tags: Ilgo Wink, esporte, inter, grêmio, futebol


Ilgo Wink é jornalista formado pela Ufrgs. Trabalhou na Folha da Tarde, Correio do Povo, Rádio Guaíba, Rádio da Universidade e TV Bandeirantes. Hoje, dirige a WComm Comunicação Ltda.  Nas horas vagas produz cerveja artesanal e mantém o blog: Blog do Ilgo.

E-mail: ilgowink@gmail.com

twitter: twitter.com/ilgowink




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 20.02

  • Criação do Correio Aéreo Nacional (1931)
  • Dia de Santo Eleutério
  • Dia Mundial da Justiça Social