Últimas notícias

Colunistas

RSS
O caso Brasil e a retomada da CB

Ilgo Wink

27.06.2017

O caso Brasil e a retomada da CB

Tem acontecido cada barbaridade no futebol que é difícil manter o foco naquilo que realmente interessa aos gremistas neste momento: o jogo contra o Atlético Paranaense pela Copa do Brasil, nesta quarta, 19h30.

Observo nas redes sociais velhos companheiros gremistas dedicando seu tempo a comentar esse estranho caso do Brasil de Pelotas, que realmente facilitou para o Inter.

Sim, facilitou. Ou não é facilitar entrar em campo com um time de reservas, com três ou quatro titulares apenas?

Não estou dizendo que houve má intenção da direção do clube pelotense. Ela teria sido forçada, diante de determinadas circunstâncias, a tomar essa decisão de ‘poupar’ titulares em razão de algum suposto desgaste maior.

Importante frisar: o Brasil tem uma semana inteira de folga. Joga no sábado. Quer dizer, poderia entrar com os jogadores poupados.

Dois dos titulares (o goleiro Martini e o meia Wagner) teriam sido punidos por ato de indisciplina. Aí, o presidente do Brasil, Ricardo Fonseca, em entrevista à rádio Pelotense, me sai com essa pérola digna de entrar no anedotário do futebol Abaixo do Mampituba:

-Todos querem jogar contra o Inter, estádio cheio, TV. A punição deles foi deixar os dois fora do jogo. Não acho que prejudicamos o time.

A punição foi tirar os jogadores da partida. A punição do clube foi perder três pontos dentro de casa. Pontos que poderão fazer muita falta e até determinar o rebaixamento do Brasil para a série C.

Se eu fosse torcedor do Brasil estaria hoje muito indignado.

Fora isso, tem muita história estranha rolando sobre esse caso nas redes sociais.

Mas aqui estou eu perdendo meu tempo com essas coisas que cheiram mal e que surgem de vez em quando no futebol.

O que interessa é tirar de vez essa pedra do nosso sapado. Entra ano, sai ano, e aí está o Atlético Paranaense pra incomodar. No ano passado foi um parto de bigorna incandescente. Mas vencemos.

Ah, com grandes atuações de Marcelo Grohe, o único goleiro que o time realmente preparado para grandes decisões e que parte da torcida desestabiliza com seus ataques fora de hora e muitos tons acima do aceitável.

Uma pena que Bolanos ainda não possa jogar. Nem digo para começar o jogo porque está fora há muito tempo. Mas poderia ficar ao menos no banco para uma eventualidade.

Outro que poderia ser uma opção de qualidade é Léo Moura, mas este também não foi relacionado para concentrar.

Pelo menos Renato poderá escalar o mesmo time que mereceu vencer o Corinthians. Só espero que a pontaria nas conclusões seja melhor, que Luan não bata pênalti (se acontecer) e que o goleiro Weverton não repita o goleiro Cássio; e que Grohe, ao contrário, tenha seu dia de Cássio, ou do Grohe que ajudou a conquistar o Penta.

Ah, e que a torcida seja paciente, tolerante e incentive o time do começo ao fim.


Tags: Ilgo Wink, esporte, inter, grêmio, futebol


Ilgo Wink é jornalista formado pela Ufrgs. Trabalhou na Folha da Tarde, Correio do Povo, Rádio Guaíba, Rádio da Universidade e TV Bandeirantes. Hoje, dirige a WComm Comunicação Ltda.  Nas horas vagas produz cerveja artesanal e mantém o blog: Blog do Ilgo.

E-mail: ilgowink@gmail.com

twitter: twitter.com/ilgowink




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 13.11

  • Dia de São Diego de Alcalá
  • Dia do Anjo Pahaliah
  • Dia do Mau Humor
  • Dia do Moço Espírita
  • Dia Nacional da Família na Escola