Últimas notícias

Colunistas

RSS
Grêmio perde e aumenta preocupação

Ilgo Wink

17.09.2017

Grêmio perde e aumenta preocupação

Perder para a Chapecoense em casa é deprimente; perder jogando mal, quase sem exigir o goleiro rival, é preocupante; e, por fim, perder num momento como este, às vésperas de uma decisão pela Libertadores, objetivo maior, é assustador.

Então, perto de mergulhar no poço da depressão, não vou reagir como alguns nas redes sociais e na mídia tradicional, questionando e, pior, atacando asperamente decisões tomadas pela direção e pelo treinador.

O Grêmio se planejou para ter um time competitivo na Libertadores, especialmente no mata-mata. Ouvi alguém criticando, numa potente emissora de rádio, o planejamento do clube porque justo na hora decisiva o time não contava com seus dois melhores jogadores, Luan e Geromel.

Quer dizer, ter jogadores lesionados é falta de planejamento. O Grêmio fez de tudo para poupar seus melhores atletas. Falta de cuidado não foi. O papel, a tela e o microfone realmente aceitam tudo.

Nesse jogo contra a Chape, o técnico Renato achou por bem testar Jael, até porque é preciso saber exatamente com quem contar nos momentos decisivos. Tem gente criticando essa decisão. Outros queriam Arroyo – aliás, já no jogo anterior contra o Botafogo teve gente pedindo o equatoriano.

Eu estava curioso para saber se Arroyo é o ‘cara’, como pensam alguns, e também porque chegou o momento de sabermos que tipo de contribuição ele pode dar. Ele entrou no segundo tempo e o que eu vi foi um atacante dando toquezinho pra trás e para os lados. Nenhuma investida sobre o marcador, o drible, a penetração. Nada.

Saudade de Pedro Rocha. (suspiro!)

Pela amostra, pequena, é verdade, esses dois não me convenceram de que podem mudar uma partida enroscada. Mas, é o que a casa oferece.

Penso que o jovem Patrick, com toda a sua inexperiência, acrescenta mais ao time que essa dupla aí de cima. O guri entrou no lugar de Ramiro, foi pra cima,mostrou forte personalidade. Foi mais atrevido que o experiente Arroyo, com seu futebol burocrático.

Então, o Grêmio perdendo por 1 a 0 (a dupla de área reserva ficou naquela de ir mas não foi, e o atacante arriscou, gol) contava para reagir com Arroyo, Patrick e e Lucas Barrios. O melhorzinho dos três foi o guri.

Outra coisa que me preocupa: quando Fernandinho é o atacante mais perigoso do time é porque algo está errado, muito errado. E Fernandinho foi de novo o melhor atacante do time. Barrios segue devendo.

O jogo deste domingo na Arena já passou. O Brasileirão já passou. O Corinthians ganhou – gol com o braço direito de Jô, na cara do árbitro auxiliar – e o campeonato está decidido.

Dez pontos de diferença sobre o Grêmio e 12 sobre o Santos (ninguém vai reclamar que o Santos está prejudicando o campeonato por ter jogador com time reserva sábado?)

Ah, dos dez pontos de diferença, seis referem-se a Avaí e Chapecoense, com o Grêmio jogando praticamente com força máxima. Na Arena!

O negócio, mais do que nunca, é pensar na Libertadores, focar no jogo contra o Botafogo. E é aí que me bate quase uma depressão.

Não sei se Luan vai jogar. O fato é que ele precisa jogar. O Grêmio precisa dele, mais até do que de Geromel, ao menos para o jogo de quarta-feira. Claro, eu gostaria de ver os dois em campo, desde que realmente recuperados.

O Botafogo vai complicar, disso não tenho dúvidas, mas nem tanto por ele, e sim pelo Grêmio, que já não transmite aquela segurança e confiança de algumas semanas atrás.


Tags: Ilgo Wink, esporte, inter, grêmio, futebol


Ilgo Wink é jornalista formado pela Ufrgs. Trabalhou na Folha da Tarde, Correio do Povo, Rádio Guaíba, Rádio da Universidade e TV Bandeirantes. Hoje, dirige a WComm Comunicação Ltda.  Nas horas vagas produz cerveja artesanal e mantém o blog: Blog do Ilgo.

E-mail: ilgowink@gmail.com

twitter: twitter.com/ilgowink




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

colunas anteriores

Comemoramos hoje - 21.05

  • Dia de Santo André Bóbola
  • Dia de Santo Hospício
  • Dia Mundial do Desenvolvimento Cultural (UNESCO)
  • Dia Nacional da Cachaça
  • Dia Nacional da Linguagem