Últimas notícias

Colunistas

RSS
A vida sem internet

Gilberto Jasper

25.09.2017

A vida sem internet

É costumeiro meus filhos perguntarem:

- Pai, como é que vocês viviam ser internet, heim?”

Nestes momentos explico que fazíamos as pesquisas para trabalhos de aula na biblioteca do Colégio São Miguel, em Arroio do Meio, onde nasci. Ali, geralmente havia – no máximo - dois ou três exemplares do livro indicado pela professora. A correria em busca da valiosa obra era intensa. Envolvia até mesmo um embate físico que incluía empurrões, puxões de cabelo e encontrões.

Seria desigual comparar hábitos em relação a épocas diferentes, mas muitas vezes me questiono como é possível existir tanto ódio em uma época onde as comunicações são fáceis, intensas, simultâneas e on line nas 24 horas do dia.

Milhões de pessoas passam bilhões de horas à frente do computador ou digitando freneticamente o smartphone para fujicar a vida alheia, produzir fofocas ou semear o ódio, a discórdia e a cizânia. Se uma fração desse tempo fosse gasta para uma troca dedicada de ideias, esgrima de argumentos civilizados ou a simples troca de opiniões equilibradas e fundamentadas talvez fôssemos mais tolerantes.

Penso também na oportunidade histórica que o mundo moderno tem para aperfeiçoar as relações, forjar novas ideias, buscar cura para males comuns. Infelizmente quase toda esta energia é desperdiçada na proliferação de conteúdo eivados de cólera, irritação e gana de esganar quem está do outro lado da tela.

O mais inocente comentário postado nas ditas redes sociais em minutos se transforma na controvérsia do dia, atravessando o planeta para suscitar um incrível arsenal de ofensas jamais imaginado. Existe uma dificuldade oceânica de aceitar opiniões contrárias, conviver com críticas e encarar as frustrações como um processo de amadurecimento.

Este fenômeno de agressividade sem precedentes nas redes sociais se assemelha ao que acontece no trânsito. Em ruas, avenidas e rodovias, pessoas pacatas se transformam em potenciais assassinos ao volante, numa transformação de personalidade que assusta e faz pensar. Já ouvi que ali, no comando do veículo, o ser humano demonstra o que realmente é, sem máscaras e subterfúgios.

A conquista da liberdade de manifestação é resultado de uma luta de muitos anos e que custou muitas vidas. O obscurantismo da ditadura que trouxe a lâmina afiada da censura que amordaçou a imprensa e as artes são lembranças que jamais deverão ser desenterradas. O fantasma dos anos chumbo, porém, seguidamente ressurge sob o codinome de reformas, depuração e “novos tempos de decência”.

Não é hora de desperdiçar a oportunidade de promover uma comunicação produtiva e saudável. Do contrário, as viúvas da tirania terão força e argumento.


Tags: Gilberto Jasper, jornalismo, Em Outras Palavras


Gilberto Jasper é jornalista. Trabalhou como repórter nos jornais O Alto Taquari (Arroio do Meio), O Informativo do Vale (Lajeado), Gazeta do Sul (Santa Cruz do Sul) e Zero Hora (Porto Alegre), além das rádios Independente (Lajeado) e Gazeta AM/FM (Santa Cruz do Sul). Como assessor de Imprensa atuou com o ex-secretário da Educação, Bernardo de Souza (Governo Simon), além do Palácio Piratini (Governos Antônio Britto e Germano Rigotto), na Presidência da Assembleia Legislativa do RS (com os deputados Paulo Odone e Frederico Antunes), na Presidência da Câmara de Vereadores de Porto Alegre (vereador Sebastião Melo) e com o deputado federal Osmar Terra. Foi assessor de Imprensa da Presidência do Tribunal de Justiça do RS. Atualmente é coordenador de Comunicação do gabinete do deputado Tiago Simon na AL-RS.

Saído no interior de uma cidadezinha do Vale do Taquari com pouco mais de 5 mil habitantes aos 17 anos me considero um privilegiado por ter feito tantas coisas, por ter conhecido inúmeros lugares interessantes e, acima de tudo, ter tido o privilégio de conviver milhares de pessoas e ter feito valiosos amigos.

Contato:
e-mail: gilbertojasper@gmail.com
Blogger: gilbertojasper.blogspot.com.br




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Comemoramos hoje - 22.01

  • Dia de São Ildefonso