Últimas notícias

Colunistas

RSS
Sinceridade é tudo

Gilberto Jasper

22.05.2018

Sinceridade é tudo

As onipresentes redes nem sempre sociais permitem reencontrar personagens que foram importantes em nossa vida. Ex-amores, ex-colegas, ex-vizinhos, amigos que se perderam ao longo da trajetória. São figuras que participaram de nossa rotina, mas seguiram outros caminhos, mas permanecem na memória.

Estes “reencontros” nos levam a fazer inconscientemente comparativos. Muitas vezes estes personagens tiveram a formação e educação similar a nossa, mas tiveram desígnios muitos diferente. Em resumo, a indagação se impõe: por que a vida é tão diferente para pessoas que eram tão parecidas?

A formação da personalidade é uma obra complexa. As principais raízes são moldadas pelo berço, através dos valores herdados, da educação dos primeiros anos de vida, dos exemplos familiares. Outra parcela da forma de encarar a vida advém dos ambientes que frequentamos, das pessoas que nos cercam, dos amigos que elegemos para compartilhar experiências.

Um dos desafios mais difíceis talvez seja o esforço para manter a autenticidade. Ser o que realmente somos, sem máscaras, constitui tarefa incansável. A sociedade cobra muitos comportamentos que afrontam nossa maneira de pensar. Conflitos se estabelecem inúmeras vezes atrapalhando a busca da felicidade.

Diz-se que os verdadeiros amigos aceitam integralmente os “amigos do peito”. Isso inclui assimilar defeitos, limitações, além das qualidades. Tenho inúmeros amigos, mas três são implacáveis no quesito julgamento sincero: meus filhos – Laura e Henrique, 24 e 22 anos – e meu irmão de vida e jornalista Ari Teixeira.

Sempre que pergunto “me diz sinceramente o que tu pensa”... o ato contínuo é de arrependimento. Eles são megaverdadeiros, dizendo sem papas na língua o julgamento sumário. Na hora fico furioso, mas procuro assimilar porque os amigos são assim mesmo, sinceros, por vezes duros, mas sempre honestos.

Muitas pessoas que compartilharam experiências conosco no passado tiveram uma vida inimaginável por não ter encontrar gente que falasse a verdade, mesmo que dolorosa. Nesta “ditadura das aparências” nem sempre é fácil ser autêntico. Imagens de ambientes exuberantes, com gente bonita e ostentação se multiplicam nas redes sócias. Há uma quase obrigação de ser demonstrar felicidade que contraria as agruras rotineiras.

A felicidade está no privilégio de ter ao lado pessoas dispostas à sinceridade diante dos amigos. Isto, sim, não tem preço. E merece valorização verdadeira.


Tags: Gilberto Jasper, jornalismo, Em Outras Palavras, coluna


Gilberto Jasper é jornalista. Trabalhou como repórter nos jornais O Alto Taquari (Arroio do Meio), O Informativo do Vale (Lajeado), Gazeta do Sul (Santa Cruz do Sul) e Zero Hora (Porto Alegre), além das rádios Independente (Lajeado) e Gazeta AM/FM (Santa Cruz do Sul). Como assessor de Imprensa atuou com o ex-secretário da Educação, Bernardo de Souza (Governo Simon), além do Palácio Piratini (Governos Antônio Britto e Germano Rigotto), na Presidência da Assembleia Legislativa do RS (com os deputados Paulo Odone e Frederico Antunes), na Presidência da Câmara de Vereadores de Porto Alegre (vereador Sebastião Melo) e com o deputado federal Osmar Terra. Foi assessor de Imprensa da Presidência do Tribunal de Justiça do RS. Atualmente é coordenador de Comunicação do gabinete do deputado Tiago Simon na AL-RS.

Saído no interior de uma cidadezinha do Vale do Taquari com pouco mais de 5 mil habitantes aos 17 anos me considero um privilegiado por ter feito tantas coisas, por ter conhecido inúmeros lugares interessantes e, acima de tudo, ter tido o privilégio de conviver milhares de pessoas e ter feito valiosos amigos.

Contato:
e-mail: gilbertojasper@gmail.com
Blogger: gilbertojasper.blogspot.com.br




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Comemoramos hoje - 19.06

  • Dia de São Romualdo
  • Dia do Anjo Leuviah
  • Dia do Cinema Brasileiro
  • Dia do Cinema Brasileiro
  • Dia do Migrante
  • Dia do Vigilante