Últimas notícias

Colunistas

RSS
Mimimi

James M. Dressler

08.03.2017

Mimimi

Definitivamente entramos na era da manifestação de ressentimento com tudo e com todos, de culpar os outros pelos próprios insucessos, de encontrar em qualquer um o motivo dos fracassos e não em si mesmo, a vitimização como meio enfrentar a vida. E haja mimimi.

As redes sociais talvez tenham tornado os casos mais conhecidos, talvez tenham incitado mais pessoas a tal comportamento, talvez tenha também criado mais oportunidades para pessoas se apresentarem sempre como vitimas da sociedade. O fato é que exemplos não faltam, e a tal judicialização da sociedade parece uma febre que toma conta do primeiro mundo, com grandes chances de se espalhar para emergentes como o Brasil.

Um exemplo chocante é de uma inglesa que resolveu processar a loteria por ter ganhado um prêmio de 1 milhão de euros, que segundo ela, teria “estragado sua vida”, trazendo-lhe problemas que ela não tinha antes, quando era pobre. Não acreditei da primeira vez que li e tive que ler de novo e procurar em outros sites para confirmar a veracidade. Seria um problema fácil de resolver, não? Poderia doar o dinheiro para uma entidade assistencial, doar para o vizinho ou para mim, eu garanto que agradeceria e não reclamaria. O fato é que fica parecendo que, frustrada com outras particularidades de sua vida, resolveu achar um culpado para extravasar sua insatisfação. Puro mimimi.

Outro exemplo incrível é de uma briga em festa de aniversário aqui no Brasil, que pasmem, chegou ao STJ. O incidente acabou por gerar indenização a uma criança. Ora, algo que poderia ser facilmente resolvida entre os pais, acaba em processo que sobe até às mais altas instâncias do judiciário. Não seria possível deixar de mimimi e chegar a um acordo com pedido de desculpas de uma parte e outra? Neste novo mundo de ofendidos, vítimas e total falta de entendimento, o perdão foi jogado para escanteio há muito tempo.

E nas redes sociais não é muito diferente. Basta você discordar e apontar suas razões para pensar da forma que pensa, e por que discorda de alguma posição, pronto, é o suficiente para começar o mimimi. As pessoas não querem ser contestadas, elas já tem uma crença consolidada, e mesmo que a Matemática simples e pura as desminta, você aprende com elas que dogmas são questão de fé, então, se ela acredita que a Previdência não tem rombo, não há quem a convença de que não. Trump pode fazer o que quiser, pode inclusive tomar posições que já foram de Clinton. Será criticado assim mesmo, por estas mesmas posições que eram aplaudidas pelos mesmos críticos, mas quando eram de Bill Clinton. O mimimi reinante depois da vitória do Republicano continua, principalmente na imprensa, e parece que vai persegui-lo até o final do mandato. Até a imprensa brasileira faz campanha contra o novo presidente. A gente fica pensando o que eles pretendem aqui no Brasil... Derrubar Trump nos Estados Unidos? Não, o  objetivo é local mesmo: demonizar Trump e depois fazer o paralelo dele com um candidato local que não querem ver eleito.

E assim continuamos firmes na era do politicamente correto e do mimimi. Até onde vai, não sei. Mas eu já cansei.

 


Tags: James Dressler, coluna, artigo, opinião


James Masi Dressler é formado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS e pós-graduado em Ciência da Computação pela mesma universidade.

    e-mail: jamesmdr@gmail.com
    Twitter: @jamesmdr

DCO - Gestão da Transição




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Comemoramos hoje - 18.10

  • Dia de São Lucas
  • Dia do Anjo Ayel
  • Dia do Estivador
  • Dia do Médico
  • Dia do Pintor
  • Dia do Securitário