Últimas notícias

Colunistas

RSS
Streaming

James M. Dressler

15.04.2019

Streaming

E para quem ainda duvidada da ascensão das plataformas de streaming, até o futebol está ensaiando sua passagem da televisão para a nova tecnologia, seguindo os passos das séries e filmes que já o fizeram em anos passados.

Primeiro, os próprios canais de esportes pago da TV a cabo, como Fox Sports, ESPN e SporTV lançaram seus aplicativos de streaming. Agora, estamos num segundo passo: começam a surgir as plataformas de streaming desconectadas de qualquer TV a cabo, como a DAZN, que chega ao Brasil e está lançando sua plataforma. O canal opera provisoriamente como um canal no YouTube, transmitindo jogos de campeonatos europeus e da Copa Sul-americana completamente de graça pelo site de vídeos do Google. Não tenho duvida que é essa a tendência, e outras plataformas de streaming voltadas para o esporte seguirão a DAZN pelo mundo.

No Brasil, o antigo canal Esporte Interativo migrou recentemente para ser exclusivamente de streaming. Está utilizando o Facebook para fazer transmissões de jogos, o que pode ser interessante para economizar recursos, ao utilizar a infraestrutura potente da rede social ao invés de construir a sua própria. Temos também o LiveFC, que tem transmitido alguns jogos da Copa do Nordeste, mas pelo YouTube, gratuitamente, e a competição completa, pelo site da plataforma. Até agora, principalmente quando a transmissão é pelo Facebook, tem havido problemas, com travamentos, dificuldade de acesso e incompatibilidade das TVs Smart para a reprodução dos jogos na TV, comandada ou não pelo celular.

Esse aspecto, aliás, considero fundamental para o sucesso das plataformas. Vejo pelo meu caso, eu que sou grande espectador de vídeos no YouTube, como palestras, “lives”, ou jogos de futebol. De que forma eu assisto aos conteúdos? Eu pego meu celular, seleciono o vídeo que quero assistir, e mando a minha TV Smart exibi-lo, tudo comandado a partir do celular, que praticamente vira um controle remoto da TV. Funciona perfeitamente com o YouTube, que já vem pré-instalado na TV. Já com o Facebook, a coisa não está bem redonda, ainda. Primeiro, o aplicativo não veio de fábrica instalado na TV. Segundo, mesmo depois de instalado, não há funcionalidade igual a do YouTube. O Facebook do celular não enxerga a TV como um reprodutor de conteúdo, mesmo com o aplicativo Facebook Watch aberto na tela da TV. Ao menos na minha TV, uma Samsung modelo top de linha de um ano atrás, não. Então imagino que isso aconteça com muitos outros modelos, da Samsung ou não. E isso torna impeditivo, ao menos para mim, acompanhar os jogos transmitidos pelo Facebook, já que teria que assisti-los na telinha do celular por 90 minutos. Não é a melhor experiência de entretenimento. Prefiro ver outra coisa.

Mas nem tudo está perdido se você está na mesma situação que eu. Por apenas R$ 200,00, há uma solução. O notável “gadget” da Google, o Chromecast resolve este problema. Compatível com praticamente todas plataformas de streaming, como Netflix, YouTube ou Facebook, basta plugá-lo na porta HDMI de seu televisor e ligar a energia numa porta USB disponível ou ao adaptador para a tomada doméstica, e você praticamente torna sua TV, mesmo que mais antiga, numa TV Smart. Com ele, você pode pegar seu celular e exibir na TV qualquer filme ou série do Netflix, vídeo do YouTube ou do Facebook, de forma bastante fácil. E o celular fica livre para fazer outras coisas, pois o Chromecast se encarrega sozinho de lidar com o streaming, sem precisar do celular para isso, uma vez que você tenha dito a ele o que quer ver.

Chromecast 3

O streaming vai tomar conta cada vez mais de nossos momentos de entretenimento frente à TV. O próximo passo são os “games”. O Google já anunciou o lançamento de sua própria plataforma de streaming de jogos. Adeus consoles de jogos caras, que a cada dois ou três anos tem que ser trocadas. Não duvido que daqui uns anos tudo que você precise para jogar seja um simples Chromecast, que cabe na palma da sua mão, e um joystick.

Quem acreditaria nisso cinco anos atrás? A tecnologia avança numa velocidade que está até difícil se manter atualizado. E há quem seja contra...


Tags: James Dressler, coluna, artigo, opinião


James Masi Dressler é formado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS e pós-graduado em Ciência da Computação pela mesma universidade.

    e-mail: jamesmdr@gmail.com
    Twitter: @jamesmdr

DCO - Gestão da Transição




Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Comemoramos hoje - 21.07

  • Dia de São Daniel
  • Dia do Anjo Hahasiah
  • Dia Internacional do Trabalhador Doméstico