Últimas notícias

Comentários

RSS
19.03.2012 | Opinião

Construtores do futuro

Ficção X Realidade

O russo-americano Isaac Asimov e o britânico Arthur C. Clarke tornaram-se sinônimos da ficção cientifica no século XX.

Visionários e extremamente criativos, nos apresentaram um universo ficcional que levou nossa imaginação a viajar pela mais famosa obra de Asimov, conhecida como “Trilogia da Fundação” que forma parte da série do “Império Galáctico” e que logo combinou com sua outra grande série, a dos “Robôs”.

Já Arthur C. Clarke, nos brindou com suas obras “The Sentinel” e “2001: A Space Odyssey”, que deram origem ao filme “2001: A Space Odyssey” (2001: Uma Odisseia no espaço) realizado pelo cineasta Stanley Kubrick, que é, a meu ver e de muitos especialistas, um dos melhores, senão o melhor filme de ficção científica de todos os tempos.

Asimov também foi bem representado na telona com o filme estrelado por Will Smith, “I, Robot” (Eu, Robô). Neste filme de 2004, as leis da robótica nos são apresentadas, como por exemplo, de que “Um robô não pode fazer mal à humanidade e nem, por omissão, permitir que ela sofra algum mal”.

Asimov e Arthur C. Clarke foram reconhecidos como mestres do gênero da ficção científica e, junto a Robert A. Heinlein, foram considerados os Três Grandes escritores da ficção científica no século XX.

Arthur C. Clarke, que faleceu em Colombo no Sri Lanka em 19 de março de 2008, nos deixou obras como “2061: Uma Odisseia no Espaço III” e “3001: A Odisseia Final”.

Físico e escritor, Clarke escreveu mais de 80 livros, além de cerca de 500 artigos e contos. Durante a Segunda Guerra Mundial, Clarke serviu na Royal Air Force (Força Aérea Real britânica) como especialista em radares, envolvendo-se no desenvolvimento de um sistema de defesa por radar, peça importante do êxito na Batalha da Inglaterra.

Talvez sua contribuição de maior importância seja o conceito de satélite geoestacionário como futura ferramenta para desenvolver as telecomunicações. A órbita geoestacionária também é conhecida, como órbita Clarke.

Isaac Asimov, falecido em 6 de abril de 1992, construiu um legado na área da robótica até hoje insubstituível. Ele nos apresentou no livro “Eu, Robô”, as 3 Leis da Robótica, que foram criadas como condição de coexistência dos robôs com os seres humanos, como prevenção de qualquer perigo que a inteligência artificial pudesse representar à humanidade.

Asimov e Clarke conseguiram transformar a literatura de ficção científica em algo diferente, nos levando a imaginar como poderá ser o nosso futuro, não com sonhos intangíveis, mas como algo viável que pode ser atingido pelo ser humano através de seu trabalho e criatividade.

A genialidade ficcional de Isaac Asimov e Arthur Charles Clarke demonstram o quanto “gênios” a frente de seu tempo podem influenciar não só o presente quanto o futuro da humanidade.


Tags: ficção, HAL, 2001, IBM, cinema, Stanley Kubrick, Arthur Clarke, Isaac Asimov






Opinião do internauta

  • Marcelo Marées (19.03.2012 | 02.32)
    Bela matéria. Há muito, não ouvia alguém comentar com tanta propriedade sobre esses ícones futuristas, principalmente sobre Isaac Asimov.

Deixe sua opinião

Datas anteriores:

Comemoramos hoje - 17.02

  • Dia de Sete Santos Fundadores dos Servitas
  • Dia do Patrimônio Histórico (Brasil)