Últimas notícias

Comentários

RSS
05.08.2014 | Opinião

Jesse Owens

Jesse Owens nos Jogos de Berlim 1936.

Nas últimas semanas o mundo está lembrando de fatos que marcaram a história da humanidade, em especial as duas grandes guerras que aconteceram num período de pouco mais de trinta e um anos, como comentei ontem aqui no meu espaço.

Muita coisa do que aconteceu nesse período, além da morte de mais de cem milhões de pessoas, marca as relações internacionais até hoje.

A geografia do mundo mudou. Países sumiram, outros surgiram. Fronteiras foram redesenhadas deixando feridas até hoje não cicatrizadas.

Duas novas potências, Estados Unidos e União Soviética, tomaram o lugar das tradicionais potências europeias que dominavam o mundo.

Nos anos trinta o nazismo já mostrava sua face ao mundo, que durante muito tempo foi complacente e até o apoiou.

Ana própria Inglaterra Hitler tinha admiradores mesmo dentro do Palácio de Buckingham.

Mas há 78 anos, durante os Jogos Olímpicos de Berlim, o Nazismo sofreu uma de suas maiores derrotas.

Durante aqueles jogos, o atleta afro-americano Jesse Owens quebrou o recorde olímpico na corrida dos 200 metros.


Jesse Owens ao pódio depois de vencer o salto em distância
nos Jogos Olímpicos de Verão de 1936.

De quebra, Owens ainda conquistou mais três medalhas de ouro, encerrando sua participação com 4 medalhas douradas.

Owens foi campeão nos 100 metros, 200 metros, no revezamento 4x100 metros e no salto à distância.

Para os Jogos de Berlim, o então chanceler alemão Adolf Hitler, havia planejado que a supremacia ariana se destacasse como sendo superior às demais raças.

Pelo visto, Hitler só esqueceu de combinar isso com Owens.

Esse episódio foi um dos momentos mais marcantes da história dos Jogos Olímpicos e da história da humanidade.

Um homem, negro, dotado de força física e superação, calou e envergonhou o responsável pelo Holocausto, que vitimou milhares e milhares de inocentes.

Sempre é bom lembrar uma história tão marcante e emocionante como essa.

Pena que o ser humano e seus líderes têm uma dificuldade muito grande de aprender com os erros da humanidade.

A PAZ, esta palavrinha de apenas três letras, sempre está muito distante.


Tags: nazismo, Jogos Olímpicos, Holocausto, Hitler, Olimpíadas






Opinião do internauta

  • warton pedro (09.08.2014 | 23.36)
    a grande diferença é onde Jesse morava existia democracia e foi por isto que ele viveu, senão teria sido morto naquele mesmo ano. Não defendo o racismo, para mim uma das formas mais violentos do racismo é o escravagismo e o nazismo , e odeio os dois.

  • Fausto Missel Vasques (05.08.2014 | 08.18)
    É verdade que Jesse Owens fez o que fez diante de Adolf Hitler. Contudo esquecem-se de lembrar de como o proprio negro foi tratado nos EUA após os jogos olimpicos. Ele caiu no ostracismo e para sobreviver fazia corrida contra cavalos. Este lado do mundo livre e democrático não é muito dito e comentado. Em realidade ele teve que sobreviver como negro diante de Hitler e nos anos futuros de sua vida diante de uma sociedade que igualmente o discriminava. Sejamos sinceros era a mentalidade de então.!!!

    Réplica:

    Muito bem lembrado.

Deixe sua opinião

Datas anteriores:

Comemoramos hoje - 19.06

  • Dia de São Romualdo
  • Dia do Anjo Leuviah
  • Dia do Cinema Brasileiro
  • Dia do Cinema Brasileiro
  • Dia do Migrante
  • Dia do Vigilante