Últimas notícias

Comentários

RSS
10.02.2015 | Opinião

A vida dos outros

Ulrich Mühe interpretando o agente da Stasi Gerd Wiesler

Com o fim da Segunda Guerra Mundial e o delírio nazista de Adolf Hitler e seus seguidores, a Alemanha acabou “partilhada” entre as potências que a venceram. Esta divisão deu origem a duas “Alemanhas”.

O setor soviético transformou-se na República Democrática Alemã (RDA), que democracia só tinha em seu nome, enquanto que a junção dos outros três setores (norte-americano, britânico e francês) formaram a República Federal da Alemanha (RFA), ou Alemanha Ocidental.

Nesta época também surgia a “Guerra Fria” (Cold War), período histórico de disputas estratégicas e conflitos indiretos entre os Estados Unidos da América (EUA) e a então União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Isto ocorreu entre o final da Segunda Guerra Mundial (1945) até a extinção da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, a URSS (1991).

Quase exatamente quatro meses depois da fundação da República Democrática Alemã, os deputados da chamada “Câmara Popular Provisória” aprovaram unanimemente o item 4 da pauta de trabalhos do dia 8 de fevereiro de 1950.

Tratava-se de uma lei que previa a criação de um novo ministério, o Ministério de Segurança do Estado (em alemão Ministerium für Staatssicherheit), que ficou conhecido como Stasi (abreviatura de Staatssicherheit – segurança do Estado).

Nascia aí uma das mais ferozes forças repressoras do mundo, que deixa sequelas até hoje.

A Stasi centrava suas operações na capital, Berlim Oriental, onde mantinha um extenso complexo em Lichtenberg e outros menores dispersos pela cidade.

A antiga sede da Stasi em Berlim é hoje o Stasimusem, um museu onde os visitantes podem conhecer um pouco do que foi esta terrível organização.

Para o regime no poder na Alemanha de então, pós-nazismo e Gestapo, o povo inteiro deveria ser transformado numa coletividade homogênea, e aqueles que resistissem seriam classificados de inimigos da sociedade e do Estado. Um plano de realização impossível, como demonstrariam finalmente os acontecimentos do outono de 1989 quando da queda do “Muro de Berlim”.

Um pouco da história da Stasi é contada no excepcional filme “Das Leben der Anderen” (A Vida dos Outros / The Lives of Others), do roteirista e diretor alemão “Florian Maria Georg Christian Graf Henckel von Donnersmarck”. A película ganhou o “Oscar 2007” de “Melhor Filme Estrangeiro” e outros 42 prêmios.

Foram sete “Estatuetas Lola” do “Deutscher Filmpreis” (prêmio alemão de cinema), incluindo melhor filme, melhor diretor, melhor roteiro, melhor ator e melhor ator coadjuvante, além de ter estabelecido um novo recorde com 11 nomeações.

O filme foi lançado na Alemanha em 23 de março de 2006, nos Estados Unidos em 9 de fevereiro de 2007 e no Brasil chegava aos cinemas em 30 de novembro de 2007.

Vi e revi várias e várias vezes esse filme que retrata um terrível momento da história onde um ministro da Alemanha Oriental ordena que o maior dramaturgo do país seja vigiado, apesar de nada haver contra ele.

Vale a pena conferir o premiadíssimo “A Vida dos Outros” que é facilmente encontrado em qualquer locadora.

 


Tags: Stasi, cinema, filme, ditadura, Alemanha, URSS, Muro de Berlim






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Datas anteriores:

Comemoramos hoje - 23.10

  • Dia da Aerofilatelia
  • Dia da Aviação e do Aviador
  • Dia de São Severino
  • Dia do Anjo Mumiah