Últimas notícias

Comentários

RSS
04.05.2016 | Opinião

Imprensa Livre

Imprensa Livre

No Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, ocorrido ontem (03/05), diversas organizações mundo afora enfatizaram a importância do jornalismo para a democracia e a paz.

A Liberdade de Imprensa é um dos princípios pelos quais um Estado democrático e de direito assegura a liberdade de expressão e informação aos seus cidadãos.

Lamentavelmente aqui no Brasil, existem diversas pessoas que no passado defendiam a liberdade de imprensa que agora, travestidos de “não sei o quê”, querem impor regras ditatoriais ao jornalismo livre e sem censura.

Durante as manifestações contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, vários equipes e jornalistas foram hostilizados pelos “ditos” manifestantes. No último domingo (01/05/2016) uma equipe da RBS foi “hostilizada” no Parque Farroupilha enquanto cobria as manifestações do Dia do Trabalho. Um verdadeiro absurdo.

Mas vamos em frente...

No site do Comitê de Proteção aos Jornalistas (CPJ) consta a relação dos dez países que menos respeitam o jornalismo, que incluem apenas um latino-americano: Cuba.

A relação dos países apontados como os que mais desrespeitam a liberdade de imprensa é a seguinte:

1. Eritréia
2. Coreia do Norte
3. Arábia Saudita
4. Etiópia
5. Azerbaijão
6. Vietnã
7. Irã
8. China
9. Mianmar
10. Cuba

A lista é baseada em pesquisas sobre o uso de táticas que vão desde a prisão e leis repressivas, até ao assédio a jornalistas e restrições de acesso à internet.

Sete dos 10 países onde a imprensa é mais censurada - Eritreia, Etiópia, Azerbaijão, Vietnã, Irã, China e Mianmar - também estão entre os 10 piores carcereiros de jornalistas de todo o mundo, de acordo com o censo anual de jornalistas presos do CPJ.

Já segundo a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) em 2015 morreram 63 jornalistas no exercício da profissão e outros 40 foram assassinados.

Ou seja, ser jornalista é realmente uma profissão de risco em muitos lugares do mundo e, lamentavelmente, aqui no Brasil também.

Esse o ainda lastimável quadro da liberdade de imprensa no mundo.

Não fosse a coragem e obstinação pessoal de jornalistas, blogueiros e simples cidadãos (os netizens) espalhados mundo afora, crimes, atos de corrupção, abuso de poder, perseguição religiosa, étnica ou sexual, permaneceriam ocultos e insolúveis até hoje.

A pesquisa, investigação e o trabalho jornalístico dão um nome e um rosto às vítimas da injustiça que acontece nos mais diversos pontos do planeta. Mesmo nas “grandes democracias”, muitas injustiças e crimes passariam despercebidos da opinião pública, não fosse o olhar atento de um profissional que procura ajudar a sociedade com informação.

Não fosse a tenacidade de Bob Woodward  e Carl Bernstein, dois repórteres do Washington Post, o Escândalo de Watergate jamais teria vindo à público e forçado a renúncia de Richard Nixon, o todo poderoso presidente dos Estados Unidos da América.

A liberdade de imprensa é mais que um direito da sociedade. É um dever do Estado para com o cidadão, para que este possa exercer sua cidadania com plena informação.

Um verdadeiro Estado Democrático e de Direito, não pode prescindir de uma imprensa livre, que mesmo cometendo alguns erros e exageros ainda é bem melhor do que qualquer controle sobre a informação e a opinião.


Tags: Estado de Direito, imprensa, censura, jornalismo






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Datas anteriores:

Comemoramos hoje - 23.10

  • Dia da Aerofilatelia
  • Dia da Aviação e do Aviador
  • Dia de São Severino
  • Dia do Anjo Mumiah