Últimas notícias

Comentários

RSS
19.04.2017 | Opinião

Tiradentes e o Brasil de hoje

Carga Triburária no Brasil: Cinco meses de trabalho só para pagar impostos

A 21 de abril de 1792, o herói de nossa pátria, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, era executado por participar da Inconfidência Mineira.

Vale lembrar que Tiradentes foi o único a ser executado, pois outros dez inconfidentes tiveram suas penas comutadas.

A Inconfidência Mineira, também referida como Conjuração Mineira, foi uma possível conspiração de natureza separatista, que poderia ocorrer na então capitania de Minas Gerais, contra a execução da derrama e o domínio português.

Durante o Século 18, o Brasil-Colônia pagava um alto tributo para seu colonizador, Portugal. Esse tributo incidia sobre tudo o que fosse produzido em nosso País e correspondia a 20% (ou seja, 1/5) da produção.

Essa taxação altíssima e absurda era chamada de "O Quinto".

Esse imposto recaía principalmente sobre a nossa produção de ouro. O "Quinto" era tão odiado pelos brasileiros, que, quando se referiam a ele, diziam "O Quinto dos Infernos". E isso acabou virando sinônimo de tudo que é ruim em nosso país.

Desde 1783 fora nomeado para governador da capitania de Minas Gerais D. Luís da Cunha Meneses, reputado pela sua arbitrariedade e violência. Sem compreender a real razão do declínio da produção aurífera - o esgotamento das jazidas de aluvião - e atribuindo o fato ao "descaminho" (contrabando), a Coroa instituiu a cobrança da "derrama" na região, uma taxação compulsória em que a população de homens-bons deveria completar o que faltasse da cota imposta por lei de 100 arrobas de ouro (1.500 kg) anuais quando esta não era atingida. Era também descontado o quinto 20% do ouro e da quantidade de escravos (capitalização).

De acordo com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), a carga tributária brasileira chegou ao final do ano de 2011 a 38% ou praticamente 2/5 (dois quintos) de nossa produção, e o governo já pensa em aumentar impostos para “tapar” rombos orçamentários.

Ou seja, a carga tributária que nos aflige é praticamente o dobro daquela exigida por Portugal à época da Inconfidência Mineira, o que significa que pagamos na atualidade literalmente "dois quintos dos infernos" de impostos.

Um verdadeiro absurdo, principalmente quando assistimos o que nossos governantes fizeram e fazem com nosso dinheiro nesse “propinoduto” sem fim.

É corrupção e mais corrupção. É roubalheira e mais roubalheira. Incompetência e mais incompetência.

O pior é que ninguém chega a ficar levemente ruborizado. Tem gente que ainda defende esses ladrões.

Nos últimos dias estamos assistindo todos os dias, a mais e mais sujeira, que veio à tona desse nosso modelo corruPTocrata de gestão governamental.

Pior do que a Coroa Portuguesa no tempo do império, essa corja de bandidos “privatizou” o Estado brasileiro.

Como disse na quarta-feira passada, eu não tenho nenhum MALVADO FAVORITO, a não ser o personagem Gru.

Ladrão é ladrão...

Sejam eles do PT, PSDB, PP, PMDB, ou qualquer outro partido.

Já que (infelizmente) não existe mais pena de morte no Brasil, cadeia em todos eles...

P.S.: O ideal seria jogar as chaves fora...


Tags: corrupção, PT, PMDB, PP, PSDB, cassação, Dilma, Lula, Temer, petralhas, House of Cards, Tiradentes, derrama, quinto, quinto dos infernos






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Datas anteriores:

Comemoramos hoje - 18.08

  • Dia de Santa Helena
  • Dia do Anjo Lelahel
  • Dia do Estagiário