Últimas notícias

Comentários

RSS
19.06.2017 | Opinião

Follow the money

Dustin Hoffman e Robert Redford interpretando os jornalistas do Washington Post, Carl Bernstein e Bob Woodward, no filme 'Todos os Homens do Presidente'.

Eu já disse diversas vezes que nós, brasileiros, somos um povo que leva muita coisa séria na brincadeira. Assuntos que em qualquer outro lugar do mundo são considerados graves e causam crises e punições severas aos envolvidos, por aqui são desconsiderados ou viram chacota.

Até mesmo fazemos chacota até hoje para a derrota de 7 X 1 frente a Alemanha na Copa 2014 que, ainda bem, os alemães sagraram-se campeões. Diferente de nós (os bons de bola), os alemães se prepararam durante vários anos para estar prontos para essa vitória em 2014. Nós não aprendemos quase nada com essa vergonhosa derrota, pois nos focamos só no futebol, pois continuamos com a roubalheira e demais desmandos na CBF.

Deu no que deu. A culpa era toda do Dunga e agora o milagroso “Tite” vai salvar a “Pátria de Chuteiras”. Sabemos que não é só isso, mas continuamos insistindo em nossos erros. Acreditamos que a soma de erros, em algum momento, vai gerar acertos.

Mas vamos ao que interessa...

Até indignamo-nos com atos de corrupção ou abuso de poder cometidos por agentes públicos, mas acabamos coniventes com a falta de punição aos envolvidos nestes descalabros. Assistimos ao TSE criar uma tese maluca para livrar a chapa de Dilma e Temer da cassação. As provas encontradas contra todos era tanta que eles preferiram a cegueira, sem a mínima vergonha na cara.

A “Pizzaria Brasil” já virou rotina, e nada ou quase nada é feito para mudar estes acontecimentos. Muitos adotam seus “Malvados Favoritos” defendendo o indefensável nas redes sociais e, até mesmo nas ruas. Essa gentalha que envergonha e assalta todos os dias nosso país, não merece piedade.

O objetivo dos “pizzaiolos” é de sempre desviar a atenção acusando a imprensa (Veja, Época, Rede Globo, etc...) de terem inventado tudo, e os condenados não passam de vítimas de uma hedionda conspiração que envolve a Polícia Federal (PF), a Procuradoria Geral da República (PGR) e até mesmo ministros do STF, o nosso Supremo Tribunal Federal. Segundo essa gente que prega a teoria da conspiração, tudo não passa de uma grande conspiração.

Até mesmo Paul Joseph Goebbels, ministro do Povo e da Propaganda de Adolf Hitler (Propagandaminister) na Alemanha Nazista, invejaria a criatividade desta turma. É dele a famosa frase: “uma mentira cem vezes dita, torna-se verdade”.

Mas vamos a um pouco de história de primeiro mundo.

O “Caso Watergate” consta, sem dúvida alguma, entre os maiores escândalos da história da política mundial. Para quem não lembra, este episódio levou a renúncia do 37° presidente dos Estados Unidos da América, Richard Milhous Nixon.

Tudo começou quando no sábado, 17 de junho de 1972, há exatos 44 anos, a sede do Partido Democrata, localizada no edifício Watergate, em Washington, foi invadida por cinco homens que tentavam fotografar documentos e colocar microfones e outros equipamentos de espionagem no local.


O Complexo Watergate em Washington, D.C.

No dia seguinte, em 18 de junho de 1972, o conceituadíssimo jornal The Washington Post estampava na primeira página um assalto ocorrido no dia anterior na sede do Comitê Nacional do Partido Democrata, no Complexo Watergate, na capital dos Estados Unidos.

Começava assim a que é considerada a maior investigação jornalística do século XX protagonizada por Bob Woodward e Carl Bernstein, repórteres do Washington Post, que lançaram-se numa minuciosa investigação no já chamado Caso Watergate. Durante muitos meses, os dois repórteres estabeleceram as ligações entre a Casa Branca e o assalto ao edifício de Watergate.

Ninguém acusou os repórteres ou o Washington Post de serem golpistas.


Carl Bernstein e Bob Woodward

Bob e Carl tiveram como informante uma pessoa conhecida apenas por “Garganta Profunda” (Deep Throat) que revelou que o presidente sabia das operações ilegais. Ele se chamava William Mark Felt,  que chegou a ser o segundo em comando no FBI. É de sua autoria a frase “Follow the Money”, “sigam o dinheiro”, que levaram as investigações ao “Salão Oval” da Casa Branca.

Nixon teve um governo marcante que entrou para a história pela negociação da retirada das forças dos Estados Unidos durante a Guerra do Vietnã, por ter aproximado seu país da República Popular da China, e por sua viagem a Moscou, onde deu impulso às negociações com a União Soviética sobre a redução de armamentos no planeta.

Mas este presidente norte-americano será mais lembrado por seu envolvimento num dos maiores escândalos políticos da história e sua renúncia pouco antes da votação da cassação de seu mandato.

Na noite de 8 de agosto de 1974, ele dirigiu um discurso pela televisão revelando sua intenção de renunciar no dia seguinte para evitar o impeachment.

O trauma político causado por este episódio foi enorme, levando os norte-americanos a eleger posteriormente um candidato religioso e muito apegado a valores morais: Jimmy Earl Carter.

O resultado é conhecido por todos. No dia 9 de agosto de 1974, quando várias provas já ligavam os atos de espionagem e escutas ao Partido Republicano, Richard Nixon renunciou à presidência da nação mais poderosa do mundo.

O escândalo que derrubou Nixon também foi retratado no filme Todos os Homens do Presidente dirigido por Alan J. Pakula, que obteve 4 Oscars. Os atores Robert Redford e Dustin Hoffman representaram os jornalistas do Post Bob Woodward e Carl Bernstein respectivamente.

Lembro estes fatos para demonstrar o quão vigilantes devemos estar em relação aos abusos do poder e lembrar a importância de uma imprensa livre que transformou o Caso Watergate num símbolo contra os abusos do poder. 

Enquanto isso aqui no PATROPI...

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal também “seguiram o dinheiro”, conseguindo chegar ao “modus operandi” da corrupção política em nosso país que sustenta tanta bandalheira que envolve quase todos os partidos. PT, PMDB, PP, são os principais operadores dessas operações criminosas, que, como disse, envolvem quase todos os partidos políticos de nosso país, que se tornaram legendas de aluguel para enriquecer seus dirigentes.

A mim pouco importa quem são os políticos ou partidos envolvidos. O que importa é que são ladrões e devem ir para a cadeia, além de devolverem tudo o que roubaram.

O Brasil não pertence ao partido A ou B, nem tampouco virou feudo de algum ex-presidente que se diz “o mais honesto do país”.

Ladrão e quem deixa roubar é a mesma coisa.

A Operação Lava Jato é o nosso Watergate e pode mudar definitivamente os rumos de como se faz política em nosso país.

Mas para que isso realmente aconteça, todos nós devemos estar vigilantes e não podemos nos deixar enganar por paixões ideológicas.

Ladrão é ladrão.

Cadeia para todos eLLes.


Tags: Richard Nixon, Watergate, China, economia, guerra fria, Impeachment, Temer, Lula, Dilma, corrupção, Lava Jato






Opinião do internauta

  • Roberto Henry Ebelt (20.06.2017 | 10.22)
    Caro irmão de fé (fé de que podemos melhorar o mundo), nosso país nunca sofreu com uma guerra de proporções gigantescas como a primeira e segunda guerras mundiais. A nação não conhece verdadeiras catástrofes como o Holodomor de Stalin na Ucrânia ou como os holocaustos judaico e hebreu. Essa situação de país tropical, sem inverno e com acesso, mesmo que minguado, à alimentação criou um país amolecido, sem fibra, e com autoridades corruptas que até agora temos aceitado como um mal menor. Não aguentamos a dureza de um regime militar nem por escassos 21 anos e já criamos a pior constituição do planeta Terra. Estamos colhendo os resultados da moleza em que vivemos há mais de 500 anos. E ninguém vê que estamos em guerra. O pMDB (repositório dos trastes do período 45-64) continuará no poder até 2018 e lula voltará como salvador da pátria em 2019. Existe saída? Sim: o aeroporto internacional mais próximo

  • Perci Schmitz Emerenciano (19.06.2017 | 14.12)
    Concordo plenamente, e fico totalmente estarrecido quando vejo o PT e os seus, agindo como se nada tivessem à ver com isso, não foram eles que governarão nos últimos 12 anos? Ou acabaram de chegar de marte?

Deixe sua opinião

Datas anteriores:

Comemoramos hoje - 17.12

  • Dia de Santa Olímpia
  • Dia do Presbiteriano
  • Dia São Lázaro / Xapanã