Últimas notícias

Hoje na história

RSS
Quinta-Feira, 24 de Fevereiro de 1920.

O partido nazista da Alemanha, liderado por Adolf Hitler, lança o seu programa de criação do “Terceiro Reich” alemão


No dia 24 de fevereiro de 1920, o Partido Alemão dos Trabalhadores, de Adolf Hitler, apresenta um programa tanto nacionalista, como anti-semita e anticapitalista. No mesmo dia, torna-se Partido Nacional-Socialista Alemão dos Trabalhadores (NSDAP).

Essa pequena e ridícula criação, com seus poucos filiados, me pareceu ter a vantagem de ainda não ter se solidificado numa organização. Ela ainda podia ser trabalhada e, quanto menor o movimento, mais fácil de moldá-lo na forma certa. Ainda se podia determinar o conteúdo, o objetivo e o meio. Palavras de Adolf Hitler em seu livro Mein Kampf ( Minha Luta).

A pequena e ridícula criação mencionada era o Partido Alemão dos Trabalhadores (DAP), um partido de direita, no qual Hitler ingressou em setembro de 1919. Como narra o historiador Eberhard Jäckel, de Stuttgart:

Era realmente um grupo muito pequeno de Munique, sem significado. Com características específicas da Baviera. Chamava-se Partido Alemão dos Trabalhadores. Hitler o conheceu poucos meses depois de sua fundação.

O futuro Führer fazia parte de um comando militar que passou a controlar Munique após o breve período de regime socialista aí instaurado por Kurt Eisner, assassinado em fevereiro de 1919. Nesse mesmo ano, Hitler filiou-se ao pequeno partido, fundado pelo ferroviário Anton Drexler e o jornalista Karl Harrer. Não demorou para que assumisse a chefia do departamento de propaganda da agremiação. Sua influência sobre o partido foi tão grande que escreveu de próprio punho o programa de 25 pontos, apresentado em 1920.

Reivindicações populistas

O programa exigia, em primeiro lugar, a unificação de todos os alemães numa Grande Alemanha. Exigia a aquisição de colônias e o cancelamento do Tratado de Versalhes, que selou a derrota alemã na Primeira Guerra Mundial. Além disso, só teria o direito de ser cidadão alemão quem tivesse sangue alemão. Os não alemães não teriam acesso aos órgãos públicos e estariam sujeitos a leis especiais.

As diretrizes socialistas do programa concentravam-se na estatização das empresas e na exigência de participação nos lucros de grandes firmas. No aspecto da política interna, citava apenas palavras de ordem, sem oferecer estratégias definidas. Pregava, por exemplo, o combate à mentira política ou melhorias na saúde da população.

Em suma, um apanhado de reivindicações populistas, apresentadas na época diante de duas mil pessoas, na famosa cervejaria Hofbräuhaus de Munique. Hitler aproveitou para mudar o nome do partido para Partido Nacional-Socialista Alemão dos Trabalhadores (Nazionalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei), de onde foi retirada a sigla nazi, pela qual passou a ser identificado.

O pequeno partido nazista começou a arregimentar elementos das mais variadas tendências e classes sociais. O próprio partido se via como movimento que representava os anseios da população. Um movimento em que Hitler foi tomando as rédeas, até assumir a presidência, em 1921.

Dois anos depois, fracassou na tentativa de golpe que ficou conhecida como o putsch da cervejaria de Munique, para derrubar a República de Weimar. Hitler foi condenado a cinco anos de prisão, mas só cumpriu nove meses.

Resolveu então chegar ao poder através de eleições e começou a reorganizar seu pequeno partido. Na grave crise econômica de 1929, a classe média e os industriais, temerosos do avanço do comunismo, viram a salvação nos nazistas. Em 1930, o partido foi o segundo mais votado no país, com seis milhões de votos.

Fonte: [link=http://www.dw-world.de/dw/0,,607,00.html?id=607]Rádio Deutsche Welle [/link]



Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 20.04

  • Dia do Diplomata
  • Dia do Disco
  • Santa Inês de Montepulciano

Agenda do dia - 20.04

  • 16:00 às 16:30 Programa PontoNet na POATV Canal 6 da Net em Porto Alegre