Últimas notícias

Hoje na história

RSS
01 de março de 1982.

A sonda espacial soviética Venera 13 envia à Terra as primeiras imagens coloridas da superfície de Vênus

O Planeta Vênus

Programa Venera (em russo: Венера) foi uma série de sondas espaciais desenvolvidas pelo programa espacial soviético, para a coleta de informações do planeta Vênus. Eram lançadas em pares, com uma segunda sonda sendo lançada uma ou duas semanas após o lançamento da primeira.

Os desenhos e os equipamentos carregados pelas sondas da série variaram ao longo dos anos, sendo gradualmente aperfeiçoados para resistir às extremas condições da atmosfera e da superfície do planeta Vênus.

O Programa Venera se estendeu de 1961 até 1983. Existe um novo projeto russo, chamado Venera-D, que pretende explorar o planeta por radar e também localizar lugares para próximos pousos sobre a superfície. O projeto tem seu lançamento previsto para 2016.

Pioneirismo

Mesmo sendo pouco divulgadas, as missões Venera foram pioneiras em vários aspectos:

  • Primeiro artefato humano a pousar suavemente em outro planeta e conseguir transmitir informações durante certo tempo.
  • Primeiras máquinas criadas pelo homem a entrar na atmosfera de outro planeta.
  • Foi a primeira a fotografar e enviar à Terra imagens de outro planeta.
  • A primeira e a realizar o mapeamento em radar da superfície de um planeta.

As condições extremas de Vênus - temperaturas diárias de mais de 450 ℃, pressão atmosférica 90 vezes maior do que a da Terra e tempestades de ácido sulfúrico - fizeram com que estas sondas não sobrevivessem por muito tempo. As 8 primeiras sondas foram desenhadas para pousar no planeta, enquanto as 8 sondas posteriores foram desenhadas de modo diferente, sendo compostas de uma sonda orbital e de uma sonda projetada para pousar no planeta e resistir por um mínimo de 30 minutos na superfície do planeta antes de ser decomposta.

As Sondas

  • Venera 1A "Estação Interplanetária Automática" Vênus-1 ou Venera 1 (em russo: Венера-1) foi a primeira sonda espacial enviada para Vênus pela União Soviética, em 12 de fevereiro de 1961, às 00:34:36 UTC. Era uma sonda de 643,5 kg que consistia de um corpo cilíndrico de 1,05 m de diâmetro, fechada por um domo, com 2,035 de comprimento. Cerca de 7 dias depois de ir para o espaço, em 19 de fevereiro de 1961, e já a caminho do planeta Vênus, o centro de controle da Terra perdeu o contato com a nave.
     
  • Venera 2 A "Estação Interplanetária Automática" Vênus-2 ou Venera 2 teve seu lançamento em 12 de novembro de 1965 às 05:02:00 (UTC). Foi lançada a partir de um Sputnik Tyazheliy (65-091B) transportando um sistema de TV e instrumentos científicos. Em 27 de fevereiro de 1966, a nave espacial passou a uma distância de 24.000 km do planeta Vênus e entrou numa órbita heliocêntrica. O sistema da sonda tinha deixado de funcionar antes de atingir o planeta e não retornou dados.
     
  • Venera 3Foi lançada no dia 16 de novembro de 1965 às 04:19 (UTC) em Baikonur, Cazaquistão. Ao penetrar na atmosfera de Vênus, em 1º de março de 1966, o centro de controle da Terra perdeu o contato com a nave logo antes da entrada da sonda na atmosfera do planeta. A Venera 3 tornou-se o primeiro objeto humano a pousar em outro planeta - embora este pouso não tenha sido controlado. A sonda possuía um corpo cilíndrico com uma espécie de redoma no topo, com uma altura total de cerca de 2 m, e havia dois painéis solares laterais de dimensões relativamente pequenas. Uma antena grande (mais de 2 m de diâmetro), de alto ganho, era a responsável pela recepção dos sinais de controle, e uma antena linear longa transmitia os sinais à Terra. Os instrumentos científicos da nave incluíam um magnetômetro, detectores de íons, detectores de micrometeoritos e radiação cósmica. A redoma no topo da nave continha uma esfera pressurizada que continha as insígnias soviéticas, e era projetada para flutuar nos presumíveis oceanos de Vênus, após o pouso (a nave não continha retrofoguetes).
     
  • Venera 4: Lançada em 12 de junho de 1967, alcançou Vênus em 18 de outubro de 1967, tornando-se a primeira sonda a entrar na atmosfera e enviar dados à Terra. A Venera 4 também realizou a primeira comunicação radiofônica sonda-Terra. Ela liberou uma cápsula com dois termômetros, um barômetro, um altímetro e medidores de densidade do ar, 11 analisadores de gás e dois rádio-transmissores. O módulo principal da nave carregava um magnetômetro, detectores de raios cósmicos, indicadores de oxigênio e hidrogênio e detectores de partículas. O módulo de descida conseguiu transmitir informações durante a descida, até alcançar a altitude de 25 km (freiado por paraquedas), onde foi destruído pelas severas condições atmosféricas de Vênus.
     
  • Venera 5: Lançada em 5 de janeiro de 1969, alcançou Vênus em 16 de maio de 1969 e entrou na atmosfera de Vênus no mesmo dia, enviando dados à Terra antes de ser esmagada pela atmosfera. A nave carregava um módulo de pouso, dotado de paraquedas, além de instrumental científico. Também carregava medalhões comemorativos com as insígnias soviéticas e o baixo-relevo de Lênin. A Venera 5 lançou o seu módulo de pouso no lado escuro de Vênus em 16 de maio de 1969.
     
  • Venera 6. Lançada no dia 10 de janeiro de 1969, alcançou Vênus em 17 de maio de 1969. A nave carregava um módulo de pouso, dotado de paraquedas, além de instrumental científico. Também carregava medalhões comemorativos com as insígnias soviéticas e o baixo-relevo de Lênin.
     
  • Venera 7: Foi a primeira sonda desenhada para resistir às extremas condições do planeta Vênus e a realizar um pouso controlado no planeta. Lançada no dia 17 de agosto de 1970, alcançou Vênus em 15 de dezembro de 1970 e pousou no planeta no mesmo dia. Enviou informações à Terra por 23 minutos antes de ser decomposta pelo calor e pela pressão do planeta. O radar da Venera 7 detectou ventos de mais de 100 quilômetros por hora. Foi o primeiro artefato humano a pousar suavemente em outro planeta e conseguir transmitir informações durante certo tempo.
     
  • Venera 8: Lançada no dia 27 de março de 1972, pousou em Vênus em 22 de julho de 1972, sobrevivendo por 50 minutos, quando a pressão atmosférica (de 93 vezes a da Terra) e a temperatura do planeta a destruiu.
     
  • Venera 9: Lançada no dia 8 de junho de 1975, pousou em Vênus em 22 de outubro de 1975, sobrevivendo por 53 minutos, quando a pressão atmosférica (de 93 vezes a da Terra) e a temperatura do planeta a destruiu.
     
  • Venera 10: Lançada no dia 14 de junho de 1975, chegou em Vênus em 25 de outubro de 1975, sobrevivendo por 65 minutos, quando a pressão atmosférica (de 93 vezes a da Terra) e a temperatura do planeta a destruiu. Anos depois, a nave americana Magellan tirou uma foto do local aonde a Venera 10 pousou, mas os técnicos da NASA não conseguiram achar a Venera 10.
     
  • Venera 12: Lançada a 14 de setembro de 1978, alcançou o planeta em 21 de dezembro de 1978, sobrevivendo por 110 minutos. Sua irmã, a Venera 11, lançada em 9 de setembro de 1978, pousou no planeta 4 dias depois, a 25 de dezembro de 1978, sobrevivendo por 95 minutos, mas seus sistemas de imagens (fotografia, radar) não operaram.
     
  • Venera 13: Lançada no dia 30 de outubro de 1981, enviou à Terra as primeiras imagens coloridas da superfície de Vênus, em 1º de março de 1982, sobrevivendo por 127 minutos, à temperatura de 456 graus centígrados e à pressão de 89 atmosferas.
     
  • Venera 14: Lançada no dia 4 de novembro de 1981, era idêntica à sonda Venera 13. Chegou à superfície de Vênus, em 15 de março de 1982, Apesar de projetada para sobreviver 32 minutos na superfície de Vênus, acabou sobrevivendo por 127 minutos, à temperatura de 456 graus centígrados e à pressão de 89 atmosferas.
     
  • Venera 15 e 16: Encerrando a série Venera, em 1983 foram lançadas duas naves destinadas a mapear Vênus com o emprego de um sistema de radar, sem pouso portanto: a Venera 15, lançada em 2 de junho de 1983, e a Venera 16, lançada em 7 de junho de 1983. As partes orbitais da Venera 15 e a Venera 16 realizaram missões de mapeamento da superfície do planeta em 10 e 14 de outubro de 1983. As naves Venera 15 e 16 eram idênticas e aproveitaram a nave base (módulo orbitador) das Venera 9 a 14, ligeiramente modificadas. As Veneras 15 e 16 foram as últimas sondas do Programa Venera.

Fonte: Wikipédia


Tags: Venera, sonda, espaço, Vênus, Venera, URSS, União Soviética






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 25.08

  • Dia de São José Calazans
  • Dia do Anjo Yesalel
  • Dia do Feirante
  • Dia do Soldado e do Exército Brasileiro