Últimas notícias

Hoje na história

RSS
11 de Julho de 1979.

A Estação Espacial “Skylab” é destruída ao reentrar na atmosfera terrestre

Última imagem do Skylab em órbita, feita pela tripulação da Skylab IV, na missão de despedida ao laboratório espacial.

Skylab (Sky Laboratory, literalmente "Laboratório do céu"), designa a primeira estação espacial norte-americana, que foi lançada ao espaço em 14 de maio de 1973, a uma altitude de 435 km, e reentrou na atmosfera, destruindo-se prematuramente, em 11 de julho de 1979. O nome também designa a missão Skylab I, que colocou a estação em órbita, e as três missões tripuladas, Skylab II, III e IV que foram lançadas para trabalhar na estação espacial e usavam a nave Apollo.

A Skylab era composta de cinco partes: um telescópio (ATM); um adaptador para acoplagem múltipla (MDA); um módulo selado (AM); uma unidade de instrumentos (IU); e um espaço de trabalho orbital (OWS).

A missão Skylab I foi a responsável por colocar em órbita a estação/laboratório espacial Skylab. Foi uma missão não tripulada que usou o foguete Saturno V.

A Skylab era composta de cinco partes: um telescópio (ATM); um adaptador para acoplagem múltipla (MDA); um módulo selado (AM); uma unidade de instrumentos (IU); e um espaço de trabalho orbital (OWS).

Skylab I

A Skylab I foi a primeira missão do programa espacial Skylab desenvolvido pela NASA. Foi lançada do Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral em 14 de Maio de 1973 em um foguete Saturno V não tripulado e tinha como objetivo principal colocar em órbita o laboratório/estação espacial Skylab.

Vibrações no lançamento do foguete causaram a separação do escudo protetor contra meteororitos, que acabou arrastando consigo um dos painéis solares da estação. O Skylab foi então manobrado para que o outro painel captasse o máximo de energia, mas isso provocou um super-aquecimento. Esses problemas só foram resolvidos muitos dias depois quando chegou à estação espacial a missão tripulada Skylab II.

Skylab II

Skylab II ou SL-2 ou SLM-1 foi a primeira missão tripulada para a Skylab colocada em órbita pelos Estados Unidos, após o encerramento do Programa Apollo, com a última missão lunar realizada pela Apollo 17, em 7 de dezembro de 1972.

A missão foi lançada em 25 de maio de 1973 por um foguete Saturno IB. O nome também se refere ao veículo usado para àquela missão. A Skylab II estabeleceu o recorde de permanência humana no espaço.

A missão Skylab II foi algumas vezes chamada de Skylab I, mas este nome se refere à missão-não tripulada de lançamento da própria estação. Entretanto, a confusão se manteve entre os astronautas e a NASA, se a missão não-tripulada que enviou a estação ao espaço seria chamada de Skylab ou Skylab I, e as missões seguintes, tripuladas, seriam chamadas de Skylab I, II e III ou II, III e IV. Ao final, as missões Skylab voaram todas com suas insígnias mostrando um número diferente do código oficial da missão.

Lançado em 25 de maio de 1973 a principal tarefa da primeira tripulação da Skylab foi reparar a estação. A proteção contra meteoritos e raios solares e placas de captação de energia solar foram destruídas durante a decolagem, e o painel solar principal estava travado. Devido à preocupação com o aquecimento da estação - pela à falta do escudo solar - havia o risco de liberar gases tóxicos e arruinar os filmes e comida a bordo, a tripulação teve que trabalhar rápido.

Depois de uma tentativa frustrada de acionar o Painel Solar, eles improvisaram um "guarda-sol" como substituto do revestimento de proteção solar. O "reparo funcionou", e as temperaturas internas baixaram o suficiente para a entrada da tripulação. Duas semanas depois Conrad e Kerwin conduziram uma caminhada-espacial, onde após um esforço hercúleo, conseguiram destravar o painel solar e permitir o fornecimento de eletricidade para seu novo lar.

Por quase um mês eles fizeram outros reparos na estrutura, realizaram experimentos médicos, colheram informações da Terra e do Sol e retornaram com 29 mil quadros de filme num total de 392 horas de experimentos. Os astronautas passaram 28 dias no espaço, o dobro do recorde americano anterior.

A missão durou até 22 de junho de 1973. O Skylab II desceu no Oceano Pacífico a uma distância de 9,6 km do navio de resgate USS Ticonderoga.

A missão bateu recordes de permanência no espaço em espaçonave tripulada, maior distância percorrida e maior massa atracada no espaço. Conrad bateu o recorde de maior tempo no espaço por um astronauta na época

Skylab III

Skylab III (também SL-3e SLM-2) foi a segunda missão tripulada do programa Skylab.

Efetuada durante cerca de dois meses por uma tripulação de três homens, entre 28 de julho e 28 de setembro de 1973, a missão realizou experiências científicas nas áreas de atividades médicas, observação solar e recursos naturais terrestres.

A missão começou com um problema ocorrido durante a aproximação com a estação para a acoplagem, no sistema de controle de reação do módulo de comando e serviço, causando uma fenda no conjunto. A tripulação conseguiu acoplar mas a vibração a bordo continuou com o problema. Pela primeira vez, uma nave Apollo foi levada até a plataforma de lançamento em Cabo Kennedy para uma possível missão de resgate, já que a estação possibilitava a acoplagem de duas naves ao mesmo tempo. A tripulação, entretanto, resolveu o problema, com o resgate se mostrando desnecessário.


A Skylab III em órbita.

Esta missão alongou o tempo no espaço de uma tripulação de um mês, caso da Skylab II, para dois meses. Neste tempo, centenas de experiências científicas foram realizadas, entre elas: estudo da saúde dental, instalação de protetores solares contra micrometeoritos, adaptação psicológica humana no espaço, estudo de cobaias de laboratório e de características de células do pulmão humano na microgravidade

Skylab IV

Skylab IV (também SL-4 e SLM-3)  foi a quarta missão do programa Skylab e a terceira e última missão tripulada à estação espacial norte-americana.

Em seus 84 dias de duração, além de experiências na área médica e a observação solar, a tripulação da Skylab IV foi a primeira missão espacial a fazer observações em órbita de um cometa, no caso o Cometa Kohoutek, que cruzou o sistema solar interior entre 1973-1974, podendo até ser, pela luminosidade de sua cauda, observado a olho nu da Terra.

A Skylab IV também foi a primeira e única missão espacial com mais de dois integrantes, onde todos os seus tripulantes eram novatos no espaço


Gerald Carr, comandante; William Pogue, piloto e; Dr. Edward Gibson, cientista, a tripulação do Skylab IV.

Ao chegar ao Skylab, a tripulação lá encontrou três bonecos vestidos com roupas espaciais, um presente deixado pela tripulação anterior, a Skylab III. A missão começou mal, com os astronautas tentando esconder do controle da missão o mal estar de um dos tripulantes, causado pela 'doença do espaço', descoberto depois pelos controladores em Terra pelas gravações das vozes a bordo.

Durante o progresso dos trabalhos, os controladores acharam que a equipe não estava realizando as funções pré-estabelecidas no ritmo pretendido, com a tripulação cansando antes do esperado. Por sua vez, eles reclamavam da sobrecarga de tarefas em tempo exíguo. O ápice da situação chegou a uma videoconferência entre a tripulação e a NASA, que resolveu fazer modificações no organograma de tarefas da missão. Após este fato, ao fim da missão os tripulantes haviam realizado mais tarefas que o programado antes do lançamento. Estes fatos acabaram criando importantes lições que haveriam de ser usadas nas agendas de tarefas das missões posteriores.

No Dia de Ação de Graças, os astronautas William Pogue e Richard Gibson fizeram seis horas e meia de 'caminhadas espaciais', recolocando filme no observatório solar e consertando uma antena. No sétimo dia, a tripulação reportou um defeito no sistema de controle de altitude do giroscópio da estação, causado por deficiência de lubrificação, o que poderia abreviar o tempo da missão, mas os giroscópios de reserva foram acionados, funcionando a contento.

A tripulação fez mais de 75 mil imagens da Terra e do Sol e no dia 13 de dezembro acompanhou do espaço a passagem do cometa Kohoutek, que teve sua passagem filmada através do observador solar.

Ao final da missão, a última do programa Skylab, a tripulação completou 1214 órbitas da Terra e realizou 22 horas de Atividades extra-veiculares, durante 84 dias. Nenhum dos três astronautas foi novamente ao espaço, retirando-se da NASA antes do início do programa dos ônibus espaciais..


Última imagem do Skylab em órbita, feita pela tripulação da Skylab IV, na missão de despedida ao laboratório espacial.

Fonte: Wikipédia


Tags: Espaço, Nasa, estação espacial, Skylab, Estação Espacial Internacional






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 22.07

  • Dia de Santa Maria Madalena
  • Dia do Anjo Imamaiah
  • Dia do Cantor Lírico