Últimas notícias

Hoje na história

RSS
Terça-Feira, 28 de Abril de 1969.

O presidente francês De Gaulle renuncia ao cargo, após eleitores rejeitarem, em um plebiscito, importantes reformas governamentais

Charles de Gaulle
Charles André Joseph Marie de Gaulle (22 de Novembro de 1890, Lille — 9 de Novembro de 1970, Colombey-les-Deux-Églises) foi um militar, político e estadista francês que liderou as Forças Francesas Livres durante a Segunda Guerra Mundial. Mais tarde fundou a Quinta República Francesa em 1958 e foi seu primeiro Presidente de 1959 a 1969.

Um veterano da Primeira Guerra Mundial, nos anos 1920 e 1930 de Gaulle destacou-se como um proponente da guerra de blindados e defensor da aviação militar, que ele considerava um meio para romper o impasse da guerra de trincheira. Durante a Segunda Guerra Mundial, foi promovido ao posto temporário de brigadeiro, liderando um dos poucos bem sucedidos contra-ataques de blindados durante a queda da França em 1940, e em seguida servindo por pouco tempo no governo francês quando a França estava caindo.

Retirou-se para a Inglaterra e proferiu um famoso discurso no rádio em junho de 1940, exortando o povo francês a resistir à Alemanha Nazista e organizando as forças francesas livres com oficiais franceses exilados no Reino Unido.

Durante a Segunda Guerra Mundial rivalizou com o general Henri Giraud na liderança das forças militares e da resistência francesa. Ao passo que o general Giraud tinha o apoio de Roosevelt e dos Estados Unidos, De Gaulle foi preferido pelos setores esquerdistas da resistência francesa, que preferiam a postura tão antiamericana quanto possível de De Gaulle, mesmo durante a Segunda Guerra Mundial.

Gradualmente obteve o controle de todas as colônias francesas - a maioria das quais tinham sido inicialmente controladas pelo regime pró-alemão de Vichy - e à época da libertação da França, em 1944, ele estava dirigindo um governo no exílio, insistindo que a França deveria ser tratada como um grande poder independente pelos outros aliados.

De Gaulle tornou-se primeiro-ministro do Governo Provisório Francês, renunciando em 1946 devido a conflitos políticos. Após a guerra, fundou seu próprio partido político, o RPF. Embora tenha se retirado da política em 1950, após a derrota do RPF em obter o poder, foi escolhido para voltar ao poder como primeiro-ministro pela Assembleia Francesa durante a crise de maio de 1958. De Gaulle liderou a redação de uma nova Constituição, fundando a Quinta República, sendo eleito Presidente da França, um cargo que passou a deter um poder muito maior do que na Terceira e Quarta Repúblicas.

Como presidente, Charles de Gaulle pôs fim ao caos político que precedeu o seu regresso ao poder. Uma nova moeda francesa foi instituída em janeiro de 1960 para controlar a inflação e o crescimento industrial foi promovido. Apesar de ter apoiado inicialmente o domínio francês sobre a Argélia, ele polemicamente decidiu conceder a independência àquele país, encerrando uma guerra cara e impopular, mas deixando a França dividida e tendo que enfrentar a oposição dos colonos brancos e dos militares franceses que tinham inicialmente apoiado seu retorno ao poder.

De Gaulle supervisionou o desenvolvimento de armas atômicas francesas e promoveu uma política externa pan-europeia, buscando independência das influências norte-americana e britânica. Retirou a França do comando militar da OTAN - apesar de se manter um membro da aliança ocidental - e duas vezes vetou a entrada da Grã-Bretanha na Comunidade Europeia. Viajou amplamente pela Europa Oriental e em outras partes do mundo e reconheceu a China comunista. Em uma visita ao Canadá, deu incentivo ao separatismo do Quebec.

Durante seu mandato, de Gaulle também enfrentou controvérsias e oposição política dos comunistas e dos socialistas. Apesar de ter sido reeleito como presidente, desta vez por voto popular direto, em 1965, em maio de 1968 parecia provável que perdesse o poder em meio a protestos generalizados de estudantes e trabalhadores, mas sobreviveu à crise com uma ampliação da maioria na Assembleia. No entanto, De Gaulle renunciou depois de perder um referendo em 1969, mas continua a ser o líder mais influente da história da França moderna. Sua política ideológica é conhecida como Gaullismo, tendo ainda muita influência na vida política francesa atual.

De Gaulle foi presidente da França entre 8 de Janeiro de 1959 e 28 de Abril de 1969, quando renunciou.

Tags: Renúncia, Primeira Guerra Mundial, Segunda Guerra Mundial, herói, França, franceses






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 20.11

  • Dia da Consciência Negra
  • Dia de Santo Edmundo
  • Dia de Santo Otávio
  • Dia do Anjo Ierathel
  • Dia do Auditor
  • Dia do Aviador e da FAB
  • Dia do Biomédico
  • Dia do Técnico em Contabilidade - Porto Alegre
  • Dia Mundial da Criança (Onu)