Últimas notícias

Hoje na história

RSS
Sexta-Feira, 30 de Maio de 1536.

Henrique VIII da Inglaterra casa com Jane Seymour, 11 dias depois da execução de Ana Bolena

Representação de Joana em miniatura do século XVII de autoria de Václav Hollar.

Henrique VIII (28 de junho de 1491 – 28 de janeiro de 1547) foi o Rei da Inglaterra de 1509 até sua morte, e também Lorde e depois Rei da Irlanda. Henrique foi o segundo monarca inglês da Casa de Tudor, sucedendo a seu pai Henrique VII.

Henrique é conhecido como o fundador da Igreja Anglicana. Suas lutas contra Roma ocasionaram a renúncia da Inglaterra à autoridade papal, a Dissolução dos Mosteiros e seu próprio estabelecimento como Chefe Supremo da Igreja de Inglaterra. Ainda assim ele continuou a acreditar nos principais ensinamentos católicos, mesmo após sua excomunhão. Henrique supervisionou a união legal da Inglaterra e Gales com os Atos das Leis em Gales de 1535 e 1542.

Em 1513, Henrique aliou-se com Maximiliano I, Sacro Imperador Romano-Germânico, e invadiu a França com um exército numeroso e bem equipado, porém pouco realizou com o enorme custo financeiro. Por outro lado, Maximiliano usou a invasão inglesa para seu próprio benefício, prejudicando a capacidade da Inglaterra de derrotar os franceses. Esse incidente marcou o início de uma obsessão de Henrique, que invadiu o país novamente em 1544. Desta vez, suas forças capturaram a importante cidade de Bolonha-sobre-o-Mar, porém o imperador Carlos V apoiou Henrique até onde julgava necessário e a Inglaterra, esgotada pelos custos da guerra, entregou a cidade de volta após pagamento de resgate.

Seus contemporâneos, durante seu auge, consideraram Henrique um rei atraente, bem educado e realizado, e ele já foi descrito como "um dos governantes mais carismáticos a ocupar o trono inglês". Além de reinar com poder considerável, Henrique também escrevia e compunha. Seu desejo de ter um herdeiro homem – em parte por causa de sua vaidade pessoal, por acreditar que uma mulher não seria capaz de consolidar a dinastia Tudor e também pela frágil paz existente após a Guerra das Rosas – levaram às duas coisas pelas quais Henrique é mais lembrado: seus seis casamentos e a Reforma Inglesa. Ele tornou-se obeso mórbido e com saúde fraca, contribuindo para sua morte em 1547. Ele é frequentemente caracterizado ao final de sua vida como concupiscente, egoísta, severo e inseguro. Henrique VIII foi sucedido por seu filho Eduardo VI, fruto de seu casamento com Joana Seymour.

Jane Seymour

Jane ou Joana Seymour (c. 1508 – 24 de outubro de 1537) foi a terceira esposa do rei Henrique VIII e Rainha Consorte do Reino da Inglaterra de 1536 até sua morte. Era filha de João Seymour e Margarida Wentworth, tendo morrido pouco depois de dar à luz o único filho homem de Henrique, o posterior Eduardo VI.


Jane Seymour, Rainha Consorte da Inglaterra.

Vida

Jane era filha de João Seymour e Margarida Wentworth. Trazida para a corte cedo, foi aia das rainhas Catarina de Aragão e Ana Bolena até atrair as atenções do rei. A sua ascensão coincidiu com a queda de favor de Ana Bolena e foi a vontade de Henrique VIII em casar com Jane que precipitou a execução da sua segunda mulher. O casamento realizou-se a 30 de maio de 1536, menos de duas semanas depois da morte de Ana Bolena.

Como rainha, Jane era a antítese da espalhafatosa Ana Bolena. A vida social da Rainha de Inglaterra reduziu-se e foram proibidas todas as manifestações de exagero nas roupas e nos modos de conduta. Era formal e séria e não tinha amizades masculinas, o que depois do escândalo ocorrido era sobretudo um ato de bom senso. Graças à sua posição junto ao rei, foi possível a integração no cenário familiar e da corte de Maria Tudor, filha do primeiro casamento de Henrique VIII, relegada ao esquecimento paterno desde os acontecimentos de 1533. Jane não interferiu diretamente na vida política, mas a sua ascensão a rainha consorte trouxe para a ribalta os seus dois irmãos Eduardo e Tomás Seymour (este último haveria de casar com Catarina Parr, a última mulher de Henrique VIII). O rei era absolutamente fascinado por ela e concedia-lhe todos os desejos, inclusive a satisfação dos apetites exóticos resultantes da gravidez.

Jane morreu na sequência do parto do futuro Eduardo VI, e Henrique VIII organizou-lhe um funeral monumental, declarando luto na corte por muito tempo. Efetivamente, haveria de esperar três anos até ao seu próximo casamento. Jane está sepultada na Capela de São Jorge (Castelo de Windsor) no Castelo de Windsor ao lado do marido o Rei Henrique VIII.

Jane Seymour e questões políticas

Um dia depois da execução de Ana, Henrique ficou noivo de Jane Seymour, que tinha sido uma das damas de companhia da antiga rainha. Eles se casaram dez dias depois. Jane deu à luz em 12 de outubro de 1537 um filho, o príncipe Eduardo. O parto foi difícil e ela morreu em 24 de outubro de 1537 vítima de uma infecção, sendo enterrada na Capela de São Jorge, Castelo de Windsor. A euforia que acompanhou o nascimento de Eduardo se transformou em luto, porém foi apenas com o tempo que Henrique passou a lamentar pela esposa. Na época ele se recuperou rapidamente do choque. Medidas foram tomadas para encontrar uma nova esposa para o rei, que, pela insistência de Cromwell e da corte, foram focadas no continente europeu.

Com Carlos V distraído por políticas internas em seus muitos reinos e ameaças externas, e Henrique e Francisco em relações relativamente boas, questões internas passaram a ser a prioridade do rei na primeira metade da década de 1530. Por exemplo, em 1536 ele deu seu consentimento para os Atos das Leis em Gales de 1535, que legalmente anexavam o País de Gales a Inglaterra e criavam uma única nação. Seguiu-se o Segundo Decreto de Sucessão, que declarava os filhos de Henrique com Jane os próximos na linha de sucessão e declarava Maria e Isabel como ilegítimas, excluindo-as do trono. O rei também recebeu o poder de determinar a linha de sucessão à sua própria vontade, caso não tivesse mais nenhum descendente. Entretanto, Henrique ficou cada vez mais apreensivo quando Carlos e Francisco fizeram a paz em 1539. Cromwell passava ao rei uma lista constante de ameaças ao reino (reais ou imaginárias, pequenas ou grandes) e assim Henrique ficou paranoico. Enriquecido pela Dissolução dos Mosteiros, ele usou algumas de suas reservas financeiras para construir uma série de defesas costais em caso de uma invasão franco-germânica.


O jovem Eduardo VI, com Henrique e Jane, c. 1545. Na época em que esta pintura foi feita, Henrique já estava casado com sua sexta esposa.

Fonte: Wikipédia


Tags: Catarina Howard, Ana de Cleves, Ana Bolena, Catarina de Aragão, Joana Seymour, Jane Saymour, Catarina Parr, Henrique VIII, esposas, rei, Anglicana, excomunhão, Inglaterra






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 18.11

  • Dia da Dedicação das basílicas de São Pedro e São Paulo
  • Dia de Santa Maudez
  • Dia de Santo Edmundo
  • Dia do Anjo Nith-haiah
  • Dia do Conselheiro Tutelar
  • Dia do Tabelião e Registrador