Últimas notícias

Hoje na história

RSS
22 de julho de 1795.

É assinado o “Tratado da Basileia”, que marcou a pacificação entre a Espanha e a França

Gravura da Guerra dos Pirenéus ou Guerra da Convenção

A Campanha do Rossilhão (7 de Março de 1793 — 22 de Julho de 1795), também denominada Guerra dos Pireneus ou Guerra da Convenção, foi uma campanha militar em que Portugal participou ao lado da Espanha e do Reino Unido contra a França revolucionária que, na altura, atravessava a fase da Convenção. O Príncipe Regente D. João de Portugal enviou uma divisão reforçada, denominada Exército Auxiliar à Coroa de Espanha, composta por 5.400 homens sob o comando do tenente-general britânico John Forbes.

Enquadramento

A Campanha do Rossilhão foi na realidade a frente ao longo dos Pireneus, com centro no Rossilhão, de um conflito bem mais vasto, a Guerra da Primeira Coligação, ele próprio o prelúdio das Guerras Revolucionárias Francesas. Naquele conflito, os reinos de Espanha e Portugal, com o apoio britânico, declaram guerra à França revolucionária.

A causa imediata da guerra foi a execução de Luís XVI de França e da sua esposa, a rainha Maria Antonieta, pelos revolucionários franceses. Aquela execução levou a que a Espanha declarasse guerra à França a 17 de Abril de 1793, já que os atos do governo revolucionário francês foram vistos como uma ameaça direta ao seu próprio sistema monárquico. Essa opinião, partilhada pelas potências europeias que se congregaram na Primeira Coligação, levou ao desencadear de um ataque generalizado à França, no qual a Campanha do Rossilhão se insere.

Portugal decidiu não participar diretamente, optando por apoiar a Espanha no seu esforço de guerra. Enviou então, com o apoio britânico, uma divisão reforçada, denominada Exército Auxiliar à Coroa de Espanha, composta por 5.400 homens sob o comando do tenente-general britânico Forbes Skellater. Entre os oficiais portugueses enviados destacaram-se Gomes Freire de Andrade, Antônio Teixeira Rebelo, João Correia de Sá e Manuel Inácio Pamplona Corte Real.

Conclusão

A Campanha do Rossilhão terminou com o Tratado de Basileia, assinado a 22 de Julho de 1795 na cidade suíça de Basileia entre representantes da Espanha e da França. Naquele Tratado, parte da Paz de Basileia, não houve lugar à participação de representantes portugueses, pelo que a posição de Portugal não foi considerada. Em consequência, a França manteve-se de jure em estado de guerra contra Portugal até às invasões napoleônicas. A Campanha do Rossilhão traduziu-se numa vitória para os franceses, que recuperaram todo o seu território, viram a República Francesa reconhecida pela Espanha e ainda receberam da Espanha o território que aquele reino mantinha na ilha Hispaniola.

Este tratado cedeu à França a parte oriental da atual República Dominicana, e em contrapartida a França retirou suas tropas da Catalunha, de Navarra e de Guipúscoa. Foi um dos três tratados da Paz de Basileia.

Fonte: Wikipédia


Tags: Tratado de Basileia, Paz de Basileia, Campanha do Rossilhão, Guerra dos Pireneus, Guerra da Convenção, Hispaniola, Republica Dominicana






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Comemoramos hoje - 18.08

  • Dia de Santa Helena
  • Dia do Anjo Lelahel
  • Dia do Estagiário