Últimas notícias

Hoje na história

RSS
08 de agosto de 0117.

Morre Trajano, imperador romano

Busto de Trajano, Gliptoteca de Munique.

Marco Úlpio Nerva Trajano (em latim: Marcus Ulpius Traianus; 18 de setembro de 53 — 8 de agosto de 117) nasceu em Itálica (atual Santiponce), na Bética, no sul da Hispânia, perto de Híspalis (depois Sevilha) em 53 d.C. Foi imperador romano de 98 a 117.

Durante sua administração, o Império Romano atingiu sua maior extensão territorial graças às conquistas do leste. Trajano também é notado pelos seus extensos programas de obras públicas e as políticas sociais implementadas durante o seu reinado.

Eficiente administrador, reorganizou o império, com apoio decisivo do senado, que lhe concedeu o título excepcional de Optimus Princeps. Manteve um contato permanente e íntimo com a intelectualidade romana como consta da correspondência que manteve com Plínio, o Jovem. Reativou o comércio e a agricultura, reduziu a carga tributária e realizou um ambicioso programa de obras em todo o império. Além de edifícios públicos, como o novo Fórum Romano, construiu estradas, pontes, aquedutos, portos, banhos públicos e infraestrutura sanitária. Algumas dessas obras sobrevivem ainda na Itália, Espanha, Portugal, norte da África e Balcãs. Seu prestígio, no entanto, não se deveu somente aos êxitos na política interna, mas também às conquistas militares e territoriais, destinadas a aumentar e consolidar o poder de Roma e a proporcionar os recursos necessários para suas reformas.


As províncias do Império Romano em sua máxima extensão (governo de Trajano).

Sob seu reinado o Império Romano atingiu sua máxima extensão. Após este período, com seu filho adotado Adriano, a contenção dos vastíssimos territórios geográficos conquistados (de Portugal ao Irã, da atual Inglaterra ao milenar Egito), passou a ser prioridade.

Derrotou os partas e os armênios e lutou contra os dácios (nas regiões dos países atuais da Romênia e da Hungria) em duas batalhas que são celebradas nas cenas em relevo da coluna de Trajano, em Roma.

As riquezas obtidas dos saques destas regiões conquistadas, que por centenas de anos haviam evitado, com sucesso, as tentativas de invasão de Roma, serviu grandemente para o financiamento de novas construções em Roma, provavelmente importante para obter a aceitação de um povo que se sentia acima de tudo superior aos interioranos de províncias conquistadas pela espada.


O imperador Marcus Ulpius Traianus.

Também, beneficiado pelo fato de que, dos arquitetos aos mestres de construção de seu império, terem eles atingido o seu apogeu profissional em sua época, as novas construções e renovações puderam ser realizadas sem custos muito superiores aos que tiveram sido necessários para tal por imperadores do passado.

O imperador Trajano, sendo filho da distante província da Hispânia, portanto, foi o primeiro imperador que não era natural de Roma, abrindo, assim, o caminho para uma nova era, onde os horizontes da participação cidadã romana nos altos escalões do império passou a ser bem mais abrangente.

Além disso realizou novos projetos arquitetônicos e reformas em educação e agricultura.

Muitas obras públicas foram realizadas, inclusive uma nova parte da Via Ápia. Foi um excelente administrador e teve a lealdade de seus súditos.

É considerado por muitos romanos da época e por alguns historiadores como o maior dos imperadores romanos. Porém a verdade é que a sua política de conquistas gerou alguns danos à economia do império, reparados depois por Adriano.

Trajano era, antes de tudo, um chefe militar. Durante a fase final de seu reinado, dedicou-se exclusivamente à guerra e deixou boa parte da administração civil em mãos de terceiros. Morreu, provavelmente de um ataque cardíaco, na viagem de volta da campanha parta, em Selino, perto do mar Negro, no dia 8 de agosto de 117.

O legado de Trajano

Diferente de muitos louvados soberanos na história, a reputação de Trajano sobreviveu não diminuindo durante quase dezenove séculos. Trajano levou o império à sua máxima extensão territorial e é tido por muitos historiadores como o protótipo do "bom governante" romano, com incentivos às obras públicas e outras políticas que fizeram seu reinado ser conhecido como uma época dourada, a ponto de depois dele os senadores usarem por muito tempo a expressão "felicior Augustus, melior Traianus", desejando a cada novo imperador que fosse alguém com mais sorte que Augusto e melhor do que Trajano, os recordistas em cada quesito.

A cristianização de Roma resultou em novo embelezamento da sua lenda: era comumente dito em tempos medievais que o Papa Gregório I, pela intercessão divina, ressuscitou Trajano da morte e o batizou na fé cristã.

Teólogos, como Tomás Aquino, diziam que Trajano era um exemplo de um pagão virtuoso. Na Divina Comédia, Dante vê o espírito de Trajano no primeiro círculo do seu Inferno, onde ficavam os pagãos virtuosos.

Um episódio, tratado como a justiça de Trajano, foi refletido em vários trabalhos de arte.

Fonte: Wikipédia


Tags: Marco Úlpio Nerva Trajano, Trajano, Imperador Romano, Imperador, romano, império romano






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 14.11

  • Dia de São Lourenço
  • Dia de São Serapião
  • Dia do Anjo Nelchael
  • Dia dos Bandeirante
  • Dia Mundial do Diabetes
  • Dia Nacional da Alfabetização