Últimas notícias

Hoje na história

RSS
Sexta-Feira, 19 de Novembro de 1523.

Júlio de Juliano de Médici é eleito o Papa Clemente VII

Clemente VII, 219º Papa da Igreja Católica

O Papa Clemente VII, (nascido Júlio de Juliano de Médici, em italiano: Giulio di Giuliano de' Medici; Florença, 26 de maio de 1478 — Roma, 25 de setembro de 1534), foi o 219º papa eleito em 19 de novembro de 1523, governando a Igreja Católica Apostólica Romana até a data da sua morte.

Era filho bastardo de Juliano de Médici, assassinado na conspiração dos Pazzi contra os Médici. Seu tio era o ilustre e famoso Lourenço de Médici, apelidado Il Magnífico; era portanto primo do Papa Leão X. Seu pai, Juliano, assassinado na conspiração dos Pazzi, fora co-governante de Florença - um jovem genial mas sem especial atitude para a política. Juliano era um dos cinco filhos de Pedro, o Gotoso (Florença 1416 - Florença, 2 de dezembro de 1469), governante de Florença de 1464 a 1469, sucedido por seus filhos Lourenço o Magnífico e o referido Juliano.

Clemente VII governou Florença de 1519 a 1523, foi arcebispo de Embrun, cardeal e arcebispo de Florença, designado por seu primo Leão X, de quem se tornara o principal confidente e ministro. Morto Leão X, Clemente VII teve papel decisivo na escolha insperada do Papa Adriano VI (o último papa não italiano até João Paulo II), a quem sucederia no conclave de novembro de 1523. Eleito papa 19 de novembro de 1523, escolheu o nome de Clemente VII e governou a Igreja até sua morte, em 25 de setembro de 1534.

Ambicioso, perturbou o panorama político e religioso da época.

Em 1524 recebeu a missiva do pretenso "embaixador" David Reuveni.

Tinha uma política anti-espanhola que culminou no saque de Roma, em 1527. Primeiramente sintonizado com os interesses do Sacro Império Romano, foi surpreendido pelo enorme êxito do Imperador Carlos V na batalha de Pavia. Querendo prejudicá-lo, impulsionou contra ele a Liga Santa de Cognac (Liga Clementina), formada por França, Inglaterra, Florença, Veneza, Milão e o papado. Carlos V respondeu tomando Roma. Após o assalto e saque de Roma pelos soldados de Carlos V, em maio de 1527, o papa se refugiou no Castel Sant'Angelo durante sete meses. Só a peste que surgiu na cidade fez com que o cerco fosse levantado. Quando se reconciliou com Carlos V, coroou-o imperador e rei de Itália em Bolonha, em 1530. Em troca, Carlos V devolveu os territórios papais que havia conquistado e tomou Florença, entregando-a de novo aos Medicis, que a haviam perdido.

A seguir, seu desejo de agradar o antigo inimigo Carlos V, fez eclodir e talvez precipitou o cisma de Henrique VIII, rei inglês, que não pode obter a dissolução de seu casamento com Catarina de Aragão, tia do Imperador. Clemente negava-se a aceitar o divórcio do rei, submetido à política espanhola de Carlos V. Como Henrique VIII não desistiu de se casar com Ana Bolena, desencadeou-se assim o cisma da Igreja da Inglaterra.

Frustrado com o fracasso das negociações com o Vaticano, Henrique VIII ignorou a lei canônica que o impedia de se unir a outra mulher e casou com Ana Bolena no dia 25 de Janeiro de 1533. Esta atitude de afronta sem precedentes à Igreja Católica Apostólica Romana fez com que a 11 de Julho de 1533 o Papa Clemente VII pronunciasse a sentença contra o Rei Henrique VIII, declarando-o excomungado a menos que cancelasse seu casamento com Ana Bolena e retomasse seu casamento com Catarina de Aragão.

Após a excomunhão, Henrique VIII decidiu o rompimento com a Igreja Católica Apostólica Romana, declarou a dissolução dos mosteiros, tomando assim muitos dos haveres da Igreja, e formou a Igreja Anglicana (Church of England), da qual se declarou líder. Esta decisão tornou-se oficial com o decreto da supremacia (Act of Supremacy) de 1534.

O Papa Clemente VII morreu em 25 de setembro de 1534. Em 30 de agosto de 1535 o novo papa, Paulo III, elaborou uma nova bula de excomunhão chamada “eius qui Immobilis”.

Em 17 de dezembro de 1538, novamente o papa Paulo III publicou uma outra bula chamada 'Cum redemptor noster", renovando a validade da bula de 30 de agosto de 1535, que tinha sido suspensa.

O Papa Clemente VII trouxe para o trono fama de hábil político e diplomata. No entanto, sem discernimento para compreender os movimentos religiosos que se formavam, tampouco sem dispor de capacidade para desenvolver uma política consistente em assuntos seculares.

Clemente declarou como verdadeira relíquia o prepúcio sagrado de Jesus e declarou legítima sua veneração, concedendo indulgência aos peregrinos que visitassem o relicário.

Sua incapacidade de elevar o nível moral da Igreja ajudou o avanço da Reforma. Foi Mecenas de artistas como Rafael e Michelangelo.

Clemente VII morreu envenenado, depois de comer uma refeição à base de Amanita phalloides, um cogumelo altamente tóxico.

Fonte: Wikipédia


Tags: Papa, vaticano, igreja, catolicismo, Henrique VIII, Ana Bolena, Catarina de Aragão, Igreja Anglicana






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 18.11

  • Dia da Dedicação das basílicas de São Pedro e São Paulo
  • Dia de Santa Maudez
  • Dia de Santo Edmundo
  • Dia do Anjo Nith-haiah
  • Dia do Conselheiro Tutelar
  • Dia do Tabelião e Registrador