Últimas notícias

Hoje na história

RSS
28 de setembro de 1066.

Início da Conquista Normanda: Guilherme da Normandia desembarca em Inglaterra com 7000 homens

Haroldo II da Inglaterra, também chamado Haroldo Godwineson ou Harold Godwinson

Conquista normanda da Inglaterra foi a invasão e ocupação do Reino da Inglaterra no século XI por um exército normando, bretão e francês liderado pelo duque Guilherme II da Normandia, mais tarde Guilherme, o Conquistador.

A reivindicação de Guilherme ao trono inglês vinha de sua relação familiar com o rei anglo-saxão Eduardo, o Confessor (r. 1042–1066), que não tinha filhos, e que pode ter encorajado suas esperanças ao trono. Eduardo morreu em janeiro de 1066 e foi sucedido pelo cunhado Haroldo Godwineson. O rei norueguês Haroldo III invadiu o norte da Inglaterra em setembro de 1066, saindo vitorioso na Batalha de Fulford, porém o rei inglês derrotou e matou o norueguês na Batalha de Stamford Bridge em 25 de setembro de 1066. Poucos dias depois, Guilherme desembarcou na Inglaterra. Haroldo II foi para o sul a fim de enfrentá-lo, deixando uma boa parte de seu exército no norte. Os exércitos de Haroldo e Guilherme se encontraram no dia 14 de outubro de 1066 na Batalha de Hastings; as forças de Guilherme derrotaram as de Haroldo, que morreu na batalha.

Apesar de seus principais rivais terem sido mortos, Guilherme mesmo assim enfrentou rebeliões nos anos seguintes e apenas assegurou completamente o trono em 1072. As terras dos resistentes ingleses foram confiscadas; alguns membros da elite foram para o exílio. Para controlar seu novo reino, Guilherme entregou terras aos seus seguidores e construiu castelos para comandar pontos de importância militar. Outros efeitos da conquista incluíram a corte e o governo, a introdução da língua normanda como o idioma da nova elite e mudanças na composição das classes altas, já que Guilherme manteve o direito de diretamente entregar terras como feudos. Mudanças graduais afetaram as classes agrárias e a vida nos vilarejos: a principal mudança parece ter sido a abolição formal da escravidão, que pode ou não estar ligada à invasão. Houve poucas mudanças na estrutura do governo, já que os novos administradores normandos assumiram muitas formas de governo dos anglo-saxões.


Conquista normanda da Inglaterra.

Invasão normanda
Preparações e forças normandas

Guilherme montou uma grande frota de invasão e um exército reunido a partir da Normandia e em toda a França, incluindo grandes contingentes da Bretanha e de Flandres. Ele reuniu suas forças em Saint-Valery-sur-Somme e estava pronto para cruzar o canal em 12 de agosto de 1066. Os números e composição exatos de sua força são desconhecidos. Um documento da época afirma que ele tinha 726 navios, mas este pode ser um número exagerado. Números fornecidos por escritores contemporâneos são altamente exagerados, variando de 14.000 a 150.000 homens. Os historiadores modernos têm oferecido um conjunto de estimativas para o tamanho das forças de Guilherme: 7.000-8.000 homens, 1.000-2.000 deles de cavalaria; 10.000-12.000 homens; 10.000 homens, 3.000 deles de cavalaria; ou 7.500 homens. O exército consistia em uma mistura de cavalaria, infantaria e arqueiros ou besteiros, com números aproximadamente iguais de cavaleiros e arqueiros e os soldados em número igual aos outros dois tipos combinados. Embora as listas posteriores de companheiros de Guilherme, o Conquistador existam, a maioria é preenchida com nomes extras; apenas cerca de 35 pessoas podem ser verificadas de forma confiável como estando com Guilherme em Hastings.

Guilherme de Poitiers afirma que Guilherme obteve o consentimento do papa Alexandre II para a invasão, representado por uma bandeira papal, juntamente com o apoio diplomático de outros governantes europeus. Embora Alexandre tenha dado a aprovação papal para a conquista depois que ela teve sucesso, nenhuma outra fonte afirma o apoio papal antes da invasão. O exército de Guilherme reuniu-se durante o verão, enquanto uma frota de invasão na Normandia era construída. Embora o exército e a frota estivessem prontos no início de agosto, ventos adversos mantiveram os navios na Normandia até finais de setembro. Provavelmente havia outras razões para a demora de Guilherme, inclusive relatórios de inteligência da Inglaterra, revelando que as forças de Haroldo tinham sido implantadas ao longo da costa. O duque teria preferido adiar a invasão até que ele pudesse fazer um desembarque sem oposição.

Desembarque e marcha de Haroldo ao sul

Os normandos cruzaram o Canal da Mancha até a Inglaterra alguns dias após a vitória de Haroldo sobre os noruegueses, em seguida à dispersão de sua força naval. Eles desembarcaram em Pevensey, em Sussex, em 28 de setembro de 1066 e ergueram um castelo de madeira em Hastings, a partir do qual invadiram a área circundante. Isso garantiu suprimentos para o exército, e como muitas das terras da região eram ocupadas por Haroldo e sua família, enfraqueceu o adversário de Guilherme e tornou mais provável que ele atacasse para pôr fim à invasão.

Haroldo II, depois de derrotar seu irmão Tostig e Haroldo Hardrada no norte, deixou grande parte de sua força lá, incluindo Morcar e Eduíno, e marchou com o resto de seu exército ao sul para lidar com a ameaça da invasão normanda. Não está claro quando Haroldo soube do desembarque de Guilherme, mas provavelmente foi enquanto estava viajando ao sul. Haroldo parou em Londres por cerca de uma semana antes de chegar em Hastings, por isso é provável que tenha tomado uma segunda semana para marchar ao sul, numa média de cerca de 43 quilômetros por dia, para os cerca de 320 quilômetros de Londres. Embora Haroldo tenha tentado surpreender os normandos, batedores de Guilherme relataram a chegada inglesa ao duque. Os eventos exatos que antecederam a batalha são obscuros, com relatos contraditórios nas fontes, mas todos concordam que Guilherme levou seu exército de seu castelo e avançou em direção ao inimigo. Haroldo tinha tomado uma posição defensiva no topo da colina Senlac (atual Battle, Sussex Oriental), a cerca de 10 quilômetros do castelo de Guilherme em Hastings.

O tamanho e a composição do exército de Haroldo não são dados de forma confiável em fontes contemporâneas, apesar de duas fontes normandas darem números de 1,2 milhão ou 400.000 homens. Historiadores recentes têm sugerido números entre 5.000 e 13.000 para o exército de Haroldo em Hastings, mas a maioria concorda em um intervalo entre 7.000 e 8.000 soldados ingleses. Esses homens teriam sido uma mistura da fyrd (milícia composta principalmente de soldados de infantaria), e os housecarls, ou soldados pessoais do nobre, que geralmente também lutavam a pé. A principal diferença entre os dois tipos era a sua armadura: os housecarls usavam armaduras mais bem protegidas do que a dos fyrd. O exército inglês não parecia ter muitos arqueiros, embora alguns estivessem presentes. Poucos indivíduos ingleses são conhecidos por terem estado em Hastings; os mais importantes eram os irmãos de Haroldo, Gurt e Leofivino. Pode-se assumir que cerca de outros 18 indivíduos nomeados tenham lutado com Haroldo em Hastings, incluindo dois outros parentes.

Fonte: Wikipédia


Tags: Conquista normanda da Inglaterra, Inglaterra, Normando, Conquista, Guilherme II da Normandia, Haroldo II






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 07.12

  • Dia de Santo Ambrósio
  • Dia do Pastor Evangélico
  • Dia Internacional da Aviação Civil