Últimas notícias

Hoje na história

RSS
Quarta-Feira, 12 de Outubro de 1992.

Morre em um acidente de helicóptero, Ulysses Guimarães o “Senhor Diretas”


Ulysses Silveira Guimarães (Rio Claro, 6 de outubro de 1916 - Angra dos Reis, 12 de outubro de 1992) foi um político brasileiro.

Teve uma vida acadêmica ativa, participando do Centro Acadêmico XI de Agosto e exercendo a vice-presidência da União Nacional de Estudantes (UNE). Bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais, pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP).
Foi professor durante vários anos na Faculdade de Direito da Universidade Mackenzie, onde veio a se tornar professor titular de Direito Internacional Público. Lecionou ainda Direito Constitucional na Faculdade de Direito de Bauru.

Exerceu profissionalmente a advocacia, especializando-se em Direito Tributário.

No Santos Futebol Clube, Ulysses Guimarães se associou em 10 de janeiro de 1941. Em 1942, foi nomeado diretor-presidente da sub-sede do clube em São Paulo, cargo que voltou a ocupar em 1945.

Em 1944, foi eleito vice-presidente do clube na gestão do doutor Antônio Ezequiel Feliciano da Silva. Por anos defendeu os interesses do clube na Câmara dos Deputados e em Brasília ao lado de outros santistas ilustres como Mário Covas, Aloizio Mercadante e Geraldo Alckmin.

Foi eleito deputado estadual, por São Paulo, à Constituinte de 1947, na legenda do Partido Social Democrático (PSD). A partir deste momento, não deixaria mais a política, elegendo-se deputado federal por seu estado, por onze mandatos consecutivos, de 1951 a 1995 (não tendo terminado o último mandato).

Assumiu a pasta do Ministério da Indústria e Comércio no gabinete Tancredo Neves, durante a curta experiência parlamentarista brasileira (1961-1962).

Apoiou, inicialmente, o movimento militar que, em 1964, depôs o presidente João Goulart, mas logo passou à oposição. Com a instauração do bipartidarismo (1965), filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), do qual seria vice-presidente e, depois, presidente.

Foi presidente do Parlamento Latino-Americano, de 1967 a 1970.

Em 1973, lançou sua anti-candidatura simbólica à Presidência da República como forma de repúdio ao regime militar, tendo como vice o jornalista e ex-governador de Pernambuco, Barbosa Lima Sobrinho.

À frente do seu partido, participou de todas as campanhas pelo retorno do país à democracia, inclusive a luta pela anistia ampla, geral e irrestrita. Com o fim do bipartidarismo (1979), o MDB converteu-se em Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), do qual seria presidente nacional.

Ulysses liderou novas campanhas pela redemocratização, como a das eleições diretas.

Exerceu a presidência da Câmara dos Deputados em três períodos (1956-1957, 1985-1986 e 1987-1988); presidindo a Assembléia Nacional Constituinte, em 1987-1988. A nova Constituição, na qual Ulysses teve papel fundamental, foi promulgada em 5 de Outubro de 1988, tendo sido por ele chamada de Constituição Cidadã, pelos avanços sociais que incorporou em seu texto.

Em 1989, candidatou-se à Presidência da República, na sigla do PMDB, sem sucesso.

Faleceu em acidente aéreo de helicóptero, ao largo de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, em 12 de outubro de 1992, junto à esposa D. Mora, o senador Severo Gomes, a esposa e o piloto. Os restos mortais nunca foram encontrados.

Publicou vários livros. Entre eles destacam-se: Vida Exemplar de Prudente de Moraes (1940); Navegar é preciso, Viver não é preciso (1973); Socialização do Direito (1978); Esperança e Mudança (1982); Tentativa (1983); Diretas Já (1984); PT Saudações (1988); Da Fé fiz Companheira (1989); Ou Mudamos ou seremos Mudados (1991); Parlamentarismo – Além de ser mais forte, substitui um regime fraco (fev.1992).

Tags: Constituinte, MDB, PMDB






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 11.12

  • Dia da Unicef
  • Dia de São Barnabé
  • Dia do Agrônomo
  • Dia do Arquiteto
  • Dia do Engenheiro
  • Dia do Tango