Últimas notícias

Hoje na história

RSS
07 de outubro de 1932.

Plínio Salgado, fã incondicional do primeiro-ministro italiano fascista Benito Mussolini, lança oficialmente a Ação Integralista Brasileira

Ação Integralista Brasileira

Ação Integralista Brasileira (AIB) foi um movimento político fascista nacionalista brasileiro criado em 7 de outubro de 1932. Foi fundado por Plínio Salgado, um escritor modernista, jornalista e político, uma figura literária conhecida por sua participação na Semana de Arte Moderna de 1922.

Salgado desenvolveu o que viria a ser a AIB, com a Sociedade de Estudos Paulista (SEP), um grupo de estudo sobre os problemas gerais da nação. Os estudos da SEP resultariam na criação da AIB, em 1932.

O movimento integralista tinha adotado algumas características dos movimentos europeus de massa da época, especificamente do fascismo italiano, mas distanciando-se do nazismo porque o próprio Salgado não apoiava o racismo. No entanto, apesar do slogan "união de todas as raças e todos os povos", alguns militantes tinham opiniões antissemitas e racistas.


Sessão de encerramento do Congresso Integralista. Plínio Salgado encontra-se ao centro (sentado). Blumenau, 1935.

O integralismo brasileiro era inspirado em um movimento tradicionalista em Portugal, o integralismo lusitano. Como símbolo, a AIB utilizava uma bandeira com um disco branco sobre um fundo azul, com um sigma maiúscula (Σ) em seu centro. Os integralistas também ficaram conhecidos como camisas-verdes devido aos uniformes que utilizavam.


Plínio Salgado, fundador da Ação Integralista Brasileira (AIB).

A AIB, assim como todos os outros partidos políticos, foi extinta após a instauração do Estado Novo, efetivado em 10 de novembro de 1937 pelo então presidente Getúlio Vargas.

A AIB a partir de então, firmou-se como uma extensão do movimento constitucionalista. Tão logo o partido iniciou suas atividades, influenciado pelo fascismo italiano, começaram a acontecer conflitos com grupos rivais, como a ANL, de forma análoga aos conflitos entre partidos fascistas e socialistas em diversos países à época.


A saudação "anauê", adotada pelos integralistas brasileiros, de provável origem tupi, significando "você é meu irmão".

Negros e mulheres no integralismo

O integralismo brasileiro congregou uma grande diversidade de cidadãos brasileiros segundo as mais diferentes etnias. No sul do país, por exemplo, houve uma participação maciça de imigrantes europeus e seus filhos. Afrodescendentes também aderiram ao movimento, e o exemplo até hoje lembrado é o de João Cândido, líder da Revolta da Chibata. Outros negros famosos que pertenceram à AIB são Abdias do Nascimento, Sebastião Rodrigues Alves e Ironides Rodrigues. Podemos citar também negros que apoiavam o movimento integralista brasileiro, como Arlindo Veiga dos Santos. A AIB foi o primeiro movimento político brasileiro a dar voz política à mulher, embora elas se limitassem ao assistencialismo, ao trato com a educação.

O integralismo brasileiro sempre se opôs ao racismo, e em nenhuma circunstância o apoiou, um exemplo disso é uma das mais famosas frases de Plínio Salgado, "O problema é ético, e não étnico".

Legado

Atualmente a Frente Integralista Brasileira (FIB) e o Movimento Integralista e Linearista Brasileiro (MIL-B) e a Ação Integralista Revolucionária (AIR) afirmam representar o integralismo no Brasil, segundo afirmam os seus membros. Defendem "o combate ao materialismo oriundo, tanto do capitalismo, assim como do comunismo, além da necessidade de uma reforma espiritual do homem brasileiro". Existem algumas vertentes atuais de interpretação do integralismo, como o chamado linearismo, que visa adaptar sua doutrina ao século XXI . Mas continuam a afirmar que comunismo e capitalismo são duas faces da mesma moeda - o grande capital internacional. Segundo eles, o capitalismo liberal e o comunismo seriam ideologias forjadas na mesma matriz, ou seja, o "Império Sionista", que efetivamente governa as nações do Ocidente desde a Revolução Francesa, usando do poder do dinheiro, a "Internacional Dourada", ou as revoluções proletárias , a "Internacional Vermelha". Já a doutrina integralista continua a se basear na tríade "Deus, Pátria e Família".

Fonte: Wikipédia


Tags: Ação Integralista Brasileira, AIB, Integralismo, Plínio Salgado, fascismo






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 13.11

  • Dia de São Diego de Alcalá
  • Dia do Anjo Pahaliah
  • Dia do Mau Humor
  • Dia do Moço Espírita
  • Dia Nacional da Família na Escola