Últimas notícias

Hoje na história

RSS
30 de Janeiro de 1945.

Em uma operação de resgate reconhecida até hoje como a mais bem sucedida, mais de 500 prisioneiros de guerra em um campo japonês

Os prisioneiros de guerra de Cabanatuan festejam a libertação em 30 de janeiro de 1945

O Raid em Cabanatuan, também conhecido como O Grande Ataque, foi um resgate de prisioneiros de guerra aliados e civis de um acampamento japonês perto Cabanatuan City, nas Filipinas. Em 30 de Janeiro de 1945, durante a Segunda Guerra Mundial, os Rangers, juntamente com o Alamo Scouts e guerrilheiros filipinos, libertaram mais de 500 prisioneiros de guerra em um campo japonês.

Após a rendição de dezenas de milhares de tropas norte-americanas durante a Batalha de Bataan, muitos foram enviados para um campo de prisioneiros em Cabanatuan após a Marcha da Morte de Bataan. Os japoneses transferiram a maioria dos prisioneiros para outras áreas, deixando pouco mais de 500 prisioneiros de guerra e civis norte-americanos e outros aliados na prisão em Cabantuan.

Enfrentando condições brutais, incluindo doenças, tortura e desnutrição, os prisioneiros temiam serem executados quando o general Douglas MacArthur e suas forças venceram a Batalha de Luzon. No final de janeiro de 1945, um plano foi desenvolvido pelo comando do 6º Exército e guerrilheiros filipinos para enviar uma pequena força para resgatar os prisioneiros. Um grupo de mais de cem Rangers, Alamo Scouts e várias centenas de guerrilheiros filipinos penetraram cerca de 48 km atrás das linhas japonesas para chegar ao campo de prisioneiros.

Em um ataque noturno, sob a cobertura da escuridão e a distração por um Black Widow P-61, o grupo surpreendeu as forças japonesas. Centenas de soldados japoneses foram mortos no ataque coordenado que durou cerca de 30 minutos; onde os norte-americanos sofreram baixas mínimas. Os Rangers, Scouts, e os guerrilheiros filipinos, escoltaram de volta para as linhas norte-americanas os prisioneiros de guerra.


Um P-61 Black Widow, semelhante ao que distraiu os guardas japoneses.

O resgate permitiu que os prisioneiros revelassem detalhes da Marcha da Morte de Bataan e demais atrocidades cometidas no campo de prisioneiros, o que provocou uma nova onda de determinação na guerra contra o Japão Imperial. As equipes de resgate foram agraciadas com comendas por MacArthur, e também foram reconhecidos pelo presidente Franklin D. Roosevelt. Um memorial agora fica no local do antigo campo, e os eventos do ataque foram retratados em vários filmes.


Ilustração da disposição do acampamento e as posições das forças norte-americanas.

O ataque é considerado até hoje como o mais bem sucedido0 resgate, onde 489 prisioneiros foram libertados, junto com 33 civis. O total foi de 492 norte-americanos, 23 britânicos, três holandeses, dois noruegueses, um canadense e um filipino.

Fonte: Wikipédia


Tags: Segunda Guerra Mundial, Japão, japoneses, atrocidades, filipinos, Filipinas, prisioneiros de guerra, pow, Bataan






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 20.04

  • Dia do Diplomata
  • Dia do Disco
  • Santa Inês de Montepulciano