Últimas notícias

Hoje na história

RSS
15 de outubro de 1864.

No Rio de Janeiro a princesa Isabel se casa com Luís Gastão de Orléans, o conde d'Eu

A Princesa Isabel e o Conde D’Eu.

D. Isabel Cristina Leopoldina de Bragança (Rio de Janeiro, 29 de julho de 1846 – Eu, 14 de novembro de 1921), apelidada de "a Redentora", foi a segunda filha, a primeira menina, do imperador Pedro II do Brasil e sua esposa a imperatriz Teresa Cristina das Duas Sicílias. Como a herdeira presuntiva do Império do Brasil, ela recebeu o título de Princesa Imperial.

A morte de seus dois irmãos homens a fez a herdeira de Pedro, porém o imperador não conseguia aceitar a ideia de uma mulher governando o país e dessa forma deixou de acreditar na sustentabilidade do sistema monárquico. A própria personalidade de Isabel a distanciou da política e de quaisquer confrontos com seu pai, ficando satisfeita com uma vida calma e doméstica. Além disso, apesar da sua educação ter sido bem ampla, ela jamais foi preparada para assumir o trono. Isabel se casou em 1864 com o príncipe francês Gastão, Conde d'Eu, com quem teve três filhos: Pedro de Alcântara, Luís e Antônio.

A princesa serviu três vezes como regente do império enquanto seu pai viajava pelo exterior. Isabel promoveu a abolição da escravidão durante sua terceira e última regência e acabou assinando a Lei Áurea em 1888. Apesar da ação ter se mostrado amplamente popular, houve forte oposição contra sua sucessão ao trono. O fato de ser mulher, seu forte catolicismo e casamento com um estrangeiro foram vistos como impedimentos contra ela, juntamente com a emancipação dos escravos, que gerou descontentamento entre ricos fazendeiros. A monarquia brasileira foi abolida em 1889 e ela e sua família foram exilados por um golpe militar. Isabel passou seus últimos trinta anos de vida vivendo calmamente na França.

Casamento

A Princesa Isabel era baixa, tinha olhos azuis, cabelo loiro, era um pouco acima do peso e não tinha sobrancelhas. Seu pai procurou um marido para ela e Leopoldina entre as casas reais francesas, inicialmente considerando o príncipe Pedro, Duque de Penthièvre e filho de Francisco, Príncipe de Joinville. A mãe dele era a princesa D. Francisca, irmã do imperador. Entretanto, o duque não estava interessado e recusou. Ao invés disso, Francisco sugeriu seus sobrinhos os príncipes Gastão, Conde d'Eu, e Luís Augusto de Saxe-Coburgo-Gota como escolhas adequadas para as duas princesas. Os dois homens viajaram para o Brasil em agosto de 1864 a fim que os quatro pudessem se conhecer antes de qualquer acordo final ser acertado. Isabel e Leopoldina só foram informadas quando Gastão e Luís Augusto já estavam a caminho. Os dois chegaram no começo de setembro e Gastão descreveu as duas princesas como "feias", porém achou que Isabel era menos do que Leopoldina. Por sua vez, Isabel em suas próprias palavras [começou] a sentir um terno amor" pelo conde. Gastão e Isabel, e Pedro Augusto e Leopoldina, ficaram noivos em 18 de setembro.

Gastão e Isabel se casaram em 15 de outubro de 1864 na Capela Imperial do Rio de Janeiro por D. Romualdo Antônio de Seixas, o Arcebispo da Bahia. Apesar do príncipe ter encorajado sua esposa a ler bastante, enquanto imperador a levou para algumas visitas e compromissos oficiais, sua perspectiva permaneceu de estreita domesticidade. Ela levava uma vida típica das mulheres aristocráticas de sua época. Isabel e Gastão viajaram pela Europa durante os primeiros seis meses de 1865. Os dois viajaram como civis já que Brasil tinha quebrado relações diplomáticas com o Reino Unido e os parentes do príncipe tinham sido depostos na França, encontrando-se com a rainha Vitória do Reino Unido como visitas pessoais e não como convidados de estado oficiais. Gastão acabou convocado por Pedro para lutar na Guerra do Paraguai pouco depois do casal retornar ao Brasil, deixando Isabel sozinha no Rio de Janeiro.

Gastão e Isabel novamente viajaram pela Europa após o fim da guerra em 1870. Eles estavam em Viena, Áustria-Hungria, no começo de 1871 quando Leopoldina adoeceu e morreu em Coburgo, Saxe-Coburgo-Gota, deixando Isabel como a única filha ainda viva de seus pais.

Fonte: Wikipédia


Tags: Casamento, Império, Princesa Isabel, Isabel do Brasil, Dom Pedro II, Luís Filipe Maria Fernando Gastão, Gastão de Orléans, Conde d'Eu






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 12.12

  • Dia de Nossa Senhora de Guadalupe (padroeira da América)
  • Dia de Santa Dionísia