Últimas notícias

Hoje na história

RSS
09 de setembro de 1892.

Edward Emerson Barnard descobre a lua de Júpiter Amalteia.

Imagem computadorizada de Amalteia orbitando Júpiter

Amalteia é uma lua do planeta Júpiter, o terceiro satélite em ordem de distância, e o membro principal do Grupo Amalteia. Possui cerca de 189 km de diâmetro e orbita a uma distância média de 181.000 km do centro de Júpiter. Tem uma forma irregular e não possui qualquer tipo de atmosfera permanente. Foi observado mais em pormenor pelas sondas Voyager e mais recentemente pela sonda orbital Galileu. É a terceira lua mais próxima de Júpiter de entre as atuais 63 conhecidas.

Completa uma órbita em torno de Júpiter em cerca de 12h que é também o seu período de rotação. Amalteia é o corpo mais vermelho do sistema solar, facto que possivelmente está relacionado com depósitos de enxofre expelido pelos vulcões de Io. Parece libertar mais calor do que o recebido de Júpiter e do Sol, indicando que será uma fonte de calor, provavelmente devido à sua interação com o forte campo magnético de Júpiter.


Amalteia (Satélite Júpiter V)

Foi o primeiro satélite de Júpiter a ser descoberto desde 1610 quando Galileu Galilei descobriu os quatro satélites galileanos (Io, Europa, Ganímedes e Calisto). Foi também, o último satélite a ser detectado por observação visual directa.

Foi descoberto em 9 de setembro de 1892 pelo astrônomo Edward Emerson Barnard desde o observatório Lick da Universidade da Califórnia. O nome provém de Amalteia, uma ninfa da mitologia grega que cuidou de Zeus durante sua infância ou, em outra versão, a uma cabra que o amamentou.


Edward Emerson Barnard, astrônomo norte-americano descobridor de Amalteia.

Satélites de Júpiter

Júpiter possui 67 satélites confirmados, o maior número "seguro" de satélites entre os oito planetas do Sistema Solar. Os quatro satélites mais massivos, os satélites de Galileu, foram descobertos em 1610 por Galileu Galilei, e foram os primeiros objetos descobertos pela humanidade em órbita de outro corpo que não a Terra ou o Sol. Desde o final do século XX, vários satélites menores foram descobertos, todos recebendo nomes de amantes, conquistas ou filhas do Deus romano Júpiter, ou do equivalente grego, Zeus. Os quatro satélites de Galileu são facilmente os maiores satélites em órbita do planeta, com os outros 63 satélites, mais os anéis de Júpiter, sendo responsáveis por apenas 0,003% da massa em torno do planeta.


Júpiter e seus quatro maiores satélites.

Oito dos satélites de Júpiter são regulares, com órbitas prógradas e quase circulares, de baixa inclinação em respeito ao plano equatorial de Júpiter. Os satélites de Galileu estão em equilíbrio hidrostático, e seriam considerados planetas anões se estivessem em órbita em torno do Sol. Os outros quatro satélites regulares são muito menores e mais próximos do planeta, e servem como fonte de poeira dos anéis jupiterianos.

Os outros satélites de Júpiter são "irregulares", cujas órbitas, prógradas ou retrógradas, estão significantemente mais longe do planeta, e possuem maiores inclinações e excentricidades orbitais. Estes satélites eram provavelmente corpos menores que foram capturados pelo planeta. Outros 13 satélites recentemente descobertos que não foram nomeados, mais um 14o, cuja órbita não foi ainda estabelecida.

História

A primeira possível observação de um dos satélites de Júpiter foi realizado pelo astrônomo chinês Gan De, em 364 a.C. Porém, a primeira observação dos satélites, sem incertezas, foi feita por Galileu Galilei em 1609. Em março de 1610, Galileu já tinha observado Io, Europa, Ganímedes e Calisto, com seu telescópio de magnificação 30x. Simon Marius argumentou que ele havia descoberto independentemente os quatro satélites durante o mesmo período, embora foi acusado por Galileu de plagiarismo; visto que Marius publicou tal descoberta quatro anos após Galileu, em 1614, o último é no geral creditado como o único descobridor dos quatro satélites.

Nenhum satélite adicional foi descoberto até que Edward Emerson Barnard descobriu Amalteia em 9 de setembro de 1892. Com a ajuda de fotografia telescópica, novas descobertas foram rapidamente realizadas ao longo do século XX. Himalia foi descoberto em 3 de dezembro de 1904, Elara em 5 de janeiro de 1905, Pasife em 27 de janeiro de 1908Sinope em 21 de julho de 1914Lisiteia em 6 de julho de 1938Carme em 30 de julho de 1938, Ananke em 28 de setembro de 1951, e Leda em 11 de setembro de 1974.

Quando as sondas espaciais Voyager alcançaram Júpiter em 1979, 13 satélites haviam sido descobertos, enquanto que Temisto havia sido observado em 30 de setembro de 1975, embora devido à falta de dados de observações iniciais, tinha sido perdida até 21 de novembro de 2000, quando foi redescoberto. As sondas Voyager descobriram três satélites interiores em 1979: Métis (4 de março de 1979), Adrasteia (8 de julho de 1979 ) e Tebe (5 de março de 1979 ).

Por duas décadas nenhum satélite adicional foi descoberto, porém, entre outubro de 1999 e fevereiro de 2003, pesquisadores utilizando detectores baseados na Terra encontraram 32 satélites, a maioria dos quais - 23 - foram descobertos por uma equipe liderada por Scott S. Sheppard e David C. Jewitt. Todos estes satélites são pequenos, possuindo órbitas altamente excêntricas, geralmente retrógradas, e possuindo cerca de 3 km de diâmetro, com o maior possuindo 9 km de diâmetro.

Acredita-se que todos estes satélites tenham sido capturados pelo planeta, embora esta hipótese não tenha sido confirmada. Em 2010 e 2011 quatro novos satélites foram descobertos. Estas descobertas aumentaram o número de satélites descobertos para 67, o maior número entre todos os planetas do Sistema Solar, com outros satélites pequenos, ainda não descobertos, podendo existir.

Fonte: Wikipédia


Tags: Edward Emerson Barnard, Amalteia, Lua, Satélite, Júpiter, Espaço, Galileu, Voyager






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 19.06

  • Dia de São Romualdo
  • Dia do Anjo Leuviah
  • Dia do Cinema Brasileiro
  • Dia do Cinema Brasileiro
  • Dia do Migrante
  • Dia do Vigilante