RicardoOrlandini.net - Informa e faz pensar - Hoje na história - Margaretha Gertruida Zelle, a 'Mata Hari', é presa acusada de espionagem

Últimas notícias

Hoje na história

RSS
13 de Fevereiro de 1917.

Margaretha Gertruida Zelle, a 'Mata Hari', é presa acusada de espionagem

Margaretha Gertruida Zelle, a Mata Hari

Margaretha Gertruida Zelle (Leeuwarden, 7 de agosto de 1876 — Vincennes, 15 de outubro de 1917), conhecida como Mata Hari, foi uma dançarina exótica dos Países Baixos acusada de espionagem que foi condenada à morte por fuzilamento, durante a Primeira Guerra Mundial. Em diferentes ocasiões sua vida foi alvo da curiosidade de biógrafos, romancistas e cineastas. Ao longo do tempo, Mata Hari transformou-se em uma espécie de símbolo da ousadia feminina.

Mata Hari era filha de um empresário, Adam Zelle, e de Antje van der Meulen. A situação delicada de sua família piorou quando, aos 15 anos de idade, Mata perdeu sua mãe.

No início do século XX, depois de uma tentativa fracassada de se tornar professora, um casamento igualmente fracassado com Rudolf John MacLeod e de ter dois filhos, Norman-John MacLeod e Jeanne-Louise MacLeod, ela se mudou para Paris. Morou por algum tempo na ilha de Java, de onde tirou inspiração para seu pseudônimo.

Ela posava como uma princesa javanesa e se tornou uma dançarina exótica. Seu pseudônimo Mata Hari quer dizer sol (mas literalmente "olho da manhã") em malaio e indonésio. Ela também foi uma cortesã que teve casos amorosos com vários militares e políticos.


Margaretha Gertruida Zelle como Mata Hari.

Beldade nua

Em 13 de março de 1905, Mata Hari brilhou pela primeira vez em Paris. A apresentação no Musée Guimet foi o início da sua ascensão. Mesmo numa cidade habituada à sensualidade, a dançarina tirava o fôlego dos espectadores – gestos graciosos transformavam-se em contorções insinuantes e, ao final, uma beldade completamente nua surgia em frente às fascinadas damas e cavalheiros da alta sociedade.


Performance em 1905.

Mas a estrela de Mata Hari brilhou durante poucos anos, e o interesse por ela diminuiu. Em 1914, porém, um ex-amante lhe propôs, de forma surpreendente, um contrato para o Teatro Metropolitano de Berlim. De repente, ela passou a ser procurada novamente. Ministros, oficiais e até o príncipe herdeiro contavam entre seus novos amantes.

Participação na Primeira Guerra

Em 1º de agosto de 1914, explodiu o barril de pólvora europeu: a Primeira Guerra Mundial. Não podendo mais retornar para o país dos inimigos, a França, Mata Hari foi para a Holanda, que mantinha neutralidade.

Numa recepção em maio de 1916, ela conheceu o adido de imprensa da embaixada alemã em Haia, Karl Kramer, integrante do serviço secreto.

Poucos dias depois, ele não procurou Mata Hari pelo mesmo motivo que todos os outros homens a procuravam. Kramer não falou de amor ou sexo, mas de pequenas tarefas que ela poderia executar em Paris e que o povo alemão saberia estimar. Tratava-se de espionagem.

Durante a guerra, Mata Hari dormiu com inúmeros oficiais, tanto franceses quanto alemães e se tornou um peão da intriga internacional, apesar dos historiadores nunca terem esclarecido com exatidão se ela fora realmente uma espiã, e se sim, quais eram as suas atividades como tal.

Mata Hari foi presa em 13 de fevereiro de 1917. Os interrogatórios duraram meses. Ninguém pôde provar algo contra ela, mas foram descobertos os 20 mil francos de Kramer e a trama se consumou. A punição para espionagem era a pena de morte.

A dançarina "exótica" Mata Hari era condenada à morte no dia 25 de julho de 1917 por uma corte francesa, acusada de espionagem para a Alemanha, durante a Primeira Guerra Mundial.

Sete meses depois de sua prisão, em 15 de outubro de 1917, Mata Hari foi executada num bosque de Vincennes, por 12 soldados de um regimento francês de artilharia. Ela recusou uma venda nos olhos. "Eu quero olhar os soldados nos olhos. Eu tenho orgulho do meu passado e não fui uma espiã; eu fui Mata Hari", teria dito.

No cinema

O primeiro filme é o filme mudo alemão de 1927, Mata Hari, die rote Tänzerin com a atriz austríaca Magda Sonja interpretando Mata Hari.


A atriz austríaca Magda Sonja interpretando Mata Hari.

O filme de 1931, "Mata Hari", descreve seus últimos dias de vida. Greta Garbo interpretou o papel principal.


Greta Garbo como Mata Hari no filme de 1931.

Existe uma outra versão do filme Mata Hari de 1985 com a atriz holandesa Sylvia Kristel.


Sylvia Kristel como Mata Hari no filme de 1985.

Mata Hari virou símbolo da espiã feminina e sedutora. Alta e extremamente atraente, familiarizada com as danças de origem indiana e disposta a aparecer praticamente nua em público, foi um sucesso instantâneo em Paris e em outras grandes cidades europeias. Ao longo de sua vida, teve muitos amantes, entre eles militares. Suas atividades de espionagem permanecem obscuras até hoje, mas ela foi considerada culpada pela justiça francesa por agir como agente duplo para Alemanha e França.

Fonte: Wikipédia


Tags: Espionagem, Primeira Guerra Mundial, Mata Hari, Margaretha Gertruida Zelle






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 18.08

  • Dia de Santa Helena
  • Dia do Anjo Lelahel
  • Dia do Estagiário