Últimas notícias

Hoje na história

RSS
03 de março de 1959.

É lançada ao espaço a sonda norte-americana Pioneer 4

Lançamento da Pioneer 4

O Programa Pioneer foi um programa espacial desenvolvido pelos Estados Unidos para permitir o envio de missões não tripuladas ao espaço, projetadas para a exploração planetária. Havia um grande número missões no programa, mas os mais notáveis foram o Pioneer 10 e o Pioneer 11, que exploraram os planetas externos e posteriormente deixaram o sistema solar. Ambos transportaram uma placa dourada (veja a Placa Pioneer), descrevendo um homem e uma mulher e a informação sobre a origem e os criadores das sondas, na esperança que extraterrestes as encontrem algum dia.


A placa Pioneer.

O crédito para nomear a primeira sonda foi atribuído a Stephen A. Saliga, que tinha sido designado ao Grupo de Orientação da Força Aérea, Wright-Patterson AFB, como o designer chefe de exibições da Força Aérea. A nave espacial foi-lhe descrita como "um veículo lunar orbitando com um dispositivo de exploração infravermelho". Saliga pensou sobre o título demasiado longo e faltou o tema para um projeto de designer. Sugeriu então o nome Pioneer para a sonda, uma vez que "o exército já tinha lançado e orbitado o satélite do explorador e a informação pública identificava o exército como 'Pioneiros do espaço'" e adotando este o nome a Força Aérea "faria 'um salto do quântico' a respeito de quem realmente eram ' os pioneiros no espaço.'"

As primeiras missões Pionner (1958–1960)

As primeiras missões foram tentativas de conseguir a velocidade do escape da terra, mostrando simplesmente que era possível e para estudar a Lua. Isto incluiu o primeiro lançamento da NASA, a qual foi formada pela antiga NACA. Estas missões foram realizadas pela Força Aérea e pelo exército Norte-Americano.

Muitas das missões abaixo estão listadas com seu nome mais reconhecido e em sequência com os nomes alternativos entre parênteses.

  • Sondas Thor-Able
    • Pioneer 0 (Thor-Able 1, Pioneer) - Orbitador lunar, destruída por um defeito após 77 segundos do lançamento; lançada em 17 de agosto de 1958.
    • Pioneer 1 (Thor-Able 2, Pioneer I) - Orbitador lunar, não chegou a Lua por causa de um erro de lançamento; lançada em 11 de outubro de 1958.
    • Pioneer 2 (Thor-Able 3, Pioneer II) - Orbitador lunar, destruida em seu lançamento, houve uma falha parcial no terceiro estágio; lançada em 8 de novembro de 1958.
  • Sondas Juno
    • Pioneer 3 - Sobrevoo (flyby) lunar, não chegou a Lua por causa de um erro de lançamento; 6 de dezembro de 1958.
    • Pioneer 4 - Sobrevoo lunar, conseguiu a velocidade de escape terrestre; 3 de março de 1959.
  • Sondas Atlas-Able
    • Pioneer P-1 (Atlas-Able 4A, Pioneer W) - Sonda perdida; 24 de setembro de 1959.
    • Pioneer P-3 (Atlas-Able 4, Atlas-Able 4B, Pioneer X) - Sonda lunar, perdida em seu lançamento; 26 de novembro de 1959.
    • Pioneer 5 (Pioneer P-2, Thor-Able 4, Atlas-Able 6, Pioneer V) - Sonda interplanetária entre a Terra e Vênus; lançada em 11 de março de 1960.
    • Pioneer P-30 (Atlas-Able 5A, Pioneer Y) - Sonda lunar, não chegou a entrar em órbita lunar; 25 de setembro de 1960.
    • Pioneer P-31 (Atlas-Able 5B, Pioneer Z) - Sonda lunar, perdida por falha no estágio superior; 15 de dezembro de 1960.

A segunda fase das missões Pioneer (1965–1978)

Após cinco anos das primeiras sondas Able, a NASA recuperou o nome Pioneer para uma nova série de missões, inicialmente destinadas ao estudo do sistema solar interior. As primeiras foram uma série de sondas em órbita solar para estudar a região interplanetária entre Terra e Vênus. Em seguida, foram desenvolvidas novas sondas para a exploração dos planetas exteriores; foram as primeiras missões a chegar em Marte, no entanto, com resultados de baixa qualidade, que foram superados pelas sondas do Programa Voyager. Posteriormente, o Programa Pioneer foi concluído com o conjunto de sondas do Projeto Pioneer Venus.

Missões interplanetárias de "previsão climática"

Essas missões foram numeradas a partir da Pioneer 6 (nomes alternativos entre parênteses).

  • As espaçonaves nas missões Pioneer 6, 7, 8 e 9, que estão em órbita solar:
    • Pioneer 6 (Pioneer A) - lançada em 16 de dezembro de 1965.
    • Pioneer 7 (Pioneer B) - lançada em 17 de agosto de 1966.
    • Pioneer 8 (Pioneer C) - lançada em 13 de dezembro de 1967.
    • Pioneer 9 (Pioneer D) - lançada em 11 de novembro de 1968.
    • Pioneer E - Perdida em seu lançamento, em 27 de agosto de 1969.

Missões ao sistema solar exterior

Essas missões foram numeradas a partir da Pioneer 10 (nomes alternativos entre parênteses).

  • Pioneer 10 (Pioneer F) - Sobrevoo de Júpiter, lançada em 3 de março de 1972.
  • Pioneer 11 (Pioneer G) - Sobrevoo de Júpiter e Saturno, lançada em 6 de abril de 1973.
  • Pioneer H - Idêntica as anteriores, porém não chegou a ser lançada.
  • Projeto Pioneer Venus - Conjunto de duas missões, uma orbital e outra composta por várias pequenas sondas de impacto, lançadas em 20 de maio e 8 de agosto de 1978 respectivamente.

A Pioneer 4

A Pioneer 4 foi uma sonda espacial, em formato de cone e estabilizada por rotação, de origem norte-americana. Foi lançada pela ABMA em conjunto com a recém criada NASA, em 3 de março de 1959, usando como lançador o foguete Juno II. A missão Pioneer 4, passou a 60.000 km da superfície da Lua, o que não foi suficiente para acionar o seu sensor fotoelétrico, impedindo o acionamento dos seus experimentos. A sonda entrou em órbita solar.

Missão

A sonda Pioneer 4 foi uma sonda em forma de cone com 51 centímetros de altura e 23 centímetros de diâmetro na sua base. O cone da sonda foi composto por uma fina de fibra de vidro revestida com um revestimento de ouro para torná-la condutora eletricamente (o ouro é um bom condutor) e pintada com riscas brancas para manter a temperatura entre 10°C e 50°C. Na ponta do cone tinha um pequeno dispositivo que, junto com a sonda, atuava como uma antena. Na base do cone tinha um anel com pilhas de mercúrio que fornecia a potência elétrica necessária. Um sensor fotoelétrico se projetava a partir do centro do anel. O sensor foi projetado com duas células fotoelétricas que seriam estimuladas pela luz refletida da Lua, quando a sonda estivesse a uma distância de 30 mil quilômetros da superfície da Lua. No centro do cone havia um tubo de alimentação de tensão e de dois tubos Geiger-Muller. Um transmissor com uma massa de 500 gramas emitia um sinal de 0,1 W com uma frequência de 960,05 MHz.


Imagem da sonda espacial Pioneer 4.

Trajetória

Após um lançamento bem-sucedido, a sonda Pioneer 4 alcançou o seu objetivo primário, ou seja, obter uma viagem bem sucedida até a Lua. Foram obtidos dados da radiação cósmica, além de uma experiência valiosa da viagem espacial.

A sonda passou a 58.983 quilômetros da superfície da Lua (7,2° E, 5,7° S) em 4 de março de 1959 às 22:25 UTC a uma velocidade de 7230 km/h. A distância não estava perto o suficiente para acionar o sensor fotoelétrico. A sonda continuou a transmitir dados de radiação do espaço por 82,5 horas, a uma distância de 658.000 quilômetros, e atingiu o periélio em 18 de março de 1959 às 01:00 UTC. Depois a sonda entrou em uma órbita heliocêntrica do Sol, tornando-se a primeira sonda dos EUA a obter a velocidade de escape da Terra.

Fonte: Wikipédia


Tags: Sonda, NASA, nave, Voyager, Pioneer






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 21.10

  • Dia da Iluminação
  • Dia de Santo Hilarião
  • Dia do Anjo Yabamiah
  • Dia do Contato
  • Dia do Contato Publicitário
  • Dia do Ecumenismo
  • Dia do Lixeiro
  • Dia do Securitário